Arquivo da Categoria ‘Chuva’

+ aumentar e diminuir fonte -
Acumulado de chuva para o Brasil nos próximos dias
terça-feira, 3 de março de 2015

por Lívia Fernanda

A produção paranaense de grãos durante as três safras plantadas no ano agrícola 2014/15 deve crescer cerca de 2% em relação à safra anterior. Entre as commodites estão trigo, milho e feijão. Mas, de acordo com a Secretaria da Agricultura e do Abastecimento (Seab), o resultado ainda pode ser alterado pelo comportamento do clima e por problemas de logística, como a greve dos caminhoneiros que afeta diretamente o setor. Confira qual será a tendência do acumulado de chuva para os próximos 7 dias em todo o Brasil.

Onda de leste provoca temporais no Nordeste
terça-feira, 3 de março de 2015

A chuva chegou com forte intensidade à diversas áreas nordestinas ao longo do início desta semana. No norte do Nordeste a chuva se deve a já conhecida Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) que mesmo enfraquecida ainda é capaz de trazer chuva para o Maranhão, Piauí e Ceará. As correntes de vento úmido vindos de leste também provocam chuva no litoral leste do Nordeste e serão reforçadas ao longo dos próximos dias devido a presença de uma onda de leste.

Nas imagens do satélite meteorológico é possível verificar o avanço de tais instabilidades do oceano se aproximando da costa leste nordestina, os tons em azul indicam a presença de grandes nuvens que são capazes de provocar temporais.

A chuva já cai com forte intensidade em áreas do Piauí, em Paulistana o volumes acumulado de chuva entre a madrugada e a manhã da terça-feira (03) já totaliza 70mm.

Clique na imagem e veja o satélite de todo o Brasil

Ao longo dos próximos dias a tendência é de mais chuva para o leste do Nordeste devido ao avanço de tais instabilidades vindas do oceano. Alerta para temporais a partir da quarta-feira (04) entre o Rio Grande do Norte, leste da Paraíba e Pernambuco. Na quinta-feira (05) o leste de Alagoas e Sergipe também deverão receber os temporais.

Na sexta-feira (06) todo o leste nordestino tem o risco de fortes pancadas de chuva com grandes volumes acumulados que são capazes de provocar alagamentos e inundações.

As áreas do litoral norte continuam com muitas nuvens e pancadas de chuva devido a presença da Zona de Convergência Intertropical.


Veja também a previsão de chuva ao longo dos próximos 15 dias para todo o Brasil!

Segundo dia sem chuva no Cantareira
terça-feira, 3 de março de 2015

O ar seco chegou com força sobre as áreas de captação do Sistema Cantareira e pelo segundo dia consecutivo as estações de medição da Sabesp não registraram chuva. Mesmo sem chuva o sistema continua estável. Os demais reservatórios, Alto do Tietê e Guarapiranga, chegaram a registrar uma elevação em relação aos volumes observados na segunda-feira (02).

 

A economia de água feita pela população e a água vinda dos afluentes também auxiliam em tal estabilidade. Até o momento com volume de 11,7%, o sistema Cantareira a dívida da 2ª cota da reserva técnica foi saudada, retirada em 24/10/2014. Para cobrirmos a 1ª cota da reserva técnica é necessário que o volume disponível para consumo alcance 18,5%.

Desde o início de fevereiro, o Sistema Cantareira registra elevação ou estabilidade. A média de elevação é de 0,2% ao dia.  Se mantivermos este índice de elevação ao dia, em 15 de março o nível de armazenamento chegaria aos 14,1%, marca almejada pelo governo paulista para evitar um racionamento amplo oficial.

Há exatamente um ano, no dia 03 de março de 2014, o nível do reservatório estava em 16,4% de armazenamento só que do volume útil.

E a previsão ao longo dos próximos dias também não é animadora para as áreas de captação de agua de São Paulo. O forte ar seco impede a formação de grandes nuvens de chuva e a organização de grandes áreas de instabilidade. Até o fim desta semana a tendência é de pouca chuva sobre o Cantareira, Alto do Tietê e Guarapiranga, o que pode afetar diretamente os volumes disponíveis para consumo dos três reservatórios. Entre o fim desta semana e o início da próxima, já há o risco de pancadas de chuva forte que vão trazer volumes maiores de chuva para os reservatórios.

A animação com a previsão de chuva até o dia 17 de março, mostra que ao longo da próxima semana a tendência é de mais chuva tanto sobre a Região Metropolitana de São Paulo quanto sobre o sul de Minas Gerais onde ficam as áreas de captação dos principais reservatórios que abastecem a cidade. Os tons em verde representam volumes de chuva que podem atingir os 100mm acumulados, já os tons em laranja indicam acumulados que dificilmente chegam aos 15mm.

