Arquivo da Categoria ‘São Paulo’

+ aumentar e diminuir fonte -
Chuva sobre o Sistema Cantareira
segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Áreas de instabilidade associadas ao avanço de uma frente fria provocaram pancadas de chuva durante a madrugada de domingo para segunda-feira em praticamente todo o estado de São Paulo. Devido ao rápido deslocamento do sistema, ocorreram temporais em várias localidades,  com fortes rajadas de vento. Mas as formações de nuvens carregadas perderam velocidade entre o sul de Minas e Vale do Paraíba e persistiram por algumas horas, o que garantiu volume acumulado variando entre cerca de 10 e 30mm sobre as barragens do Sistema Cantareira, segundo medições do Sistema de Alerta a Inundações de São Paulo, da Fundação Centro de Tecnológico de Hidráulica. Nesta segunda-feira a frente fria avança até o sul de Espírito Santo e deverá provocar pancadas de chuva no sul e leste mineiro, Rio de Janeiro e em pontos isolados do estado de São Paulo. Há previsão de chuva ainda sobre a região do Cantareira, mas a entrada de massa de ar de origem polar no decorrer do dia deverá inibir a formação de nuvens mais carregadas no leste paulista. A chuva diminui a partir de amanhã com a entrada de massa de ar mais seco.

Instabilidade continua sobre a Grande SP
domingo, 19 de outubro de 2014

Atualizado às 22h15 de 19/10/2014 

 

 Áreas de instabilidade associadas a uma frente fria espalham nuvens carregadas por muitas regiões do Estado de São Paulo. Parte destas nuvens ainda passa sobre a Grande São Paulo podendo provocar chuva forte , raios e ventania.  Além da Grande São Paulo, a chuva se espalha sobre a região de Campinas, Bragança Paulista, Baixada Santista e avança para São José dos Campos.

 

 

 

Por causa do deslocamento desta linha de instabilidade, rajadas de vento de 56 km/h ocorreram às 21h na região do Mirante de Santana, na zona norte da capital paulista, pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia. Em Barueri, uma rajada chegou aos 57 km/h.

 

 

No começo da noite do domingo, a linha de instabilidade provocou chuva forte na região de Angatuba, Guareí e Itapetininga. A passagem destas nuvens carregadas sobre Itapeva, no sul do Estado de São Paulo, provocou uma rajada de vento com 89 km/h, às 18h.

 

 

A passagem da linha de instabilidade sobre a Grande São Paulo deve provocar fortes pancadas de chuva , com raios e risco de fortes rajadas de ventos que podem alcançar velocidades em torno dos 80 km/h. Há risco de granizo.

Na região de Sorocaba e de São Miguel Arcanjo as rajadas chegaram aos 76 km/h, às 19h, pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia.

 

 

Esta linha de instabilidade se formou com o calor intenso e o deslocamento de uma frente fria que está chegando do Estado de São Paulo . Várias áreas de chuva se espalham sobre o Estado de São Paulo neste domingo e há previsão de mais chuva para  esta segunda-feira.

Modelos indicam retorno da chuva para o Sudeste
sábado, 18 de outubro de 2014

Ao longo das últimas semanas sempre houve o indicativo de que a chuva voltaria ao Sudeste nos últimos dez dias deste mês de outubro.  Neste mês houve de tudo na Região, principalmente em São Paulo, no Sul de Minas e no Rio de Janeiro. A primeira semana foi gelada, com temperatura máxima chegando a valores inferior a 20 graus e mínimas e torno de 11 graus. Na segunda semana foi esquentando gradativamente e nesta última semana o termômetro ferveu. Nesta sexta-feira, a estação do INMET que fica no Mirante de Santana registrou a maior temperatura dos últimos 71 anos (desde que se começaram a medir a temperatura em São Paulo): 37,8 graus.

E a chuva, quando vem?

São Paulo clama por água e, ao que tudo indica, ela chegará! Obviamente que, em princípio, não teremos replecionamento dos reservatórios que estão em baixas recordes, mas já é o princípio de uma retomada (que deve ser bem lenta). O problema é que o solo está muito seco e essas primeiras pancadas de chuva não mexem em nada com o nível das represas (que podem até continuar deplecionando o seu nível). Portanto, a população deve manter toda a cautela e aumentar as suas medidas para economizar água.

 

 

Os modelos numéricos de previsão do tempo indicam chuva não só para este Estado, como também para os demais, como podemos observar na figura acima. Com o retorno da chuva o calorão vai embora. O frio não deve voltar, mas teremos pela frente temperaturas bem mais amenas do que na última semana.

 

São Paulo: calor pode bater novo recorde no fim de semana
sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Se você mora na região da cidade de São Paulo e tem menos de 71 anos, nunca sentiu um calor tão grande como nesta sexta-feira, 17 de outubro de 2014.

