Arquivo da Categoria ‘Rio de Janeiro’

+ aumentar e diminuir fonte -
Calor no Rio em 2015 está acima do normal
terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Depois de uns temporais no Carnaval, a nebulosidade e as condições para chuva voltaram a diminuir sobre o Rio de Janeiro. As nuvens sumiram e o sol voltou a brilhar forte e soberano, quase o dia todo. Sem as nuvens, sem a chuva e sem o ar polar das frentes frias, a temperatura voltou a subir. O Instituto Nacional de Meteorologia registrou até 36,2°C na cidade nesta terça-feira. Até o momento, a maior temperatura no Rio foi de 40,9°C, em 2 de janeiro

A falta de chuva em 2015 é preocupante no Estado do Rio de Janeiro, de forma geral. Poucas frentes frias chegaram ao Rio este ano e com fraca intensidade. A combinação de ar polar, nebulosidade e chuva causam queda da temperatura. Mas este ano, o sol forte tem vencido a briga com as nuvens. Em Janeiro, a menor temperatura máxima no Rio ficou em torno dos 31°C, segundo do Instituto Nacional de Meteorologia, mas em fevereiro os termômetros até baixaram dos 30°C em alguns dias.

Cariocas andam reclamando do calor, mas será que 2015 está sendo mesmo tão quente assim?  O calor do verão de 2015 até agora é muito menor do que foi observado em 2014. A temperatura máxima média normal para fevereiro e janeiro é de aproximadamente 30°C. A média das temperaturas máximas em fevereiro e em janeiro de 2015 estão acima do normal, mas não tanto como em 2014.

O calor está acima do normal em 2015, mas 2014 foi muito pior.

No gráfico, as médias de fevereiro de 2014 e de 2015 consideram as temperaturas máximas registradas pelo Instituto Nacional de Meteorologia de 1 a 24 de fevereiro. A média de janeiro de 2015 é com os 31 dias do mês.

Fevereiro de 2014 teve 7 temperaturas iguais ou acima de 40,0°C.

A maior temperatura de fevereiro de 2015 até agora foi de 38,8°C.

Em janeiro de 2015, a temperatura máxima no Rio de Janeiro alcançou 40,0°C ou mais duas vezes. A maior temperatura de 2015 até agora é de 40,9°C, em 2 de janeiro.

Por enquanto,  a temperatura no Rio não deve apresentar grande queda, pelo menos até o domingo. O ar polar deve conseguir chegar com mais força sobre a cidade para refrescar só depois do dia 5 de março

 

 

ASAS está causando novo bloqueio?

Vai chover mais em março?

Usar a água do mar dessalinizada é uma boa opção para a crise de água no Brasil?

Fim de semana de muito sol e calor no Rio
sábado, 21 de fevereiro de 2015

A massa de ar seco e quente que voltou a influenciar a maior parte da Região Sudeste garante um fim de semana de muito sol no Rio de Janeiro. A temperatura fica alta durante as tardes e não há previsão de chuva. De acordo com o INMET, a máxima chegou a 36,4°C na tarde de sábado. Para este domingo, a Climatempo prevê máxima de até 36 graus na capital. Na segunda e na terça-feira o ar ainda fica seco e inibe a formação de instabilidades. A previsão é de dias de sol forte e tempo firme. Na quarta-feira ainda faz calor, porém a umidade aumenta por conta da passagem de uma frente fria por alto-mar e há previsão de pancadas rápidas e isoladas de chuva no final da tarde. A temperatura só deve baixar no próximo fim de semana, quando está sendo esperada a chegada de uma frente fria mais intensa ao Sudeste.

Mar calmo para cariocas e turistas

O mar fica calmo nas praias da cidade  do Rio e também de outras cidades do litoral fluminense. Neste fim de semana, as ondas não devem passar de meio metro de altura. Não é a praia do surfista, mas ideal para os banhistas. E esta situação de pouca onda não deve mudar até meados da próxima semana.

Mais calor e menos chuva no RJ
quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

O Carnaval passou e a chuva também. As áreas de instabilidade enfraquecem sobre o Estado do Rio de Janeiro fazendo com que a nebulosidade e as condições para chuva diminuam.

Pouca chuva.

As condições para chuva vão diminuir nos próximos dias. O sistema de alta pressão subtropical do Atlântico Sul (ASAS) se intensifica sobre a Região Sudeste novamente nos próximos dias. O centro da ASAS deve ficar próximo do litoral de São Paulo e do Rio de Janeiro durante o fim de semana.