Rio Acre tem cheia histórica e mais chuva
segunda-feira, 2 de março de 2015

A capital do Acre, Rio Branco, decretou calamidade pública no domingo por causa da cheia do rio Acre. No domingo, segundo a prefeitura, o nível do rio atingiu a marca de 17,66 m igualando a maior cheia histórica em 132 anos. Mas nesta segunda-feira, o nível das águas atingiu a marca de 17,96 m, segundo o Sistema de Monitoramento Hidrológico da Agência Nacional de Águas.

No domingo, Rio Branco já tinha mais de 5800 desabrigados. Segundo análise do SIPAM – Sistema de Proteção da Amazônia, a chuva que vem se acumulando especialmente na encosta leste dos Andes na Colômbia, Bolívia e Peru está contribuindo para elevar o nível dos rios na Amazônia Brasileira.

Previsão de mais chuva

A situação no Acre e também na região do rio Juruá no sul do Amazonas e do Madeira, em Rondônia, poderá se agravar nos próximos dez dias com previsão de mais chuva. As pancadas de continuam frequentes sobre o Acre, mas por toda a Região Norte.

 

 

 

Pouca chuva sobre o reservatório de Tucuruí

Apesar dos problemas da enchente que já ocorrem no Acre, em Rondônia e em parte do Amazonas, a chuva no norte do Pará, onde está o reservatório da hidrelétrica de Tucuruí tem tido menos chuva do que o normal.  O mês de março marca o pico do período chuvoso na porção norte do Nordeste e também em parte do Norte do Brasil. Qual a expectativa para o restante do período chuvoso no extremo norte do Brasil? Entenda porque este ano Tucuruí pode não “sangrar”, ou verter água. Confira a análise do meteorologista Alexandre Nascimento

 

Volume de chuva para o Brasil nos próximos 7 dias
segunda-feira, 2 de março de 2015

por Lívia Fernanda

Dez municípios do Acre sofrem com a cheia dos rios. Comunidades próximas à capital Rio Branco estão com plantações debaixo d’água. A macaxeira resiste ficar dentro da água por no máximo três dias e por pouco o agricultor não perdeu tudo. O Rio Acre está mais de dois metros acima da cota de transbordamento e produtores de outras regiões fazem o possível para salvar suas plantações. Confira qual será a tendência do acumulado de chuva para os próximos 7 dias em todo o Brasil.

Frente fria passa rápido e traz chuva para o RS
segunda-feira, 2 de março de 2015

Um sistema de baixa pressão atmosférica organiza muitas nuvens carregadas desde o início da segunda-feira (02) sobre o Estado do Rio Grande do Sul, especialmente sobre áreas da Fronteira Oeste, Campanha, Noroeste e Centro Gaúcho, onde o céu ficou cheio de nuvens como pode ser visto nas imagens do satélite meteorológico.

Clique na imagem e veja o satélite para todo o Brasil

Ao longo do início da tarde, o centro de baixa pressão atmosférica estava na fronteira entre a Argentina e o Uruguai. O centro da baixa pressão vai se posicionar na costa do Rio Grande do Sul e dar origem à uma frente fria que também vai espalhar instabilidades no oeste catarinense e paranaense. As demais áreas do Sul não tem previsão de chuva.

Na terça-feira (03) a frente fria se afasta, mas ainda há o avanço de instabilidades que provocam pancadas de chuva principalmente entre a tarde e a noite. Não chove no leste de Santa Catarina, Vale do Itajaí e no centro-leste do Paraná incluindo Curitiba.

Durante a semana a chuva vai voltar para as demais áreas do Sul por conta da formação de um novo sistema de baixa pressão atmosférica na costa gaúcha.

Cantareira: efeito enganador da chuva de fevereiro
sábado, 28 de fevereiro de 2015

Depois dos 28,7 mm de chuva que caíram entre os dias 27 e 28 de fevereiro de 2015, o nível de armazenamento do Sistema Cantareira subiu 0,3% e fevereiro terminou com 11,4%. No dia primeiro de fevereiro, o nível do Cantareira estava em 5,0%. Em 28 de fevereiro de 2014, o nível estava em 16,4%, mas a água era do volume normal, útil, e não do volume morto.

A chuva frequente durante o mês de fevereiro de 2015 possibilitou uma grande recuperação do Cantareira. Ao longo do mês não houve nenhuma diminuição no nível de armazenamento, apenas estabilidade ou elevação. O gráfico mostra o comportamento da elevação do Cantareira desde o início de 2015. A cor vermelha indica queda, o amarelo, estabilidade e o roxo representa elevação.

