Arquivo da Categoria ‘São Paulo’

+ aumentar e diminuir fonte -
Muitas nuvens e pouca chuva no Sudeste
segunda-feira, 18 de maio de 2015

A grande quantidade de nuvens que se observa sobre a Região Sudeste não é de uma nova frente fria. A nebulosidade é de áreas de instabilidade que começaram a se formar entre o Brasil e o Paraguai por causa da uma tendência da queda da pressão atmosférica em níveis médios da atmosfera.

Esta área de baixa pressão se movimenta de oeste para leste. A tendência é de que as áreas de instabilidade saiam da Região Sudeste no decorrer desta terça-feira, o que vai fazer com que a nebulosidade e as condições de chuva diminuam dando mais espaço para o sol.

 

As áreas de instabilidade que passam sobre o Sudeste podem provocar um pouco de chuva nos quatro estados, mas sem temporal. A chuva que ocorrer será de fraca a moderada intensidade e poucas áreas.

O excesso de umidade facilita a formação do nevoeiro. Por outro lado, a grande quantidade de nuvens dificulta um maior aquecimento da tarde.

Confira a previsão para o Sudeste para os próximos dias

 

Análise da chuva no Brasil para 15 dias

Como funciona um estação meteorológica?

Você sabe como se mede a chuva?

Granizada histórica em São Paulo completa 1 ano
segunda-feira, 18 de maio de 2015

O domingo do dia 18 de maio de 2014 ficou marcado, meteorologicamente falando, na cidade de São Paulo. Afinal, “nevava” na capital paulista, ou melhor, também era gelo, mas em forma de granizo. Mais precisamente sobre áreas próximas ao parque da Aclimação. Neste dia uma granizada histórica aconteceu a partir da tarde, com um grande acúmulo de “pedras” de gelo. A quantidade de granizo era suficiente para cobrir os pneus dos carros pela metade na região.

Foto: Paulo Pinto/Fotos Públicas

A queda do granizo provocou o resfriamento local da atmosfera, as temperaturas também não subiram tanto nos dias seguintes o que inibiu o derretimento e por consequência a retirada das “placas” de gelo pela Prefeitura de São Paulo.

Veja o timelapse da tempestade de granizo se formando sobre o bairro da Aclimação, São Paulo, no dia 18 de maio de 2014. No final da animação é possível perceber os telhados brancos já cobertos pela enorme quantidade de pedras de gelo.

Crédito: apolo11.com

Confira a cobertura da Climatempo neste dia!

Veja também:

Granizo do tamanho de ovo em São Paulo

Tapete branco de granizo na Zona Leste de São Paulo

Granizada em São Paulo: fotos sensacionais!

Nevou em São Paulo?

12 horas depois, granizo ainda cobre ruas em São Paulo

24 h depois, ruas de São Paulo ainda tinham granizo

Granizada histórica em São Paulo – compilação

Áreas de instabilidade provocam chuva em SP
segunda-feira, 18 de maio de 2015

Atualizado em 18/05/2015 às 14h33

Os radares Climatempo-USP já mostram a presença de pancadas de chuva localizadas e com fraca intensidade na Grande São Paulo.

Clique na imagem e acompanhe os radares Climatempo-USP em tempo real

Uma grande quantidade de nuvens está espalhada sobre São Paulo e radares meteorológicos registram chuva desde a madrugada em várias regiões do interior paulista.

Por volta das 10 horas, os radares localizados em Bauru e em Presidente Prudente, operados pelo IPMet – Unesp, registravam chuva fraca em várias regiões entre Presidente Prudente e a divisa com o norte do Paraná e o Mato Grosso do Sul. Mas pequenos núcleos de chuva já começavam a ser detectados em áreas do centro e norte do Estado.

 

A nebulosidade e a chuva não são de uma nova fria, mas de áreas de instabilidade que se formaram no fim de semana entre o Paraguai, o Paraná e o Mato Grosso do Sul e avançaram para São Paulo.