 

Nos mapas, as manchas coloridas indicam as áreas de chuva e a cor a intensidade. Os tons de amarelo, vermelho, laranja e rosa indicam chuva forte. As manchas (chuva) diminuem sobre o Sudeste por causa da atuação da ASAS.

A intensificação da ASAS reduz a umidade no ar e o crescimento das nuvens, diminuindo a chance de chover .Com a menor quantidade de nuvens, o sol fica forte por muitas horas causando um maior aquecimento do ar. Além disso, não há expectativa chegada de frente fria e de ar polar ao Estado do Rio de Janeiro pelo menos até a quarta-feira da próxima semana. A redução da chuva e o aumento do calor deve ser observado em todo o Estado do Rio.

A meteorologista Josélia Pegorim explica o efeito da intensificação da ASAS sobre o Sudeste

 

 

Mais calor

Com o sol aparecendo forte novamente e os ventos quentes voltando a predominar, o ar esquentou rapidamente nesta quinta-feira. Oficialmente, a temperatura máxima no Rio de Janeiro, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia foi de 37,0°C, na Saúde, no centro. Mas por volta das 15 horas, a temperatura chegou aos 38°C na região do aeroporto Santos Dumont, no centro do Rio de Janeiro. A sensação térmica à 1 hora da tarde foi de 43°C.

Confira o gráfico que mostra a previsão de temperatura para o Rio de Janeiro

A tendência é de que todo o Estado do Rio de Janeiro tenha um fim de semana  com muito sol e calor. A praia será um ótima opção de lazer. Além do sol, o mar deve ficar baixo, com poucas ondas.

Ache a sua onda e a sua tribo no Climasurf.

 

Usar a água do mar dessalinizada é uma boa opção para a crise de água no Brasil?

Confira como será a chuva sobre o Brasil nos próximos 15 dias

Dê seu depoimento na campanha BR: vida sem água

Por que não dessalinizar a água do mar?
quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

por Maira Di Giamo

A dessalinização da água do mar já é uma alternativa de abastecimento usada em muitos países. Porém, no Brasil o uso dessa tecnologia ainda é muito pequeno. O processo de dessalinização pode ocorrer de duas formas. A primeira é através da evaporação e condensação: a água do mar é aquecida e evapora. O sal permanece no recipiente e apenas a água pura vira vapor. Depois, o vapor é resfriado e condensado, e volta a virar líquido. Esse processo é utilizado em alguns países com maiores reservas energéticas como o Oriente Médio, porque se gasta muito mais energia.

O outro processo, que é o mais utilizado no mundo, é o da osmose reversa, onde a água do mar passa com alta pressão por uma membrana que retém as partículas sólidas. O procedimento também tem custos altos devido à energia gasta e as membranas, que apesar de terem ficado mais baratas ultimamente, ainda tem um custo elevado.

O transporte da água deixa o procedimento ainda mais caro. Trazer água para cidades como São Paulo, que estão cerca de 700 metros acima do nível do mar é inviável. O bombeamento precisaria de muita energia elétrica.  Já em cidades litorâneas como o Rio de Janeiro a opção é boa. Em meio à crise hídrica, dessalinizar água no Rio de Janeiro seria uma boa opção inclusive para aliviar a bacia do Paraíba do Sul, que também é utilizada pelo estado de São Paulo.

Confira o que diz o especialista em engenharia hidráulica da Poli, Dr. Ivanildo Hespanhol:


Participe da campanha BR: vida sem água e dê seu depoimento!

Semana terá chuva no RJ
terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

O chuva veio com força sobre o Rio de Janeiro ao longo do domingo (15) e as condições atmosféricas ainda vão incentivar mais chuva sobre o Estado fluminense até o fim desta semana.

A responsável pela chegada das áreas de instabilidade é um sistema de baixa pressão atmosférica que se forma sobre a costa de São Paulo, essa condição vai favorecer a chegada de mais umidade vinda do interior, e essa umidade vai encontrar uma atmosfera bastante aquecida sobre diversas áreas do Sudeste.