Foi um calor histórico, nunca antes observado, em nenhum mês, em nenhuma estação do ano!

O Instituto Nacional de Meteorologia registrou 37,8°C de temperatura máxima no Mirante de Santana, na zona norte da cidade. Foi a maior temperatura observada neste local desde 1943, quando começaram as medições regulares.

Na zona sul também houve um recorde histórico de calor. A estação meteorológica operada pela USP, que fica em frente ao Zoológico, registrou 37,2°C nesta sexta-feira, a maior temperatura neste local desde 1933.

 

Calor pode aumentar no fim de semana

O calor extremo foi sentido esta semana em todo o Estado de São Paulo. Temperaturas de 38°C a 41°C foram registradas todas as tardes entre 13 e 17 de outubro, em grande parte do Estado.

A onda de calor ainda vai atuar sobre São Paulo neste fim de semana e o calor poderá ser ainda maior. Isto significa que até o domingo, a temperatura na cidade de São Paulo poderá bater novamente o recorde de calor histórico. Algumas simulações feitas em supercomputadores indicam que a temperatura poderá chegar aos 40°C no fim da semana.

Além do sol forte e do calor intenso, algumas pancadas de chuva já poderão ocorrer na tarde e noite do domingo.

Quando o calorão vai acabar° 

A onda de calor só deve acabar com uma grande frente fria que está sendo esperada a partir de segunda-feira, 20 de outubro. Esta frente fria vem trazendo uma forte massa de ar polar. A combinação do aumento de nuvens (evitam o sol forte), chuva (refresca o ar), ventos (mistura as camadas de ar, refresca e diminuição a sensação de calor) e do ar polar (mistura com o ar quente, refresca) vão fazer a temperatura baixar no Brasil.

A temperatura começa a baixar no Sul do Brasil no domingo e no Estado como São Paulo durante a segunda-feira.

Será a segunda-feira mais sensacional do ano!

 

São Paulo 37,8°C – maior temperatura em 71 anos
sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Atualizado em 17/10/2014 às 17h57

Choveu na cidade de São Paulo nesta sexta-feira de calor histórico! Poucas pessoas viram e alguns relatos de chuva na Lapa, na zona oeste, e também na área central da cidade  foram comunicados a Climatempo.

A chuva fraca caiu também na Vila Romana, na zona oeste, e foi registrada por Dave Casali, que compartilhou com a Climatempo.

 

 

Recorde histórico em São Paulo no Mirante de Santana (zona norte)

O calor aumentou muito na Grande São Paulo os últimos dois dias e bateu todos os recordes na tardes desta sexta-feira, 17 de outubro de 2014. É uma tarde histórica, a mais quente na capital paulista em 71 anos.

Às 15 horas, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou 37,8°C no Mirante de Santana, na medição da estação meteorológica convencional.  No mesmo horário, o Inmet registrava 38,4°C na medição automática do Mirante, na zona norte. Este é um valor apenas de referência, pois os recordes de temperaturas são aferidos na medição da estação meteorológica convencional. O Campo de Marte, na zona norte da cidade, registrou 37°C.

A tarde desta sexta-feira foi mais quente de 2014. O recorde atual de calor deste ano é de 36,4°C em 13 de outubro.

A forte onda de calor que se instalou sobre o Brasil esta semana tem causado temperaturas extremamente elevadas no Estado de São Paulo. Várias cidades estão registrando calor de 39°C a 41°C desde o começo da semana.

A onda de calor persiste sobre São Paulo até o domingo e até lá há possibilidade de bater este recorde. Pancadas de chuva são esperadas para o fim da tarde e noite do domingo, mas principalmente a partir da segunda-feira, dia 20. 

Zona sul de São Paulo tem recorde histórico de calor

A estação meteorológica da USP localizada no bairro da Água Funda, na região do Zoológico, registrou na tarde desta sexta-feira, 17 de outubro, a temperatura de 37,2°C. Esta é a maior temperatura observada neste local desde 1933 e é passa ser o recorde de calor histórico. O recorde de calor absoluto anterior era de 36,7°C e foi registrado em 13 de outubro. Assim, este recorde foi batido pela segunda vez dentro da onda de calor que atinge São Paulo.

 

Confira as maiores temperaturas já registradas em São Paulo pelo Inmet

1)   37,8°C em 17/10/2014
2)   37,0°C em 20/01/1999
3)   36,7°C em 19/01/1999 e em 21/01/1999
4)   36,6°C em 31/10/2012
5)   36,4°C em 07/02/2014
6)   36,3°C em 08/02/2014
7)   36,1°C em 30/10/2012
8)   36°C em 09/02/2014
9)   35,9°C em 01/02/2014 e em 13/10/2014
10)   35,7°C em 03/12/1998 e  em 10/10/2002

 

Quando o calor vai terminar?

