Arquivo da Categoria ‘Chuva’

+ aumentar e diminuir fonte -
Frente fria provoca chuva em SP
segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Uma frente fria avança sobre São Paulo e nuvens carregadas estão crescendo em várias regiões do Estado. Pancadas de chuva já ocorrem em localidades do oeste, sul e até do norte do Estado.

Radares meteorológicos detectavam a chuva por volta das 14h30, mas nenhuma das áreas de chuva estava próxima ou se deslocava para a Grande São Paulo.

 

O choque entre o calor intenso que ainda é sentido por quase todo o Estado de São Paulo, com o ar frio que vem com a frente fria vai facilitar a formação de mais nuvens carregadas no decorrer da tarde e noite desta segunda-feira. Fortes pancadas de chuva, com raios e rajadas de vento acima dos 60 km/h poderão ocorrer em diversas áreas do Estado de São Paulo.

Confira a previsão para a Região Sudeste, pois tem mais chuva para os próximos dias em São Paulo.

Forte queda da temperatura ocorre na capital paulista nesta terça-feira

Leia também: Em pré-frontal Grande SP tem calor e risco de temporais

Sol e calor no Rio de Janeiro
segunda-feira, 15 de setembro de 2014

O ar seco ainda predomina sobre o centro-norte do Sudeste e garante tempo firme e calor sobre o Estado do Rio de Janeiro na segunda-feira (15). A temperatura sobe rápido com o predomínio do sol e a umidade relativa do ar tende a cair por conta do ar mais seco que tende a descer das camadas superiores da atmosfera em direção à superfície (fenômeno conhecido em meteorologia por subsidência de ar).

Na imagem do satélite meteorológico, os tons de marrom significa que não há a presença de nebulosidade. Em condições como esta a concentração de vapor d’ água no ar é muito pequena.

Imagem de satélite do canal do infravermelho realçado

O tempo muda na terça-feira (16)

No entanto, o calorão e ar mais seco já tem data para se afastar do Rio de Janeiro. Na terça-feira começam as instabilidades pré-frontais, que já indicam a chegada de uma frente fria. O dia vai começar ainda com predomínio de sol e um ar abafado, isso vai favorecer a formação de nuvens carregadas que vão provocar pancadas de chuva principalmente entre o final da tarde e a noite. Como há um forte contraste entre a massa de ar mais quente que está na região e o ar mais frio e úmido que virá com a frente fria, há o risco de grandes nuvens se desenvolverem e provocarem temporais.

Previsão de mar agitado

A presença do ciclone extratropical irá organizar o vento que por sua vez vai perturbar o mar de uma forma bastante efetiva sobre a costa do Rio de Janeiro. Há previsão de agitação do mar e de forma mais localizada pode ocorrer ressaca com on das que alcançam os 2,5 metros de altura.

Sul tem sol, calor e temporais
sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Depois de 48 horas, finalmente a chuva deu trégua na Grande Porto Alegre. Muitas áreas na região metropolitana da capital gaúcha ficara alagadas por causa da chuva volumosa e constante desde quarta-feira. Em Campo Bom, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou 70 mm de chuva acumulados entre o meio dia de 11 de setembro e meio-dia de 12 de setembro.

A sequência de imagens de satélite mostra o enfraquecimento das áreas de instabilidade sobre o Rio Grande do Sul. As nuvens carregadas (manchas em azul claro) se afastaram para o mar. O tom marrom indica que áreas com pouca nebulosidade.

 

Calor, sol e nova frente fria

Os gaúchos vão ter o sol e o calor de volta neste sábado, mas os temporais também devem recomeçar na fronteira com o Uruguai por causa da chegada de outra frente fria. Será o segundo evento de tempestades sobre a região esta semana.

O sol reaparece e o ar esquenta muito neste sábado. A sensação será de calor abafado para os gaúchos. O ar quente que entra no Sul vai elevar também as temperaturas em Santa Catarina e no Paraná. Nestes dois estados, as pancadas de chuva da nova frente fria serão sentidas no domingo.

A animação mostra a evolução das áreas de chuva (manchas coloridas) sobre o Sul nos fim de semana. As cores amarela, vermelha, rosa indicam chuva forte.

 

Entenda porque a nova frente fria poderá trazer novos temporais

Nuvens carregadas provocam chuva em Porto Alegre
sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Áreas de instabilidade ainda circulam pela Região Sul do Brasil e provocam pancadas de chuva no centro-leste do Rio Grande do Sul. Até mesmo a Região Metropolitana de Porto Alegre tem registros de chuva ao da manhã da sexta-feira (12).

Imagem de satélite do canal do infravermelho realçado

Os volumes de chuva aumentaram sobre grande parte do Estado e o acumulado chegou a ultrapassar os 60mm em 12 horas.