Nas imagens de satélite, as manchas em verde e amarelo indicam nebulosidade que pode provocar chuva fraca a no máximo com moderada intensidade. Estas áreas de instabilidade permanecem sobre São Paulo nesta segunda-feira e podem provocar chuva também à tarde e à noite, incluindo a Grande São Paulo, mas sempre com fraca a moderada intensidade.

 

A previsão para esta terça-feira indica um pouco mais chuva para São Paulo. Confira!

Sol em São Paulo (SP)
domingo, 17 de maio de 2015

O sol brilha forte em São Paulo e a temperatura é de 22 graus no aeroporto de Campo de Marte.

Fim de semana com recorde de frio nas capitais do Sudeste
sexta-feira, 15 de maio de 2015

O fim de semana a promete mais sol no Sudeste, mas também mais frio. Tardes ficam até quentinhas, mas as madrugadas serão mais frias do que nos últimos dias. Não há previsão de chuva, apesar da presença de nuvens.

Uma grande quantidade de nuvens predominou sobre o Sudeste nos últimos quatro dias, mas a tendência é para o fim de semana é de que a nebulosidade diminua. A diminuição da nebulosidade vai deixar mais espaço para o sol aquecer o ar, o que vai deixar as tardes com temperatura mais alta do que nos últimos dias.

 

Mas essa redução da nebulosidade terá um efeito contrário durante a noite. A menor quantidade nuvens durante a noite vai facilitar a perda radiativa deixando as madrugadas mais frias.

Você sabe porque as noites com menos nuvens são mais frias?

 

Rio de Janeiro (RJ), por Janis Liekmanis em 12-12-2014

 

Capitais podem ter recorde de frio

As capitais São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e Vitória  podem ter recorde de frio neste fim de semana. Além do ar polar que influencia o centro-sul do Brasil tem também o efeito de maior perda radiativa por causa da redução da nebulosidade. Confira os recordes atuais.

Duplo recorde frio em Belo Horizonte

A sexta-feira, 15 de maio, foi até agora o dia mais frio de 2015 em Belo Horizonte. A capital mineira teve a madrugada e a tarde mais fria do ano. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, a temperatura mínima foi de 14,6°C e a máxima de 21,2°C. Os recordes anteriores eram de 15,3°C para mínima, em 8 de maio, e 21,3°C para a máxima em 8 de fevereiro.

 Frio abaixo de 10°C nas cidades serranas : Quem for passar o fim de semana em áreas serranas do Sudeste em busca do frio terá o que procura.

 

Curiosidade: como funciona uma estação meteorológica?

 

 

Previsão de chuva para o Brasil para 15 dias

Tempo na Maratona de São Paulo
sexta-feira, 15 de maio de 2015

No domingo (17) acontece a 21ª edição da Maratona Internacional de São Paulo. As provas variam de caminhadas curtas com 3,2 km até a prova principal que tem 42 km.

Na prova principal os cadeirantes largam às 6h50, logo após sai a elite feminina às 06h55 e o início geral começa às 07h30. E o frio será o grande vilão dos atletas, como as provas começam cedo a sensação será de frio e o aquecimento do corpo deverá ser feito com muita atenção.

São Paulo pode ter recorde de fio no fim de semana

A nebulosidade vai aparecer no céu paulistano, mas não há o risco de que as pancadas de chuva surpreendam os participantes.

O meteorologista César Soares comentou as condições atmosféricas para a Maratona de São Paulo no Climatempo News, confira!

 

Curiosidade: como funciona uma estação meteorológica?

 

 

Previsão de chuva para o Brasil para 15 dias

Vai esfriar mais na segunda quinzena de maio?


Por que as noites sem nuvens são mais frias?
sexta-feira, 15 de maio de 2015

Neste fim de semana, várias áreas da Região Sudeste poderão ter madrugadas mais frias do que nos últimos dias por causa do efeito da perda radiativa. As capitais São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Vitória e Brasília podem ter recorde de frio neste fim de semana por causa do ar polar que influencia o centro-sul do Brasil e também por causa deste efeito de perda radiativa.

O que é a perda radiativa?