Clique na imagem e veja o satélite para todo o Brasil

Chuva enfraquece a partir de sexta-feira

A presença do sistema de baixa pressão atmosférica vai organizar chuva sobre o Estado do Rio de Janeiro até a quinta-feira (19), dia no qual as pancadas já começam a acontecer preferencialmente entre a tarde e a noite. Na sexta-feira (20) o ar seco já começa a predominar sobre a faixa leste fluminense, faz muito sol e não chove, as áreas de serra e do Vale do Paraíba ainda tem o risco de chuva rápida a partir da tarde.

Muita chuva no Rio de Janeiro
segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

A capital fluminense teve temporais desde a tarde do domingo (15). A chuva acumulou grandes volumes em diversas áreas e se estendeu ao longo da noite. Inclusive durante o primeiro dia de desfile das escolas de samba do grupo especial.

As imagens do satélite meteorológico mostram o avanço de muita umidade por todo o Estado do Rio de Janeiro. Os tons em verde indicam nuvens que não são capazes de provocar tanta chuva, já os tons em azul representam nuvens maiores que podem acarretar em chuva forte.

Clique na imagem e veja o satélite para todo o Brasil

Segundo informações da estação meteorológica do INMET na Vila Militar, choveu um total de 108,6mm entre as 18h do domingo e a 8h da manhã se segunda-feira (16).

Mais chuva até a quarta-feira de cinzas

E a chuva não vai dar trégua ao Rio de Janeiro até o fim deste Carnaval. Muitas instabilidades se formam por conta da presença de um ciclone extratropical que favorece a chegada de muitas nuvens carregadas. Até a quarta-feira (18) de cinzas a previsão indica chuva a qualquer momento, há o risco de temporais especialmente ao longo da tarde.

A organização de chuva entre a terça-feira e a quarta-feira se dará devido a presença de um sistema de baixa pressão atmosférica na costa de São Paulo que também vai trazer umidade para todo o Estado do Rio de Janeiro e incentivar a formação de grandes nuvens de chuva.

Chuva forte em SP e no RJ
domingo, 15 de fevereiro de 2015

Alerta válido até 06h da manhã do dia 16/02/2014

 

A presença de uma frente fria no mar e a formação de um sistema de Baixa Pressão favorecem a formação de nuvens carregadas sobre São Paulo e o centro-sul do Rio de Janeiro. Há risco para alagamentos e deslizamentos no litoral norte de São Paulo e na Costa Verde e Serra dos Araras no Rio de Janeiro.

 

As capitais também têm risco de chuva forte entre o fim de tarde e a noite deste domingo.

 

Calor e pouca chuva abrem Carnaval no Rio de Janeiro
sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

A ASAS – alta pressão subtropical do Atlântico Sul – se intensificou novamente sobre o Sudeste nos últimos dois dias reduzindo as condições para chuva sobre o Rio Janeiro, em Minas Gerais e no  Espírito Santo. A Os A circulação dos ventos deste sistema de alta também cria uma barreira para a chegada das frentes frias.

As imagens de satélite mostraram nesta sexta-feira a força da ASAS que não deixou que nuvens muito carregadas que cresceram entre São Paulo e Rio de Janeiro avançassem para a o Grande Rio.

 

Durante o Carnaval 2015,  a ASAS enfraquece sobre o Sudeste, mas mesmo assim, vai fazer com que muitas áreas da Região Sudeste passem o Carnaval com pouca ou nenhuma chuva.

Uma frente fria chegou ao litoral de São Paulo e suas áreas de instabilidade vão se aproximar do Rio Janeiro durante o fim de semana. A chance de chuva no sábado é baixa, mas no domingo, as pancadas de chuva devem voltar a ocorrer a partir da tarde.Mesmo assim, esta frente fria não terá força para deixar o tempo realmente instável no Rio. O calor apenas diminui e a chuva, quando ocorrer, não será generalizada.

 

 

Desfiles

Há um risco médio a alto de pancadas de chuva na noite do domingo e que poderá atrapalhar as primeiras escolas da do primeiro dia dos desfiles na Sapucaí. O risco de chuva na madrugada de segunda-feira é menor.

Para a segunda noite de desfiles, entre segunda e terça-feira, o risco de chuva é maior.

Mar agitado

Cariocas e todos os turistas vão poder aproveitar várias horas com o sol nas praias. Mas é preciso atenção para o mar agitado a partir do domingo.

Descubra a sua tribo e a sua onda no Climasurf

Confira a previsão das ondas

Confira a previsão para o Carnaval em todo o Brasil

Participe do Desafio #Fotografeotempo! É tempo de folia!

