Arquivo da Categoria ‘Chuva’

+ aumentar e diminuir fonte -
RJ: Chuva enfraquece, mas frio aumenta
segunda-feira, 28 de julho de 2014

O avanço da frente fria durante a última semana provocou uma grande mudança no tempo sobre o Sudeste do Brasil. No Rio de Janeiro os dias de sol e céu azul deram lugar às nuvens e às pancadas de chuva.

Os volumes de chuva subiram bastante. Principalmente sobre Paraty, onde o acumulado no último final de semana, isto é, durante o sábado (26) e domingo (27), foi de 51,2mm, segundo informações do Instituto Nacional de Meteorologia.

Na segunda-feira (28) o ar úmido ainda circula pelo Estado do Rio de Janeiro. Há o risco de chuva a qualquer momento, mas a chuva com maior intensidade deve ocorrer ao longo da tarde e do início da noite. Na terça-feira (29) a chuva perde intensidade e a tarde já deve ter um pouco mais de sol. No entanto, o calor ainda não volta, os ventos de sul ainda transportam o ar polar, o que mantém a temperatura mais baixa.

Rio de Janeiro: chuva diminui, mas calor não volta ainda
domingo, 27 de julho de 2014

Rio de Janeiro começa a semana sem sol

Depois de bater recorde de tarde mais fria do ano, o Rio de Janeiro começou a semana debaixo de muita chuva.

As áreas de instabilidade de uma frente fria, que já estavam sobre o Rio de Janeiro, foram reforçadas no domingo com a chegada de outra frente fria. Isto intensificou os ventos marítimos que jogaram ainda mais umidade sobre o Rio, alimentando as nuvens.

 

 

As áreas de instabilidade enfraquecem nesta segunda-feira e o tempo fica menos instável. O Grande Rio ainda terá um dia nublado, com chuva, mas de fraca intensidade. A temperatura continua amena. O sol reaparece no Rio só a partir de terça-feira.

Confira a previsão para a cidade do Rio de Janeiro. A semana deve terminar recorde de frio na madrugada e tarde quente.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, a tarde do sábado, 26 de julho, foi a mais fria no Rio de Janeiro com temperatura máxima de 20,1°C. O recorde aconteceu com a combinação de ar polar forte e falta de sol.

Veja os recordes deste fim de semana nas capitais do Sudeste.

 

Atenção: chuva aumenta na costa leste do Nordeste
domingo, 27 de julho de 2014

Áreas de instabilidade estão se intensificando na costa leste do Nordeste e uma frente fria avança pelo litoral da Bahia. As imagens de satélite já começaram a mostrar núcleos de nuvens carregadas crescendo no sul da Bahia, no leste de Pernambuco e da Paraíba. A situação é de atenção, pois a chuva tende a aumentar. Recife, João Pessoa, Salvador são as capitais mais sujeitas a problemas com chuva neste início de semana.

Não deixe de conferir a previsão para o Nordeste!

 

 

Chuva no Grande no Rio continua até a noite
domingo, 27 de julho de 2014

As áreas de instabilidade de uma frente fria, que já estavam sobre o Rio de Janeiro, começaram a ser reforçadas no fim da manhã deste domingo. A chegada de uma outra frente fria, que tecnicamente já estava sendo esperada para hoje, intensificou os ventos marítimos. A base militar de Santa Cruz registrou rajadas de 57 km/h ao meio-dia. Pode ventar forte no decorrer da tarde em outras áreas do Grande Rio e há risco de raios.

 

 

As áreas de instabilidade vão persistir pela tarde e noite. A chuva cai moderada a forte em algumas horas, em várias regiões do Grande Rio. Pela medição do Alerta Rio – Prefeitura da cidade do Rio de Janeiro, choveu quase 26 mm sobre a Rocinha entre 12h35  e 13h25, o que tecnicamente é muita chuva para o período de 1 hora. A temperatura segue baixa.

Acompanhe a chuva sobre o Grande Rio pelo Radar RJ

O tempo fica menos instável nesta segunda-feira. O Grande Rio ainda terá um dia nublado, com chuva, mas de fraca intensidade. A temperatura continua amena. O sol reaparece no Rio só a partir de terça-feira.

Confira a previsão para a cidade do Rio de Janeiro. A semana deve terminar recorde de frio na madrugada e tarde quente.