Quem está no campo sabe que noite de geada é noite de frio, mas estrelada, com poucas nuvens e ar parado. Os dias de verão normalmente são quentes desde o amanhecer, mas as noites de verão com poucas nuvens são mais frescas do que as noites com muitas nuvens e as pancadas de chuva.

A quantidade de nuvens é um importante fator que interfere no aquecimento do ar durante o dia e no resfriamento da atmosfera durante a noite. É um regulador da temperatura!

O resfriamento da atmosfera e do solo é chamado tecnicamente de perda radiativa e acontece durante o dia e também durante a noite. Existe uma constante troca de calor entre o ar e a superfície e também entre o ar e a camada de nuvens que eventualmente está sobre um lugar. O resfriamento noturno está muito relacionado com a formação do nevoeiro do amanhecer e da geada.

 

As nuvens, o solo, as árvores, os prédios, a água, tudo absorve e emite calor, mas de forma, em intensidade e num tempo diferente para tipo de material.

De forma geral, a temperatura do ar na superfície numa noite sem nuvens é menor que numa noite com muitas nuvens. Este efeito ocorre em qualquer lugar do planeta e em qualquer época do ano. Por que isto acontece? Confira a explicação da meteorologista Josélia Pegorim.

 

Vai esfriar mais na segunda quinzena de maio?

 

 

Cantareira só terá chuva no fim do maio
sexta-feira, 15 de maio de 2015

Este 15 de maio de 2015 marca um ano do primeiro “empréstimo” de água da reserva técnica (volume morto) do sistema Cantareira feito para a população da Grande São Paulo. Em 15 de maio de 2014, a Agência Nacional das Águas (ANA), órgão do governo federal, autorizou o uso de uma cota de 18,5% (em relação ao volume útil) de água. Embora o empréstimo formal  tenha sido feito em há um ano, esta água efetivamente só começou a ser usada a partir de 12 de julho de 2014, quando tecnicamente houve o “zeramento” da água do volume útil.

Em 24 de outubro de 2014 foi autorizada uma segunda cota de 10,7% de água do volume útil. Estas duas cotas de água, num total de 29,2%, são das reservas técnicas das represas Jaguari (primeira cota) e Cachoeirinha (segunda cota).

Atualmente o sistema Cantareira opera abaixo dos 20%, já com a utilização da segunda cota da reserva técnica. O nível de armazenamento atingiu o máximo de 20,1% em 21 de abril, manteve-se assim até o dia 27 de abril de 2015 e no dia 28 de abril teve a primeira queda, após 85 dias de elevação ou estabilidade.

O nível atual é de 19,8% de água da reserva técnica. Há um ano o nível do Cantareira estava em 8,2%, ainda com água do volume  útil.

A tendência é de pouca  ou nenhuma chuva para os próximos dias. Só há previsão de chuva moderada sobre as áreas de captação do Cantareira após o dia 25 de maio, quando se espera a passagem de nova frente fria sobre São Paulo.

Previsão de chuva para o Brasil para 15 dias

Vai esfriar mais na segunda quinzena de maio?

Frio pode ser recorde em São Paulo no fim de semana
sexta-feira, 15 de maio de 2015

A madrugada da sexta-feira, 15 de maio, foi a segunda mais fria do ano até agora na cidade de São Paulo. O Instituto Nacional de Meteorologia registrou uma temperatura mínima de 13,6°C no Mirante de Santana, na zona norte da capital paulista. Por enquanto, a menor temperatura de 2015 é de 13,4°C registrada em 1 de maio.

Menos nuvens, mais frio

O recorde de menor temperatura de 2015 poderá ser batido durante o fim de semana, com a temperatura na madrugada entre 12°C e 13°C. Não há previsão de que uma nova massa polar chegue a São Paulo trazendo mais frio. O maior resfriamento durante o fim de semana é esperado por causa da diminuição da nebulosidade.

Por que a noite com menos nuvens é mais fria?