 

 

O nível do sistema Alto Tietê ficou estável entre os dias 27 e 28 de fevereiro e o Guarapiranga subiu 0,2%. Entre estes dois dias choveu 2,6 mm sobre o Alto Tietê, mas não houve registro de chuva sobre o Guarapiranga.

 

 

Acabou a seca?

A chuva foi frequente sobre os mananciais que abastecem a Grande São Paulo ao longo todo o mês de fevereiro de 2015. Choveu forte em vários dias. Pelas medições da Sabesp, o volume de chuva acumulado no fim do mês superou média histórica em quase todos os mananciais. Apenas o Sistema Rio Grande fechou o mês com acumulado de chuva ligeiramente abaixo da média.

O Sistema Cantareira chegou ao fim de fevereiro com 322,4 mm de chuva acumulados, o que representa 62% de chuva acima da média histórica, que é de 199,1 mm. Segundo dados da Sabesp, fevereiro de 2015 foi o fevereiro com maior quantidade de chuva sobre o Cantareira desde 1995, quando choveu 388,0 mm. Foi o fevereiro mais chuvoso em 20 anos.

 

Mesmo com a grande recuperação dos mananciais neste mês de fevereiro, a crise hídrica em São Paulo está muito longe de terminar. O nível de armazenamento de 11,4% do Cantareira no fim do mês paga apenas a segunda cota de água (10,7%)  retirada do volume morto das represas. No total, foram “emprestados” 29,2% de água em duas cotas. A dívida da segunda cota é de 18,5% e está começando a ser saldada.

Ainda há previsão de chuva para março, mas que não deve ser tão generosa como a de fevereiro. A partir de abril, as condições para chuva vão ser reduzidas naturalmente. O número de dias sem chuva vai aumentar nos meses de outono e inverno, época de estiagem normal. Um dos problemas a partir de agora será o “efeito enganador” da chuva de fevereiro, que pode fazer com que muita gente relaxe na atitude de economizar água. O aumento do consumo acima da média estabelecida para cada contribuinte já reflete num aumento do quanto se paga no fim do mês, mas mesmo assim, a melhora do Cantareira em fevereiro poderá ter um efeito emocional negativo: gasto mais e banco a conta. Será?  A população não pode parar de economizar, não pode relaxar na economia.  O céu vai fechar de vez a torneira brevemente.

 

Previsão para o começo de março

A previsão indica mais chuva nos próximos 15 dias. Todos os mananciais devem continuar tendo pancadas de chuva frequentes. Porém, a tendência é de que a chuva seja menos frequente após o dia 10.

 

 

 

 

Chuva de fevereiro deu apenas pequeno alívio na crise energética

Já fotografou o tempo hoje?

O que significa o Cantareira em 14%, nível desejado pelo governo paulista para afastar um racionamento?

MG e ES devem ter chuva forte no fim de semana
sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Durante o fim de semana, uma frente fria avança pelo litoral da Região Sudeste e deve alcançar o litoral do Espírito Santo. Com a passagem da frente fria, os ventos marítimos se intensificam sobre o Sudeste e vão trazer mais umidade para Minas Gerais e também para o Espírito Santo . Isto vai ajudar formar mais nuvens carregadas durante o fim de semana. Há risco de chuva forte sobre os dois estados no fim de semana. As capitais Belo Horizonte e Vitória também podem ter chuva forte chuva forte.

 

 

A meteorologista Josélia Pegorim cometa o aumento da chuva sobre estes dois estados.

 

 

Litoral do Sudeste tem mar agitado

A intensificação dos ventos na costa Sul e Sudeste do Brasil no fim de semana deixa o mar agitado. As ondas crescem no fim de semana, mas não há expectativa de ressaca.

Confira os detalhes da previsão das ondas

Confira as ondas na sua praia e ache a sua tribo no Climasurf

Belo Horizonte tem mês mais chuvoso em dois anos

 

O total de chuva acumulado em Belo Horizonte em fevereiro de 2015 já o maior desde abril de 2014. Segundo as medições do Instituto Nacional de Meteorologia, no centro da cidade, em 26 dias de fevereiro choveu 228,6 mm, valor que supera em 11% a média para o mês, que é de 206 mm. Em abril de 2014 choveu 235,3 mm

 

 

As pancadas de chuva de fevereiro na região da Grande Belo Horizonte estão ajudando a elevar o nível do Sistema Paraopeba, que abastece de água a região metropolitana da capital mineira.