Dê seu depoimento na campanha BR: vida sem água

Rio de Janeiro: Sensação se aproxima dos 50°C
sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Atualizado em 13/02/2015 às 15h30

O calorão persiste na capital fluminense. A sensação térmica com o predomínio do sol forte se eleva. No Campo dos Afonsos a sensação chegou aos 45°C.

E o Rio de Janeiro tem mais um dia de sol forte e muito calor em todo o Estado. A presença de uma massa de ar seca e quente impede a formação de grandes nuvens. Não há previsão de chuva na sexta-feira (13), mas ela volta durante os dias de folia.

#fotografe o tempo por Joca Gil no Rio de Janeiro/RJ - Clique na imegem e veja fotos do céu em todo o Brasil

As imagens do satélite meteorológico mostram o avanço da nebulosidade para áreas da faixa paulista do Vale do Paraíba, no entanto o ar seco é tão forte sobre áreas fluminenses que a umidade fica bloqueada e não consegue avançar.

Clique na imagem e veja o satélite para todo o Brasil

Segundo informações do Campo dos Afonsos às 9h da manhã a temperatura já estava em 32°C.

Na sexta-feira a presença do ar seco organizado pela Alta Subtropical do Atlântico Sul (ASAS) ainda não deixa chover em todo o Estado, mas isso vai mudar ao longo dos próximos dias.

Chuva volta ao Rio de Janeiro

Durante os dias de folia o Rio de Janeiro terá o retorno das pancadas de chuva. Tudo por conta da aproximação de uma frente fria que vai trazer mais umidade para o Estado fluminense e provocar pancadas rápidas entre a tarde e a noite. O céu já fica com mais nuvens desde cedo a partir do sábado (14) e há o risco de temporais.

Durante os desfiles das escolas de samba do grupo especial que ocorrem no domingo (15) a chuva deve dar uma trégua para a folia, as chances de chuva durante o evento são menores. Mas na segunda-feira (16) a nebulosidade aumenta e pode chover durante os desfiles.

 

Calor e pancadas de chuva no Carnaval 2015
quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

O Carnaval sempre cai durante o verão. Em fevereiro ou no começo de março, é época de pancadas de chuva frequentes sobre o Brasil e daqueles temporais, típicos de dias quentes.

Este ano, não vai faltar calor no Carnaval e para ajudar a chover, a folia começa com uma frente fria passando pelo Sul e chegando a São Paulo. Esta frente fria vai determinar as condições do tempo durante o Carnaval nos Estados de São Paulo, Paraná, Mato Grosso do Sul e também em parte de Santa Catarina. Ao mesmo tempo, a alta pressão subtropical do Atlântico Sul volta a se intensificar sobre o Brasil e reduz a chuva em parte do Sudeste, do Nordeste e do Centro-Oeste.

Confira os detalhes da previsão para a cada Região do Brasil, lembrando que sexta-feira 13 não tem nenhuma influência no tempo.

 

Região Sul

A situação é de alerta para temporais nos três estados no fim de semana de Carnaval. Uma frente fria que fica parada no litoral de São Paulo vai deixar áreas de instabilidade bloqueadas sobre o Paraná e Santa Catarina. Os dois Estados terão muitas nuvens e chuva no fim de semana. Há risco de chuva forte e volumosa que pode causar alagamentos e queda da barreira, especialmente no litoral do Paraná, Grande Curitiba , no vale do Itajaí e litoral norte de Santa Catarina. A segunda-feira ainda será de muita chuva para o Paraná, planalto norte catarinense e vale do Itajaí As áreas de instabilidade enfraquecem na terça-feira permitindo maiores períodos com sol, mas as pancadas de chuva voltam a ocorrer a partir da tarde.

Nas outras áreas do interior de Santa Catarina e em Florianópolis, os períodos com sol já aumentam na segunda-feira, mas ainda há condições para pancadas de chuva.

O Rio Grande do Sul é o estado que menos sofrerá com a chuva neste Carnaval. Só a sexta-feira será de alerta. De sábado e até a terça-feira, os gaúchos vão poder contar com sol em grande parte do dia. As pancadas de chuva serão mais prováveis nas cidades serranas pelo litoral.