37°C em São Paulo rumo ao recorde histórico de calor
sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Atualizado em 17/10/2014 às 13h10

O dia começa com sol forte em toda a Grande São Paulo. Poucas nuvens se formam no céu por conta do predomínio do ar seco e quente que persiste devido a presença de um bloqueio atmosférico.

O calor já chegou dos 37°C no Aeroporto do Campo de Marte na Zona Norte da Capital.O recorde histórico de calor na cidade de São Paulo pode ser batido ainda nesta sexta-feira. O recorde absoluto de calor é 37°C no dia 20 de janeiro de 1999.

Confira no gráfico a evolução da temperatura e da umidade relativa do ar às 11h da manhã ao longo desta semana no aeroporto de Congonhas.

Veja também a evolução da temperatura ao longo do dia no aeroporto do Campo de Marte na Zona Norte da capital.

A imagem do satélite meteorológico mostra o ar seco ganhando força. Os tons em marrom representam o ar seco e em verde um ar mais úmido.

Com essa condição a qualidade do ar segue ruim. Segundo o fechamento de quinta-feira (16) da CETESB, 5 estações registraram qualidade do ar muito ruim e 7 tiveram registros de ruim. Apenas duas estações tiveram qualidade do ar boa, são elas: Cerqueira César na Zona Norte e a do Parque D. Pedro II na Zona Oeste.

Com o predomínio de sol forte e poucas nuvens, além dos ventos de norte que trazem um ar mais quente, as temperaturas sobem rápido. Faz muito calor, tanto que há chances da maior temperatura de 2014 ser ultrapassada. O recorde atual de maior temperatura de 2014 em São Paulo, aconteceu no dia 07 de fevereiro quando a estação convencional do INMET no Mirante de Santana (Zona Norte) registrou 36,4°C.

Quando volta a chover em São Paulo?

No domingo (19) uma frente fria se aproxima de São Paulo. Há o risco de pancadas de chuva ao longo da noite e a segunda-feira (20) já começa com tempo instável e chuva a qualquer momento. A temperatura cairá por volta de 10°C na maior temperatura do dia, ou seja, não fará tanto calor quanto o que registramos nos últimos dias.

Leia também: Quando o calor vai terminar?

Calor ainda bate recorde no Brasil até a segunda-feira
quinta-feira, 16 de outubro de 2014

A intensa onda de calor que está sendo observada sobre o Brasil fez com centenas de cidades brasileiras voltassem a registrar temperaturas acima dos 37°C nesta quinta-feira, 16 de outubro de 2014. As estações medidoras do Instituto Nacional de Meteorologia registraram marcas de 40,0°C ou mais em 20 cidades. Temperaturas desta ordem estão acontecendo desde o domingo, mas o número de locais com temperaturas de 40°C vem aumentando.

O que mais impressiona é que em Mato Grosso do Sul e também no interior de São Paulo, as temperaturas de 40°C estão sendo registradas em amplas áreas e todos os dias desde o começo desta semana.

O Estado de Mato Grosso do Sul está no centro da onda de calor e  vem sendo a região mais quente do Brasil nos últimos dias. Nesta quinta-feira, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou 42,7°C em Porto Murtinho, temperatura que fica entre as 10 mais elevadas oficialmente observadas no Brasil.

Brasil dos 43°C

Nesta quinta-feira, a temperatura no Sul chegou aos 39,3°C em Planalto, no sudoeste do Paraná, 42,7°C em Porto Murtinho, em Mato Grosso do Sul, 40,9°C em Barretos, no norte de São Paulo, 40,4°C em Paranã, no Tocantins e aos 40,4°C em Oeiras, no Piauí.

 

 

Recordes de calor

Novos recordes de calor ocorreram nesta quinta-feira em capitais brasileiras. Cuiabá, capital de Mato Grosso, bateu recorde com temperatura máxima de 40,6°C, igualando a marca do dia 11de outubro.

Palmas, capital do Tocantins, teve máxima de 40,8°C superando os 40,4°C dos dias 15 de setembro e 14 de outubro.

Mais recordes à vista

Até a segunda-feira ainda podem ocorrer vários recordes de calor nas capitais. Os mais prováveis são em São Paulo, no Rio de Janeiro, em Belo Horizonte, em Vitória em Goiânia, em Campo Grande, em Cuiabá, em Brasília e em Palmas.

Confira as maiores temperatura de 2014 nas capitais do Brasil registradas nas estações meteorológicas convencionais do Instituto Nacional de Meteorologia.