 

Já fotografou o tempo hoje?

Confira a previsão de chuva para o Brasil para 15 dias

Como será a chuva no Sudeste no mês de março?

 

Rio de Janeiro vai ganhar vento polar de presente
sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Tem faltando e chuva e ventos de frente fria no Rio de Janeiro e muitos cariocas reclamam do calor. A sensação de abafamento foi constate durante o mês de fevereiro, mas a matemática mostra que o calor de fevereiro de 2015 não ficou tão acima da média como parece.

A média da temperatura máxima no Rio para fevereiro,  de 2002 a 2011,  é de 34,3°C na região da Saúde, no centro da cidade. Nos locais mais quentes, a média das temperaturas máximas em fevereiro de 2014 ficou em torno de  37°C. Em fevereiro de 2015, até o dia 27, esta média foi de aproximadamente 35°C. Dois graus de diferença é muita coisa e prova que o calor deste fevereiro que está terminando foi bem menor do que o observado o ano passado.

 

Fevereiro é época mesmo de muito calor no Rio de Janeiro, mas este ano nem deu 40°C no Rio.  Em fevereiro de 2015, a temperatura alcançou ou passou dos 40°C  em sete dias e quase todos consecutivos.

Aniversário com frente fria

Mesmo sem calor tão intenso como no ano passado, é fato que a chuva anda escassa na capital e em todo o Estado do Rio Janeiro. A sensação térmica passou dos 40°C em muitas horas durante o mês de fevereiro. Assim, talvez o melhor presente para o Rio seja justamente um pouco de chuva e de ventos de frente fria.. A cidade do Rio de Janeiro completa 450 anos no domingo, 1 de março.

 

Rio de Janeiro (RJ) em 12-12-2014, por Janis Liekmanis

 

Durante o fim de semana, uma frente fria avança pelo litoral da Região Sudeste e deve alcançar o litoral do Espírito Santo. Com a passagem da frente fria, os ventos marítimos se intensificam sobre o Sudeste e vão trazer mais umidade para também para o Rio de Janeiro. O aumento da velocidade dos ventos vai ajudar a aliviar o calor. A injeção de umidade vai colaborar para formar mais nuvens durante o fim de semana. Há risco de chuva moderada a forte sobre o do estado no fim de semana.

A temperatura vai cair um pouco em todo o Estado do Rio no fim de semana, por causa dos ventos, da chuva e do aumento da nebulosidade. Confira a temperatura prevista para a cidade do Rio.

 

 

Mar agitado

A massa de ar polar que (sistema de alta pressão) que ganha força nos próximos dias na costa do Sul e do Sudeste e vai intensificar os ventos em alto-mar. Isto vai deixar o mar agitado e favorecer o aumento da altura das ondas que chegam às praias do Sul e Sudeste do Brasil durante o fim de semana.

O pico do swell deve ser durante o domingo e a segunda-feira.

Confira as informações das ondas no Climasurf.

Veja o comentário das meteorologista Josélia Pegorim

Como será a chuva no Sudeste no mês de março?

 

Aproximação da lua cheia ajuda na maré.

Chuva perde força no fim de semana no Sul
sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Fortes áreas de instabilidade avançam sobre o Sul do país e provocam pancadas de chuva com forte intensidade. Até mesmo em Porto Alegre a chuva vem em forma de temporais. O satélite meteorológico mostra o avanço de nuvens carregadas pela Fronteira Oeste Gaúcha, é possível também ver o avanço das nuvens carregadas do oceano em direção em litoral do Rio Grande do Sul e que vão provocar chuva também sobre o leste catarinense e paranaense.

Clique na imagem e veja o satélite para todo o Brasil

A chuva veio com forte intensidade também em áreas de Santa Catarina, o município de Xanxerê registrou um total de 19,8mm em apenas uma horas.

No sábado (28) o sol já volta a aparecer forte na maior parte do Rio Grande do Sul. A chuva só deve acontecer no Noroeste e no Norte gaúcho. Apesar da grande quantidade de nuvens não há o risco de chuva no litoral do Rio Grande do Sul. A circulação de umidade do oceano vai provocar bastante chuva sobre o leste catarinense e paranaense e deixar o céu carregado de nuvens desde cedo.

No domingo (01) muitas nuvens desde cedo se formam sobre o oeste gaúcho. O predomínio será de uma condição típica de verão, sol forte, calor e pancadas de chuva a partir da tarde. Não chove no leste do Rio Grande do Sul e no litoral sul de Santa Catarina. O leste do Paraná ainda terá um dia com muitas nuvens e pode chover desde cedo também em Curitiba.