Temperatura agradável

O Sul do Brasil terá calor no Carnaval, mas nada excessivo. A chuva e o excesso de nuvens vão deixar a temperatura agradável em grande parte do Carnaval em grande parte da Região. Quem for curtir a folia nas cidades  serranas não precisa se preocupar com o frio intenso. A temperatura fica amena à noite, mas não será preciso usar roupas pesadas.

 

Região Sudeste

A previsão de pouca chuva e muito sol não é das mais animadoras para o Sudeste, diante da grave crise hídrica pela qual passam todos os Estados da Região. Por outro lado, sendo o Carnaval de grande importância para o turismo e economia de muitas cidades, especialmente as litorâneas, a expectativa de pouca chuva é até uma boa notícia.

O Sudeste sofreu em janeiro de 2015 com a falta de chuva por causa da forte atuação de um sistema meteorológico chamado “alta pressão subtropical do Altântico Sul”, ou abreviadamente, ASAS. Estas quatro letrinhas estão sendo amaldiçoadas desde o verão de 2014, pois é este sistema o principal causador da situação bloqueio atmosférico que afasta as frentes frias e reduz a chuva.

A ASAS se intensifica novamente sobre o Sudeste durante o Carnaval 2015, mas não com tanta força como no mês passado. Mesmo assim, vai fazer com que muitas áreas do Sudeste fiquem quase todo o Carnaval pouca ou nenhuma chuva. Uma frente fria vai passar quase todo o Carnaval próxima do litoral de São Paulo, estimulando a chuva.

Minas Gerais

Todo o Estado terá um Carnaval com muito sol, calor e poucas pancadas de chuva, que só devem ocorrer em parte da tarde e da noite. A maior chance de chuva é para o Triângulo Mineiro, Sul de Minas e Zona da Mata Mineira.

Espírito Santo

Muito sol e calor durante todo o Carnaval. A chance de chuva é baixa em todo o Estado. As poucas pancadas de chuva, se ocorrerem, devem ser no fim da tarde e em parte da noite, mas em poucas áreas.

Rio de Janeiro

O Rio de Janeiro também vai ficar dentro da área da atuação ficam dentro da área de maior atuação das ASAS, sistema de alta pressão subtropical do Atlântico Sul, que reduz as condições para chuva. O Carnaval no Estado do Rio será com  sol, calor e poucas pancadas de chuva. O risco de chuva aumenta a partir de terça-feira.

Desfiles das escolas de samba no Rio de Janeiro

A primeira noite dos desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro será abafada. Há uma possibilidade de pancadas de chuva na noite do domingo, que poderá atrapalhar a apresentação das primeiras escoladas a desfilar. Mas a chance de chuva na madrugada de segunda-feira é baixa.

Para a segunda noite de desfiles,  a possibilidade de chuva aumentou. As pancadas de chuva podem ocorrer na noite de segunda e também na madrugada de terça-feira.

 

São Paulo

São Paulo fica em atenção por causa do alto risco de temporais. Uma frente fria fica próxima ao litoral paulista no fim de semana e estimula a formação de muitas áreas de instabilidade. A frente fria se afasta na segunda-feira, mas as condições para chuva continuam altas até a quarta-feira.  As pancadas de chuva serão frequentes no litoral, a Grande São Paulo e pelo interior. Há risco de temporais.

Uma preocupação especial é com grandes volumes de chuva sobre o litoral, que já teve dois eventos de chuva intensa recentes, no período de mais ou menos um mês, que causaram queda de barreiras e enchentes.

Desfiles das escolas de samba em São Paulo

A chance de pancadas de chuva na região da cidade de São Paulo na noite de sexta-feira, 13 é alta. Assim, os primeiros desfiles correm o risco de ser com chuva. E pode chover ainda na madrugada de sábado 14, mas o risco é menor.

Porém, com a frente fria parada no litoral paulista durante o sábado, o risco de chuva aumenta bastante tanto para a noite do sábado, 14, como para a madrugada do domingo, 15.

A cidade de São Paulo fica em atenção para chuva forte no Carnaval

 

Estimativa do volume de chuva para o Carnaval. Os tons de vermelho-terra indicam pouca chuva. Os tons de verde indicam chuva volumosa, que podem passar de 100 mm acumulados no período de 5 dias.

Mar agitado

Quem for passar o Carnaval nas praias do Espírito Santo, do Rio de Janeiro vai poder contar com dias de muito sol. No litoral de São Paulo, o Carnaval deve ser marcado por muita nebulosidade e risco de chuva forte, por causa de uma frente fria que vai ficar na região durante quase todo o Carnaval.