A chuva se intensifica no fim de semana. Os ventos transportam algumas áreas de instabilidade já no sábado e vai deixar o céu carregado de nuvens no Estado do Rio Grande do Sul. Há o risco de chuva forte. As nuvens carregadas se intensificam no domingo com a presença de uma frente fria, o céu ficará com muitas nuvens e são esperados grandes volumes de chuva de forma abrangente.

Chuva enfraquece no Sul
quinta-feira, 11 de setembro de 2014

A recente passagem de uma frente fria pelo Sul do Brasil provocou chuva volumosa e uma forte queda da temperatura sobre o Rio Grande do Sul e em algumas áreas de Santa Catarina, mas o Paraná teve apenas algumas nuvens e continuou quente.

 

 

 

A quinta-feira foi marcada por muita chuva entre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Entre 19 horas do dia 10 e 19 horas de 11 de setembro, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou 74 mm sobre Teutônia, 69 mm sobre Campo Bom e Ibirubá, 62 mm sobre Tramandaí e 57 mm sobre Cruz Alta. São volumes de chuva elevados, para um período de 24 horas, com potencial para alguns alagamentos. Na quarta-feira, esta frente fria provocou tempestades no Rio Grande do Sul, com rajadas de vento de quase 90 km/h.

Nesta sexta-feira, as áreas de instabilidade deixadas pela frente fria enfraquecem. A chuva não para completamente sobre o Rio Grande do Sul, mas voltam a ocorrer períodos com sol. Pouca chuva ocorre sobre Santa Catarina, apesar da grande nebulosidade. O sol e tempo seco predominam no Paraná, mas a Grande Curitiba e o litoral ficam úmidos, com muitas nuvens.

Mas até o fim do inverno, mais duas frentes frias passam sobre o Sul do Brasil. A primeira vem neste próximos fim de semana e com mais temporais.

Veja a simulação do deslocamento e da intensidade das áreas de chuva

 

Confira detalhes da previsão com a meteorologista Josélia Pegorim.

 

 

Chuva aumenta no litoral de SE e de AL
quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Os ventos úmidos que sopram do mar em direção ao continente, são intensificados com a presença de um sistema de alta pressão no oceano Atlântico Sul. Isso favorece o desenvolvimento de nuvens bastante carregadas que provocam chuva desde a manhã da quinta-feira (11) principalmente sobre o litoral de Sergipe e de Alagoas.

Imagem de satélite do canal do infravermelho realçado

 

Em apenas 3 horas Coruripe-AL registrou um acumulado de chuva de 11mm. No mesmo período a capital do Sergipe, Aracaju, registrou cerca de 5mm.

Mais chuva para Sergipe, Alagoas e Bahia

A sexta-feira (12) ainda terá tempo bastante instável sobre Sergipe e Alagoas. Os volumes de chuva tendem a aumentar com a persistência da nebulosidade e dos ventos provenientes do mar se intensificando. No sábado (13) as áreas de chuva mais forte se distribuem sobre o leste da Bahia, o céu ficará carregado de nuvens e há previsão de chuva forte.

As áreas de instabilidade perdem força no domingo (14) e a tendência é de que ocorram apenas rápidas pancadas de chuva para aliviar as altas temperaturas.

Mapa de previsão de chuva para os próximos 5 dias

 

O grande vilão da primavera
quarta-feira, 10 de setembro de 2014

A primavera começa oficialmente no dia 22 de setembro, às 23h29, pelo horário de Brasil. Diante da grave crise hídrica pela qual o Brasil está passando, a ansiedade pela chuva da primavera é cada vez maior. Ela já começou a cair esporadicamente, mas os períodos de dias secos ainda são muito maiores do que os dias com chuva.

Em anos normais, a chuva aumenta gradualmente no decorrer da primavera, mas junto com a chuva vem também o aumento do calor. A primavera é naturalmente a estação do aumento das temperaturas.

O mapa mostra o trimestre com maiores médias de temperaturas do ar no Brasil. Os marcadores em roxo, azul e verde claro aparecem em grande parte do país e incluem todos os meses de primavera: roxo (agosto, setembro, outubro), verde (setembro, outubro, novembro), azul (outubro, novembro, dezembro).

 

 

A primavera é também a estação do retorno gradual da chuva, mas por causa do aumento do calor, a perda por evaporação natural também é muito alta.

Os mapas mostram a média de chuva e a evaporação. A média de chuva só começa efetivamente ser maior e compensar a evaporação durante o mês de novembro.

 

 

 

 

A meteorologista Josélia Pegorim explica porque o calor que vem por aí poderá ser o grande vilão da primavera.

 

Litoral de PE, PB e RN: chuva diminui, mas situação é de atenção
terça-feira, 9 de setembro de 2014

As áreas de instabilidade que provocam  muita chuva desde domingo em parte da costa leste do Nordeste já estão perdendo força. A chuva já diminuiu bastante no litoral de Pernambuco e da Paraíba, inclusive sobre as capitais Recife e João Pessoa. Na região de Natal, capital do Rio Grande do Norte, a chuva também já dava sinais de enfraquecimento no começo da noite desta terça-feira.

