Arquivo da Categoria ‘Chuva’

+ aumentar e diminuir fonte -
Semana de muita chuva no Sul do Brasil
domingo, 28 de dezembro de 2014

A chuva não vai dar trégua ao Sul do Brasil esta semana.

O domingo já amanheceu com nuvens carregadas sobre o Rio Grande do Sul devido ao avanço de novas áreas de instabilidade vindas da Argentina, como indica a imagem colorida do satélite GOES-13.

 

 

Pela manhã, já chovia de forma significativa sobre o centro-oeste gaúcho, como mostra a imagem do radar de Canguçu, operado pela Aeronáutica.

 

 

Dois sistemas de baixa pressão, um no oceano e outro no norte da Argentina, vão manter o tempo instável sobre a Região Sul até o meio da semana.

Na quarta-feira (31), último dia do ano, há risco de temporais localizados na hora da virada sobre o Rio Grande do Sul, inclusive na Grande Porto Alegre.

Entre quinta e sexta-feira (02), um novo sistema frontal se organiza e avança sobre a Região. Há risco de chuva moderada a forte com raios e rajadas de vento que podem superar os 60 Km/h. Na retaguarda desse sistema, uma massa de ar frio e seco entra, abrindo o tempo e derrubando a temperatura.

O mapa abaixo representa o acumulado de chuva para os próximos 5 dias, onde observam-se mais de 200 mm em áreas do centro-oeste gaúcho, do oeste de Santa Catarina e do sudoeste do Paraná.

 


10 fatos meteorológicos para não esquecer 2014 

Confira a previsão para a virada para 2015

Centro-Oeste: mais calor e menos chuva
quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Mais calor e menos chuva

Uma importante mudança nas condições meteorológicas será observada sobre o Brasil nos próximos dias. Uma grande massa de ar seco se intensifica sobre o país fazendo com que a nebulosidade e chuva diminuam sobre a Região Centro-Oeste. A redução da umidade do ar vai diminuir a frequência e a o volume das pancadas de chuva. A redução da nebulosidade e da chuva vai permitir um maior número de horas com sol forte, fazendo com que o ar se aqueça muito ao longo do dia. A população deve se preparar para dias de muito calor na última semana de 2014, com possibilidade de temperaturas em torno dos 40°C.

No mapa, os tons em vermelho-terra indicam volumes de chuva pequenos, abaixo até 30 mm, que poderão ser acumulados até o fim de dezembro.

 

Esta massa de ar seco está associada ao anticiclone subtropical do Atlântico Sul (ASAS), um sistema de alta pressão permanente na circulação geral atmosférica. Até o domingo, o centro deste sistema deve alcançar a região do sul de Goiás. A influência da ASAS será sentida por mais ou menos uma semana. Assim, o Centro-Oeste vai terminar 2014 com mais sol, mais calor e menos chuva. 

 

Amanhecer em Bataiporã (MS), 30-10-2014, por Gabriel Leam

 

Chuva dezembro supera a média nas capitais do CO

Campo Grande, capital de Mato Grosso do Sul, ganhou de presente de Natal a maior chuva em 24 horas de 2014, até agora. O Instituto Nacional de Meteorologia mediu 90,6 mm acumulados entre 10 horas do dia 24 e 10 horas de 25 de dezembro. Esta quantidade de chuva é muito elevada e correspondeu a 41% da média histórica de chuva para dezembro, que é de aproximadamente 229 mm. O total de chuva acumulado em 25 dias foi de 369,2 mm, valor que está 61% acima da média para o mês.

 

Chuva acima da média em dezembro

Áreas de instabilidade persistiram sobre o Centro-Oeste do Brasil durante o mês de dezembro provocando chuva frequente e volumosa. Temporais foram observados por toda a Região. Algumas áreas no leste de Mato Grosso, norte de Mato Grosso do Sul e no sudoeste de Goiás já acumulam chuva acima da média para dezembro.

 

Chuva acima da média em Brasília e em Goiânia

A chuva caiu forte também sobre Brasília. A região da capital federal teve diversos temporais. O Instituto Nacional de Meteorologia registrou em 25 dias 362,1 mm de chuva, valor que está 46% acima da média histórica para dezembro que é de 249 mm.