A grande quantidade de nuvens que passa sobre o Estado de São Paulo é basicamente formada por nuvens altas que não provocam chuva. Essa nebulosidade deve diminuir bastante durante o fim de semana.

Nevoeiro e mais sol

O maior resfriamento nas próximas madrugadas também vai facilitar a formação de névoa e nevoeiro no início de manhã. Além da previsão de mais frio na madrugada, o fim de semana também promete mais sol e tardes menos frias. Não vai fazer calorão, mas as tardes do fim de semana não serão frias como nos últimos dias. No dia 13 de maio, a temperatura máxima na cidade de São Paulo foi de 18,4°C. Esta foi a tarde mais fria no ano até agora.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, em 4 dias, a média das temperaturas máximas no Mirante de Santana está 1 grau abaixo da média normal para o mês.

 

A meteorologista Josélia Pegorim comenta como  vai ficar a temperatura no centro-sul do Brasil na segunda quinzena de maio.

 

 

São Paulo (SP), por Eliza Saito

Ondas diminuem no Sul e no Sudeste
quinta-feira, 14 de maio de 2015

As ondas começam a diminuir no litoral das Regiões Sul e Sudeste, após dois dias com picos de mais de 3,0 metros e ressaca. As grande ondas ocorreram por causa da passagem de um forte swell pela costa do Sul e do Sudeste do Brasil.

No litoral de Santa Catarina, uma boia da Marinha registrou ondas de 3,5 m. As operações no porto de Itajaí pararam. No Rio de Janeiro, a bateria de provas da etapa brasileira do mundial de surfe teve que ser cancelada na quarta-feira, 13, por causa do mar com ressaca.

Nesta quinta-feira, o mar ainda estava agitado com ondas de até 2,5 m em praias de Santa Catarina até o Rio de Janeiro. A tendência agora é de que a agitação diminua cada vez mais nas praias do Sul e do Sudeste, pois o swell se afasta cada vez mais da costa brasileira. As ondas diminuem no Sul em São Paulo e no Rio de Janeiro, mas aumentam no Espírito Santo e no litoral da Bahia.

 

Confira a previsão das ondas até o domingo.

 15/05  sexta-feira – a região mais intensa do swell se afasta da costa brasileira e as ondas diminuem em todo o litoral do Sul e em quase todo o Sudeste.

Entre o Rio Grande do Sul e São Paulo, as ondas ficam em torno de 1,5 m. No Rio de Janeiro e no Espírito Santo, a altura das ondas ainda chega a 2,0m.

Litoral da Bahia com mar agitado

O mar fica agitado no litoral da Bahia,  com ondas em torno de 1,5m, mas com picos de até 2,0m. As ondas aumentam até a noite.

 

16/05  sábado – as ondas diminuem um pouco mais entre o Rio Grande do Sul e São Paulo e devem ter altura em torno de 1,0m. No Rio de Janeiro, as ondas variam entre 1,0m e 1,5m. No Espírito Santo, a altura das ondas ainda chega a 2,0m na madrugada e manhã, mas baixa para 1,5m durante a tarde.

Litoral da Bahia com mar agitado

O mar fica mais agitado no litoral da Bahia,  com ondas 2,0m a 2,5m. Há risco e ressaca.

 17/05 domingo – entre o Rio Grande do Sul e São Paulo as ondas ficam em torno de 1,0m. No Rio de Janeiro e no Espírito Santo, as ondas variam entre 1,0m e 1,5m.

Litoral da Bahia com mar agitado

O mar continua muito agitado no litoral da Bahia, com ondas em torno 2,5m. Há risco e ressaca.

 

Campeonato mundial de surf no Rio de Janeiro

Com o afastamento da parte intensa do swell, as ondas diminuem gradualmente até o domingo no litoral do Rio de Janeiro, mas ainda deve ter picos de até 2,0 m até o sábado. As provas da quarta-feira, 13, foram canceladas por causa da ressaca.

No Climasurf, você confere várias performances dos surfistas que participam no campeonato mundial que acontece no Rio de Janeiro, encontra a sua onda e a sua tribo no surfreporter, a rede social do surfe.