Chuva de julho em BH triplicou a média
domingo, 27 de julho de 2014

A grande e forte frente fria que invadiu o Brasil nestes últimos dias de julho provocou uma quantidade de chuva excepcional, muito acima do normal para esta época do ano. O excesso de umidade foi marcante especialmente no Sudeste e no Centro-Oeste, onde julho é quase sempre sinônimo de seca, dias ensolarados, de umidade do ar muito baixa. Por causa da passagem desta frente fria, julho de 2014 vai ficar guardado na memória da maioria da população destas Regiões por causa de sua chuva.

Um dos melhores exemplos desta situação foi o observado sobre o centro-oeste e sul de Minas Gerais. Há 10 anos Belo Horizonte não tinha tanta chuva em julho como está tendo neste ano. Entre os dias 25 e 27 de julho de 2014 choveu 39,2 mm na região central da cidade, a maior quantidade de chuva em julho desde 2004, quando acumulado chegou aos 40,2 mm. A média de chuva para julho em Belo Horizonte fica em torno dos 13 mm.

Ainda pode chover um pouco mais nesta segunda-feira e depois o tempo volta a secar.

 

Recorde de frio

Tempo chuvoso, falta de sol e ar polar. A combinação destes três fatores derrubou a temperatura em Belo Horizonte nos últimos dias e a capital mineira bateu o recorde de tarde mais fria do ano pode dois dias consecutivos. Na sexta-feira, 25 de julho, a temperatura máxima foi de 20,5°C e no sábado, 26 de julho, a máxima foi de 17,9°C, a menor do ano. Os dados são do Instituto Nacional de Meteorologia medidos na estação meteorológica de Santo Agostinho, no centro-sul da cidade.

A temperatura começa a subir nesta segunda-feira e chuva para de vez na terça. A semana pode terminar com recorde de madrugada mais fria do ano devido a diminuição da nebulosidade. As tardes ficam mais quentes.

Triângulo Mineiro: chuva de julho passa muito da média
domingo, 27 de julho de 2014

Chove praticamente sem parar sobre o Triângulo Mineiro deste a tarde de quinta-feira. Foi quando uma grande e forte frente fria começou a mudar o tempo na Região Sudeste. A frente fria avançou mais sobre Minas Gerais na sexta-feira, 25 de julho, atingindo em cheio o Triângulo Mineiro.

A circulação dos ventos sobre o Brasil ainda está bloqueando as áreas de instabilidade da frente fria sobre Sudeste. A diminuição desta instabilidade é esperada a partir desta segunda-feira.

A chuva persistente e incomum para julho no Triângulo Mineiro certamente vai ficar memória da população local. Entre a quinta-feira, 24  de julho, e o começo da manhã do domingo, 27 de julho, já choveu muito mais do que o normal para este mês.

Veja alguns exemplos de volumes de chuva acumulados neste período e registrados pelo Instituto Nacional de Meteorologia. A média de chuva normal para julho na região do Triângulo e do Alto Paranaíba em geral não passa dos 25 mm.

Uberlândia: 61 mm

Araxá: 68 mm

Ituiutuba: 68 m

Campina Verde: 61 mm

Patrocínio: 65 mm

Conceição das Alagoas: 47 mm

 

O mapa mostra a anomalia (diferença em relação à média normal) da chuva de julho. Os tons de azul indicam que já choveu mais do que o normal.

 

Chuva na Grande SP não tem hora para parar
domingo, 27 de julho de 2014

Se você pretende passear pela Grande São Paulo neste domingo, então vista roupas quentes, pegue o guarda-chuva e encare o tempo. A chuva que cai por toda a Grande São Paulo não tem hora para parar. Vai chover ainda à tarde e até a noite. Não há risco de temporal, mas a chuva constante fraca a moderada por muitas horas, pode gerar alguns acúmulos de água pelas ruas.

De carro, muita atenção com as pistas molhadas. As principais rodovias que ligam São Paulo a Sorocaba, Campinas, Atibaia e à Baixada Santista também ficam debaixo de chuva na maior parte do dia.

O tempo chuvoso e a presença do ar polar vão manter a temperatura baixa. A sensação de frio persiste o dia todo.

 

Quando o sol aparece?