 

 Chuva e ar polar à vista

 Fugindo do calor

Calor de outubro bate recorde histórico em SP e MS

Você está em dia com vitamina D?

 

São Paulo vai explodir de calor
quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Com a mudança na direção do vento e o afastamento de uma massa de ar frio em alto-mar, a temperatura voltou a subir (e muito) na cidade de São Paulo nesta quinta-feira. De acordo com o o Instituto Nacional de Meteorologia, (Inmet), os termômetros chegaram a 34,8°C no Mirante de Santana, na zona norte da capital. Na quarta-feira a temperatura não passou de 28,2°C. Por volta de 15h desta quinta-feira, a temperatura chegou aos 34 graus nos aeroportos de Congonhas e do Campo de Marte, com umidade de 26% e 30%, respectivamente.

Vai esquentar ainda mais?

A maior temperatura registrada pelo Inmet em São Paulo, na estação do Mirante de Santana, até agora, foi de 37,0°C em  20 de janeiro de 1999.
A temperatura de 35,9°C registrada na segunda-feira passada, 13 de outubro de 2014, 35,9°C, foi a sexta mais alta de todo o histórico de medições, desde 1943.
A maior temperatura de 2014, até agora, é de 36,4°C em 7 de fevereiro, que foi quarta maior temperatura na cidade desde 1943 e a maior para um dia de fevereiro também desde 1943.
Podemos ter um novo recorde de calor histórico de calor nesta onda de calor de outubro de 2014, bater os 37,0°C?
A possibilidade real existe e este valor poderá ser alcançado até a tarde do domingo. É o calor extremo antes da chuva da semana que vem.
São Paulo: calor passa dos 30°C
quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Atualizado às 14h45 em 16/10/2014

No aeroporto de Congonhas a temperatura já chegou aos 33°C na tarde da quinta-feira. Tudo por conta do tempo firme e de céu com poucas nuvens que favorece o calor.

Já dizia o velho ditado: “Neblina que baixa é sol que racha”. E é exatamente o que está acontecendo com a cidade de São Paulo ao longo da quinta-feira (16). O dia começou com com algumas nuvens e névoa, mas que rapidamente se afastou e deu lugar ao sol forte.

Na quinta-feira o sol vai predominar e a temperatura vai subir mais do que na quarta-feira.

Com o predomínio do ar seco e de pouco vento, a qualidade do ar já piora segundo informações das estações de medição da CETESB.

Risco de recorde calor em São Paulo

O ar seco vai predominar ao longo dos próximos dias sobre a cidade de São Paulo. Desta forma não há chances para a chuva e o sol vai brilhar forte. Faz muito calor no sexta-feira (17), tanto que há a possibilidade de que o recorde de maior temperatura do ano na capital paulista seja batido. Até o momento, o recorde de calor de 2014 é de 36,4°C no dia 07 de fevereiro.

No domingo (19) a aproximação de uma frente fria poderá provocar algumas pancadas de chuva de forma rápida e localizada entre a tarde e a noite.

Mais calor e menos umidade na Grande SP
quarta-feira, 15 de outubro de 2014

Nuvens, muitas nuvens! Um céu completamente nublado era a visão que se tinha no fim da tarde desta quarta-feira sobre praticamente toda a Grande São Paulo.

Nuvens acinzentadas, que se espalham por todo céu, são uma ótima prova de que a umidade relativa do ar está alta. E foi isto que aconteceu na Grande São Paulo. Uma frente fria passou pelo litoral paulista na terça-feira, 13, fraca, com pouco ar polar. Mas a passagem desta frente fria fez com que ventos marítimos voltassem a soprar sobre a Grande São Paulo enchendo o ar de umidade que formou a camada de nuvens desta quarta-feira.

Na imagem de satélite, as nuvens aparecem como a grande mancha cinza sobre a Grande São Paulo e se estendendo também por todo o litoral.

A chuva está próxima?

A visão do céu nublado, o ar fresco deixam todos animados com a volta da chuva e o fim do calorão. Mas não  é isto que acontece nos próximos dias. Os ventos quentes voltam a soprar nesta quinta-feira e a umidade diminui novamente. A Grande São Paulo esquenta e muito até o domingo, fica sem chuva, seca e pode até bater recorde de calor. Por enquanto, o recorde é de 36,4°C que ocorreu em fevereiro, mas na segunda-feira passada o Instituto Nacional de Meteorologia registrou 35,9°C. Foi a terceira tarde mais quente na cidade.

Quando chove?

Uma grande frente fria está sendo esperada para o fim de semana no Sul do Brasil, mas que já no domingo, 19, poderá provocar pancadas de chuva no Estado de São Paulo. A semana que vem será da chuva!

 

Desidratação: boca seca é um sinal amarelo!