Em Goiânia, capital de Goiás, choveu 337,9 mm em 25 dias, 61% de chuva acima da média para dezembro que fica em torno dos 259 mm.

Em Cuiabá, capital de Mato Grosso, apesar da chuva frequente, o total de chuva acumulado em 25 dias de dezembro foi de 121,3 mm, 37% abaixo da média que a média é de 193 mm.

 

 

Retrospectiva: 10 tempos de 2014 que não vamos esquecer 

 Confira a previsão para o Ano Novo

 

 

 

Litoral de SP tem sol no primeiro fim de semana do verão
quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

A previsão sol para o litoral é o melhor presente de Natal que se poderia dar para a população,  depois da chuva torrencial que caiu no nos dias 22 e 23 de dezembro de 2014. Cidades da Baixada Santista e do Litoral Norte registram grandes alagamentos que deixaram carros debaixo d´água.

Em Santos, segundo dados da Defesa Civil, choveu 291,1 mm entre os dias 22 e 24 de dezembro, valor que já supera a média histórica de chuva para todo o mês de dezembro que é de aproximadamente 235 mm. O total acumulado desde o início do mês até manhã do dia 24 era de 369,2 mm.

São Sebastiao (SP) enchente em 23-12-2024 por Lucas Lima

 

ASAS do solA chuvarada foi provocada por uma frente fria que já está se afastando do litoral de São Paulo e do Rio de Janeiro. As áreas de instabilidade enfraquecem nesta quinta-feira, 25 de dezembro, o que vai permitir a diminuição da nebulosidade e a volta do sol ao litoral paulista. Mas o dia ainda será com muitas nuvens e com possibilidade de chuva fraca em alguns momentos.

 

Ubatuba (SP) 7-12-2014 por Karin Schimidt

 

A partir de sexta-feira, a nebulosidade diminui ainda mais e sol volta forte, fazendo a temperatura subir rapidamente. O primeiro fim de semana do verão promete sol, calor e pouca chuva nas praias de São Paulo, mesmo com a expectativa de chegada de outra frente fria no domingo, 28. Mas esta frente fria é fraca e não há risco de novos temporais.

A diminuição da nebulosidade e da chuva nos próximos dias está associada a intensificação da Alta Subtropical do Atlântico Sul (ASAS) sobre o Brasil.

Mar baixando

A maré alta colaborou para as enchentes do começo da semana no litoral de São Paulo. As ondas ainda estavam altas, em torno de 1,5m nesta quarta-feira, mas a tendência é de baixar.

Descubra as melhores ondas e a sua tribo no Climasurf

O coordenador da Defesa Civil de Santo, Daniel Onias, em entrevista no Climatempo News em 24/12/2014 comenta sobre a situação da Baixada Santista após as chuvas intensas. Ele revela as preocupações para a época de festas, quando a milhares de turistas passam pela região.

 

 

 

ASAS ganha força sobre o Brasil 

Confira as primeiras previsões para o Ano Novo!

Nível do Cantareira sobe pela primeira vez em 8 meses
quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

A imagem que você abaixo é de um pedacinho de uma das represas que compõem o Sistema Cantareira e foi captada pelo drone da Climatempo em outubro de 2014. O quero-quero para do lado de uma pequena poça de água em meio a enormes áreas secas.

 

Colocamos o chapeuzinho vermelho para representar o Papai Noel que trouxe no Natal de 2014 um dos maiores presentes para a população da Grande São Paulo: o nível do Sistema Cantareira subiu 0,3% entre os dias 23 e 24 de dezembro de 2014. Segundo a Sabesp, o nível de armazenamento era de 7,0% na manhã de 24 de dezembro. Foi a primeira vez que o Cantareira efetivamente subiu por causa da chuva volumosa e generalizada e não de maneira forçada, por injeção de “água do volume morto”. Choveu 52,4 mm sobre o Cantareira entre 23 e 24 de dezembro, segundo a Sabesp. O total de chuva armazenado em 23 dias foi de 140,0 mm, sendo que a média é de aproximadamente 220 mm.

 

A última vez que o nível do Cantareira efetivamente aumentou por causa da chuva foi entre os dias 15 e 16 de abril de 2014.