Em São Paulo e no Rio, os surfistas vão poder aproveitar a elevação das ondas no domingo e na segunda-feira, 16, com picos que podem chegar aos 2 metros. A ondulação predominante será de sul. As praias capixabas vão sentir a mudança no mar na segunda e na terça-feira de Carnaval, com elevação em torno de 1 metro e ondulação também virando para sul..

 

Região Nordeste

O Carnaval no Nordeste começa mais cedo e termina mais tarde. Em capitais como Salvador e Recife, os blocos começam a embalar os turistas semanas antes dos dias oficiais da folia, quando o movimento é ainda maior.

Neste ano, o Carnaval do Nordeste será com sol, calor e pouca chuva. Há condições de pancadas de chuva neste Carnaval em todos os Estados do Nordeste, tanto no litoral quanto no interior da Região. Mas de forma geral, a chuva não deve atrapalhar a diversão. O Maranhão e o Piauí vão passar o Carnaval com muitas nuvens, períodos com sol e as pancadas de chuva serão mais frequentes do que nos demais estados. Há possibilidade de chuvas moderadas a fortes, inclusive nas capitais. No Ceará, no Rio Grande do Norte, na Paraíba e em Pernambuco,  as pancadas de chuva são mais prováveis no sábado e no domingo de Carnaval. Mas o tempo não fica fechado. Já em Sergipe, em Alagoas e na Bahia, todos os dias  de Carnaval serão com sol forte e pouca chance e chuva.

Estimativa do volume de chuva para o Carnaval. Os tons de vermelho-terra indicam pouca chuva. Os tons de verde indicam chuva volumosa, que podem passar de 100 mm acumulados no período de 5 dias.

 

Região Centro-Oeste

Em anos normais, a Região Centro-Oeste tem dias muito abafados durante o Carnaval e as pancadas de chuva são frequentes em toda a Região e muitas vezes com forte intensidade.

Mas o verão de 2015 não é um verão normal. Nos próximos dias o sistema de alta pressão subtropical do Atlântico Sul (ASAS) vai atuar com mais força sobre Goiás, Distrito Federal e leste de Mato Grosso. A alta pressão diminui as condições para chuva. Assim, durante o Carnaval 2015 estas regiões terão muito sol, calor acima da média para esta época e poucas pancadas de chuva à tarde e em parte da noite. As demais áreas de Mato Grosso passam o Carnaval com períodos de sol e pancadas de chuva frequentes, com risco de temporais.

Já em Mato Grosso do Sul, a chuva durante os dias de Carnaval é preocupante. A presença de uma frente fria próxima ao litoral de São Paulo vai ajudar a formar e a manter nuvens carregadas sobre o Estado, que podem provocar chuva forte e volumosa. A chuva mais intensa deve ocorrer em áreas do centro, sul e oeste de Mato Grosso do Sul, incluindo a capital, Campo Grande.

Estimativa do volume de chuva para o Carnaval. Os tons de vermelho-terra indicam pouca chuva. Os tons de verde indicam chuva volumosa, que podem passar de 100 mm acumulados no período de 5 dias.

 

Região Norte

Muito calor, ar abafado, pancadas de chuva frequente e períodos com sol. Esta é a situação de tempo típica da Região Norte nesta época do ano. O ar quente e úmido que predomina sobre o Norte facilita a formação das grandes nuvens que provocam pancadas de chuva.

Durante o Carnaval de 2015, as pancadas de chuva serão frequentes por quase todo o Norte do Brasil e podem ocorrer a qualquer hora do dia e da noite. A chuva pode atrapalhar a folia do Carnaval em muitas áreas do Amazonas, do Pará, do Acre e de Rondônia. Nos outros estados, as pancadas de chuva serão menos frequentes e o sol vai aparecer por mais tempo.

Nas capitais, a maior chance de problemas por causa da chuva será em Manaus, Rio Branco e em Porto Velho.

Estimativa do volume de chuva para o Carnaval. Os tons de vermelho-terra indicam pouca chuva. Os tons de verde indicam chuva volumosa, que podem passar de 100 mm acumulados no período de 5 dias.

 

Confira a previsão para todo o Brasil com apresentação de Paula Soares


 

Saiba como será o tempo durante o Carnaval em Veneza, na Itália, o mais famoso da Europa.