A chuva deste domingo ainda é parte da grande frente fria que entrou no Brasil nos últimos dias e trouxe uma umidade fora do comum para julho. Nas imagens de satélite, as nuvens de chuva são representadas pelas manchas azuis e verdes. A nebulosidade de chuva foi reforçada devido a passagem de outra frente fria pelo mar. A injeção de umidade marítima aumentou e a chuva se espalhou ainda mais sobre São Paulo de forma geral. Está chovendo neste domingo em praticamente todo o Estado.

 

 

No decorrer desta segunda-feira, os ventos vão mudando de direção em diversos níveis da atmosfera. A entrada de umidade do mar vai diminuir. O sol deve começar a aparecer na tarde de segunda-feira e vem forte sobre o interior do Estado de São Paulo a partir de terça-feira.Na Grande São Paulo, o sol fica forte na quarta-feira.

Linha de instabilidade avança pelo interior de SP
sábado, 26 de julho de 2014

Uma linha de instabilidade (LI) avança de Mato Grosso do Sul para São Paulo trazendo nuvens carregadas, com raios e chuva que pode ser moderada a forte em alguns momentos.

A imagem corresponde a situação observada às 16h45 pelos radares meteorológicos localizados em Presidente Prudente e em Bauru. As áreas de chuva são representadas pelas manchas em verde e azul. Os pontos amarelo já indicam chuva moderada a forte.

Presidente Prudente já tinha pancadas de chuva com raios às 17 horas. A LI avança pelo oeste e noroeste de São Paulo na noite deste sábado e a chuva poderá atingir a região de Bauru e Ribeirão Preto na madrugada do domingo.

 

 

Sensores da rede de detecção de raios Earth Networks, parceira da Climatempo no monitoramento de descargas elétricas detectava raios (símbolos amarelos) das nuvens de linha de instabilidade espalhados pelo oeste e noroeste de São Paulo.

 

Mais chuva no SE e no CO
sexta-feira, 25 de julho de 2014

A grande e forte frente fria que entrou no Brasil já provocou chuvas volumosas no Sudeste e no Centro-Oeste. O volume de chuva que ocorreu entre os dias 24 e 25 de julho superou a média normal para julho em muitas áreas das duas Regiões.

A tabela mostra alguns acumulados de chuva registrados pelo Instituto Nacional de Meteorologia entre 20 horas do dia 24 de julho e 20 horas de 25 de julho de 2014. Compare com o mapa que mostra a média normal de chuva (média climatológica) no Sudeste e no Centro-Oeste. Para a maioria das áreas destas duas Regiões, esta média não supera 25 mm.

 

 

 

O mapa abaixo mostra a previsão da chuva até o fim de julho.

 

 

BH: chuva de 1 mês em 7 horas
sexta-feira, 25 de julho de 2014

Frente fria provocou grandes mudanças no tempo sobre a maior parte do Sudeste. A chuva veio com grande volume em diversas áreas. O centro-sul de Minas Gerais já teve um grande aumento de nebulosidade e pancadas de chuva com volumes mais elevados.

Em Belo Horizonte, a estação automática do INMET, registrou das 5h até às 11h um volume de chuva de 24,2mm . Isso corresponde a 60% a mais da média climatológica normal para o mês de Julho que é de 15,4mm. Lembrando que a média climatológica de Julho para Belo Horizonte é baixa, uma vez que o predomínio durante o inverno é do ar seco. O volume de chuva se torna bastante expressivo quando comparado com os acumulados dos anos anteriores. É o julho mais chuvoso desde o ano de 2004, onde a estação registrou 40mm.

Na imagem de satélite os tons azulados indicam nuvens com maior profundidade na atmosfera, que provocam mais chuva. Os tons em verde a amarelados indicam nuvens com profundidade menor e chuva mais fraca.

Imagem de Satélite do canal do infravermelho realçada

 

E ainda vem mais chuva para todo o Estado de Minas Gerais até o fim desta semana. A frente fria ainda organiza áreas de instabilidade sobre o território mineiro e as pancadas de chuva persistem. E os volumes de chuva esperados são elevados, há o risco de alagamentos. Há previsão de chuva pelo menos até a próxima segunda-feira (28). Após a passagem da frente fria, o ar polar começa a vir com mais intensidade. As temperaturas caem e faz bastante frio.


Confira a previsão do tempo para o Sudeste. Clique aqui.