Entre os dias 22 e 23 de dezembro de 2014, a represa Cachoeira recebeu mais de 80 mm de chuva, O coração do Cantareira, a represa Jaguari, teve mais de 50 mm de chuva.

 

A chuva volumosa desta semana está muito abaixo do necessário para normalizar o nível do Cantareira e infelizmente a previsão para os próximos dias não é das mais animadoras.  Nos próximos dias, as condições de chuva vão diminuir porque uma massa de ar seco ganha força sobre a Região Sudeste do Brasil. Isto vai fazer com que a umidade e a nebulosidade diminuam, reduzindo a chance de chover. As pancadas de chuva ainda vão ocorrer, mas em pequenas áreas e em geral com pouco volume. Com o aumento do calor, a evaporação aumenta e o Cantareira  vai perder um pouco de água novamente. Esta situação de pouca chuva deve persistir pelo menos pelos próximos 10 dias.

 

 

O Canta e a Conta: um história real de Natal
terça-feira, 23 de dezembro de 2014

A frente fria que chegou a São Paulo trouxe chuva forte e volumosa também para o Sistema Cantareira. No começo da noite desta terça-feira, a chuva ainda caía generalizada sobre as represas e grandes volumes já haviam sido acumulado inclusive sobre a região da represa Jaguari, a maior que compõem o sistema, considerada o coração do Cantareira.

Pela medição do SAISP – Sistema de Alerta e inundações de São Paulo -, o total de chuva acumulado em 24 horas sobre a represa Jaguari, até 18h45 de 23 de dezembro de 2014, era de 58,2 mm. Na região da barragem Cachoeira o volume de chuva neste período chegava aos 81,8 mm.

 

São volumes bastante elevados e com tanta água assim, de uma só vez, é possível que os paulistas recebam um presente de Natal muito especial: uma real elevação do nível de água do Cantareira, o que não ocorre há mais de oito meses.

Sem contar os aumentos “forçados” do nível de água, quando foram acrescentadas as duas cotas de água do volume morto, a primeira em 15 de maio e a segunda em 24 de outubro de 2014, a última vez que houve uma real elevação do nível de água armazenada foi entre os dias 15 e 16 de abril de 2014. No dia 15 de abril choveu 27,1 mm, o que elevou o armazenamento de 12% para 12,3% no dia 16 de abril.

Com a chuva forte que caiu no dia 22 de dezembro, o nível do Cantareira ficou estável em 6,7%. Segundo a Sabesp choveu 27,7 mm. O total acumulado em 22 dias foi de 87,6 mm, sendo que a média histórica para dezembro é de aproximadamente 220 mm.

 

Mesmo que o nível do Cantareira suba efetivamente no dia 24 e/ou em 25 de dezembro, o volume de água armazenado ainda estará muito abaixo do necessário para chegarmos a um nível de armazenamento que seria considerado normal, na média para esta época do ano.

A conta da seca do verão de 2013/2014 já está sendo repassada para o bolso do consumidor e será paga em aumentos e multas nos próximos meses. A partir de primeiro de janeiro de 2015, o governo de São Paulo vai multar quem aumentar o consumo de água na cidade de São Paulo. A multa será de 20% para quem gastar até 20% acima da média de consumo entre fevereiro de 2013 a janeiro de 2014. Esta média já aparece na conta dos consumidores. Se gastar mais do que 20% desta média, a multa será de 50%.

E assim, moral da história, enquanto o Canta não enche, a conta sobe, o consumidor grita e paga.

Chuva de frente fria não chega ao ES
terça-feira, 23 de dezembro de 2014

A frente fria que trouxe temporais para São Paulo espalhou nuvens carregadas sobre o centro-oeste e sul de Minas Gerais e sobre o centro-sul do Estado do Rio de Janeiro. Várias áreas destas regiões registraram chuva moderada a forte nesta terça-feira.

Entre 15 horas do dia 22 e 15 horas de 23 de dezembro, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou 58 mm em Coronel Pacheco (MG), 55 mm em Passos (MG) e 54 mm no Parque Nacional de Teresópolis (RJ).