As imagens de satélite mostram a diminuição da nebulosidade na costa leste do Nordeste. As nuvens com maior potencial para chuva moderada a forte (manchas amarelas no litoral do Rio Grande do Norte) estão se dissipando.

 

 

Para a quarta-feira, a previsão é de que ainda chova ao em vários locais da costa leste do Nordeste, mas a chuva não deve ser persistente e constante como foi entre o domingo e esta terça-feira. As pancadas podem ocorrer a qualquer hora, mas já com a presença do sol.

Atenção com a quinta-feira

Porém, ainda há motivo de preocupação. As simulações das áreas de chuva para os próximos dias feitas em supercomputadores indicam uma nova intensificação da instabilidade na quinta-feira. Se as previsões se confirmarem, a chuva volumosa desta vez deve ocorrer entre Recife e Aracaju.

A região metropolitana de Recife, de João Pessoa e de Natal sofreram com a chuva volumosa nos últimos dias. Alagamentos, deslizamentos de terra, queda de árvores e transbordamento de lagoas de captação de água para abastecimento foram alguns dos problemas causados pela chuva forte, que já não é comum nesta época. A chuva foi tão volumosa e atípica entre 7 e 9 de setembro, que as três capitais registraram mais chuva do que normalmente ocorre durante todo o mês de setembro.

O gráfico mostra a quantidade de chuva acumulada entre os dias 1 e 9 de setembro, até 9 horas da manhã,  e a média normal para setembro, com dados dos Instituto Nacional de Meteorologia.

Leia também: João Pessoa vem tendo chuva atípica em setembro nos últimos 5 anos

Compartilhe a informação sobre as condições do tempo na sua cidade com a Climatempo

Participe!

Pelo site:  envie sua foto

Pelas redes sociais: #fotografeotempo

Pelo Whatsapp: (11) 9 9420-7548

Chuva atípica em João Pessoa!
terça-feira, 9 de setembro de 2014

por Maria Clara Machado

Os meses de setembro têm sido atípicos em João Pessoa, na Paraíba, com eventos de chuvas volumosas e processo erosivo em praias da região. Nestes primeiros nove dias de setembro de 2014, o acumulado de chuva na capital já chega a 159 milímetros, de acordo com o Instituto Nacional de Meteorologia. O volume representa quatro vezes mais do que a média de chuva para setembro. Acompanhe o que diz o Diretor de Minimização de Desastres da Defesa Civil de João Pessoa (PB), Alberto Sabino.

A costa leste do Nordeste ainda vai permanecer em atenção nos próximos dias. Na quinta-feira, a chuva volta a se intensificar e há risco de chuva forte em áreas litorâneas, especialmente entre João Pessoa e Aracaju.

Céu carregado em João Pessoa nesta terça-feira. Foto: Emanuel Cavalcante

Veja mais:

Muita chuva em João Pessoa (PB)

 

Mais chuva para Natal (RN)
segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Atualizado às 9h30 do dia 09/09/2014

As áreas de instabilidade já provocaram muita chuva desde a madrugada de terça-feira na capital potiguar. Conforme dados do INMET, o volume de chuva  já chega a 49,2 mm em Natal, capital do Rio Grande do Norte. E a  previsão é de mais chuva ao longo do dia, e ainda de forma volumosa.

As áreas de instabilidade que estão provocando muita chuva sobre Recife e João Pessoa persistem na terça-feira e tendem a avançar também em direção a Natal.

Chove sem parar sobre o leste de Pernambuco e de Paraíba desde a noite de sábado. A quantidade de chuva sobre João Pessoa superou a média normal para todo mês de setembro. Em Recife, por causa da chuva volumosa deste início de semana, o total de chuva acumulado entre 1 e 8 de setembro superou a média mensal.

Pela medição automática do Instituto Nacional de Meteorologia, choveu 108,8 mm sobre João Pessoa no período de 18 horas do domingo até 18 horas da segunda-feira, 8 de setembro. A média normal de chuva fica em torno dos 41 mm.

Em Recife, no mesmo período, choveu 78,8 mm sendo que a média para setembro é de 122 mm. Mas na estação do Curado, o total acumulado de 1 a 8 de setembro, até 9 horas da manhã, era de 131 mm.

Na animação, as manchas em amarelo e alaranjado indicam chuva moderada a forte. Esta instabilidade avança em direção a Natal

 

 

Toda a chuva que está caindo sobre Recife está associada a áreas de instabilidade que se formaram na costa leste do Nordeste, após a passagem de uma frente fria pelo litoral da Bahia.

Para Recife, ainda há previsão de chuva constante  até a manhã de terça, quando as áreas de instabilidade devem começar a enfraquecer no litoral de Pernambuco. Mas em João Pessoa, a chuva só deve dar trégua à noite ou na quarta-feira. Para Natal, a tendência é de aumento da chuva no decorrer da terça-feira.

 

 

Leia também: Chuva não para em Recife