 

Mas as nuvens carregadas não conseguem avançar para o norte do Estado do Rio de Janeiro e nem para o Espírito Santo e para o nordeste de Minas Gerais, onde estão os vales dos rios Doce e do Jequitinhonha. Estas regiões continuam com sol muito sol e sem chuva.

 

A circulação dos ventos sobre o Brasil está causando um bloqueio ao deslocamento das nuvens carregadas. Será que a chuva desta frente fria vai conseguir chegara ao Espírito Santo e ao nordeste de Minas Gerais? Confira a explicação da meteorologista Josélia Pegorim.

 

 

Confira a previsão para o Natal! 

Um bom tempo pra você! 

Desidratação é um dos perigos do verão 

 

Guarapiranga sobe/ Chuva de dezembro supera a média
terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Chuva forte do dia 22 elevou o nível dos reservatórios

A chuva forte da tarde e noite de 22 de dezembro atingiu a Grande São Paulo de forma generalizada e foi volumosa também sobre os principais reservatórios que abastecem a Grande São Paulo

Segundo a Sabesp, entre a manhã do dia 22 e a manhã de 23 de dezembro de 2014 choveu 74,2 mm sobre o Guarapiranga. O nível de armazenamento de água subiu 1,4 % em relação ao observado na manhã de segunda-feira. O Sistema Alto Tietê recebeu 75,2 mm de chuva, subiu 0,4% entre os dias 22 e 23 de zembro. Choveu 27,7 mm sobre o Sistema Cantareira que ficou estável no mesmo período.

 

 

O grande volume de chuva do dia 22 de dezembro sobre o Guarapiranga contribuiu para que o total de chuva acumulado do mês superasse a média. Segundo a Sabesp, em 22 dias choveu 198,4 mm sendo que a média histórica para dezembro é de 175,2 mm.

Mais chuva

As áreas de instabilidade sobre a Região Sudeste se intensificaram com a chegada de uma frente fria. A previsão é de mais chuva para os próximos dias, mas a partir da sexta-feira, as pancadas de chuva serão mais curtas e com menos volumosas.

Os mapas mostram a chuva (manchas coloridas) prevista para a Grande São Paulo nos próximos 15 dias. O Sistema Cantareira aparece desenhado em roxo.

 

 

Represa Atibainha, em Nazaré Paulista, que compõem o Sistema Cantareira, por Reginaldo B. Neves

 

Confira a previsão para o Natal 

Um bom tempo pra você! 

Chuva diminui nesta terça na Grande SP
terça-feira, 23 de dezembro de 2014

A Climatempo já vinha alertando sobre os fortes temporais que atingiram a Grande SP e várias áreas do leste paulista entre a tarde de ontem (segunda) e a madrugada desta terça-feira (23). De acordo com o CGE, o Centro de Gerenciamento de Emergências da capital paulista, foram registrados 66 pontos de alagamentos na segunda-feira. Os volumes de chuva nos pontos de medição passaram um pouco de 100 milímetros em algumas regiões da cidade e vários córregos transbordaram.

A frente fria e o sistema de baixa pressão atmosférica que provocaram essa chuvarada agora estão enfraquecendo, conforme se deslocam para as áreas entre Rio de Janeiro e Goiás.

Nesta terça-feira a chuva também perde força sobre a Grande SP. Algumas áreas entre o litoral norte, vale do Paraíba, serra da Mantiqueira e as regiões norte e nordeste do Estado ainda podem ter chuva forte até a tarde, mas a Grande SP e a Baixada Santista já ficam livres dos temporais. Ainda chove com até moderada intensidade em alguns momentos. É possível acompanhar o desenvolvimento da chuva através dos radares meteorológicos da parceria Climatempo – USP, no link climatempo.com.br/radar-sp.

Ar frio entra em São Paulo

Além da chuva, a temperatura também vai diminuir na região metropolitana. A massa de ar frio que vem acompanhando a frente fria começa a avançar pelo Estado e provoca redução da temperatura no decorrer do dia. Na capital paulista a temperatura era de 21ºC às 09 horas, mas o dia vai terminar um pouco mais frio. À noite a temperatura deve ficar em torno de 18ºC.

 

 

Nuvens carregadas sobre São Paulo na noite de 22-12-2014 por Madeleine Hutyra

 

Acompanhe a chuva sobre a Grande São Paulo pelos radares Climatempo-USP. As leituras entre 10h30 e e 11h mostravam chuva moderada sobre a zona norte e também em áreas da zona leste da cidade.

 

Terça-feira segue instável na Grande SP
segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Atualizado às 03h05 de 23/12/2014

Áreas de instabilidade associadas a chegada de uma frente fria ao litoral de São Paulo provocaram chuva forte e volumosa nesta noite de segunda-feira na capital e Grande São Paulo.

 

Segundo o CGE-CET, às 22 horas a cidade de São Paulo tinha 8 pontos de alagamento, todos transitáveis.

Seguem dados dos volumes de chuva (mm) registrados por algumas estações meteorológicas automáticas do CGE até às 23h30.

 

Seguem os dados registrados pelo SAISP (Sistema de Alertas a Inundações do Estado de São Paulo) até as 21h50 de segunda-feira:

 

As últimas imagens dos radares meteorológicos Climatempo-USP mostram  chuva forte principalmente sobre a zona norte e leste de São Paulo. Outras áreas de chuva chuva forte estavam sobre Mairiporã e Guarulhos

   

São Paulo (SP) 22-12-2014 por Eduardo Tanaka

 


Acompanhe a chuva sobre a Grande São Paulo pelos radares Climatempo-USP

 Várias pancadas de chuva, com forte intensidade e com rajadas de vento intensas devem ocorrer em vários locais da capital e da Grande São Paulo no decorrer da noite. Grandes áreas de nuvens carregadas avançam do interior para a região da capital paulista por causa do deslocamento da frente fria.  A chuva vai se prolongar pela terça-feira, com previsão de grande volumes acumulados. É alto risco de alagamentos e transbordamento de córregos .

 Confira as informações com a meteorologista Josélia Pegorim 

  

Vento forte

Mesmo sem estar chovendo com raios, fortes rajadas de vento já são sentidas na Grande São Paulo desde ontem. São os ventos da direção noroeste que se intensificam com a chegada da frente fria. O aeroporto de Congonhas registrou rajada de 51 km/h às 9h e outra de 44 km/h às 7h. Ontem à tarde, várias rajadas atingiram velocidades entre 45 km/h e 55 km/h

Veja a chuva sobre  Grande SP

Confira a previsão para o verão 2015 para a Região Sudeste

Um bom tempo pra você!

 

Vem aí muita chuva para o Sudeste
sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

O último fim de semana da primavera, e início do verão, terá sol, calor e temporais no Sudeste. A nova estação começa com características típicas e também com a chegada de uma frente fria que promete espalhar muita chuva pela Região.

Chuva, sol e suor

O fim de semana ainda dará sol e calor nas praias do Sudeste, mas é preciso ficar atento com as pancadas de chuva do fim da tarde que devem vir com raios. O interior e todas as regiões metropolitanas vão poder contar com várias horas de sol no fim de semana, mas as pancadas de chuva dominam o tempo à tarde e à noite. Há risco de chuva forte e de raios em todos os Estados.

 

Panda de chuva na praia - Caraguatatuba (SP) por Vanessa Simões em 23-01-2014

 

O risco de temporais aumenta em São Paulo a partir da tarde do domingo por causa da aproximação de uma nova frente fria. Este sistema vai inaugurara o verão no Sudeste com muita chuva na primeira semana da estação. O verão começa oficialmente no domingo, às 21h03, pelo horário de Brasília.

Esta frente fria avança para o Rio de Janeiro na segunda-feira e no restante da semana fica quase parada entre o litoral do Rio de Janeiro e do Espírito Santo mantendo as áreas de instabilidade sobre o Sudeste. A expectativa é de que esta frente fria inicie a formação de uma ZCAS – Zona de Convergência do Atlântico Sul.

Grandes volumes chuva são esperados para o Sudeste nos próximos 10 dias, como mostram os mapas. O tom de verde escura indica um acumulado no período de ao menos 200 mm.

 

 

 

Atenção! Mar agitado na primeira semana do verão 

Confira o que o Papai Noel do tempo está trazendo de presente para o Natal do Brasil

Raios UV e o seu tipo de pele

Um bom tempo pra você!