Arquivo da Categoria ‘São Paulo’

+ aumentar e diminuir fonte -
Mesmo úmido, ar segue ruim em São Paulo
quarta-feira, 15 de outubro de 2014

A quarta-feira (15) começou com sol e algumas nuvens no céu de São Paulo. A nebulosidade não encobre completamente o sol, mas não deixa a temperatura subir tanto quanto no início da semana. No aeroporto de Congonhas a menor temperatura registrada na manhã foi de 19°C, na segunda-feira (13) fazia 24°C no mesmo horário de medição.

As imagens do satélite meteorológico mostram a chegada de um ar um pouco mais úmido nos tons em verde. Esse ar é proveniente do ar, o que ajuda a não deixar a temperatura subir tanto.

A umidade presente no ar também aumentou, mas a qualidade do ar não melhorou na Região Metropolitana de São Paulo.

Segundo o resumo da CETESB duas estações tiveram qualidade do ar péssima registrada. São elas: Cidade Universitária (Zona Oeste) e no Ibirapuera (Zona Sul). Nenhuma estação teve qualidade do ar boa para respirar segundo o fechamento da CETESB.

Medidor de rua registra qualidade do ar péssima - por Caio Jorge Rumam Zona Oeste - São Paulo/SP

Mais calor e menos chuva para a Grande SP

Para aqueles que já estão sentindo falta das temperaturas acima dos 30°C, o calorão estará de volta! Já a partir da quinta-feira (16) a nebulosidade se afasta de São Paulo e o sol brilhará forte. A temperatura sobe rápido e novamente as temperaturas máximas ficarão acima dos 30°C, ou seja, teremos temperaturas máximas acima da média climatológica para o mês de outubro que é de 24,8°C.

Somente no domingo (19) que a aproximação de uma frente fria pelo sul do país vai favorecer a organização de áreas de instabilidade e provocar algumas pancadas de chuva localizadas. As pancadas devem acontecer principalmente pela tarde e pela noite. O sol ainda irá predominar pela manhã e pela maior parte da tarde.

Calor bate recorde de 53 anos em SP
terça-feira, 14 de outubro de 2014

Em nota oficial, o Instituto Nacional de Meteorologia divulgou nesta terça-feira, 14 de outubro de 2014, que o calor foi recorde para este ano no interior de São Paulo e também bateu recordes históricos de 53 anos.

Grande SP sem chuva, mas com muitas nuvens

Apesar do calor intenso no interior e a passagem da frente fria a chance de chuva é baixa no decorrer da semana. Na capital, no litoral e no leste de São Paulo, a nebulosidade persiste nesta quarta-feira e a temperatura fica agradável, sem o calor intenso. O nível de umidade deve se manter acima dos 50% em grande parte do dia. Porém, a partir de quinta-feira o esquenta de novo e volta o calor.

No interior, as temperaturas continuam muito elevadas e podem alcançar marcas próximas dos 40°C até o fim da semana.

Leia a nota completa

Nota Meteorológica

INMET- 14/10/2014

Tarde de calor extremo registra 6 cidades com 40°C no interior do estado de SP e recordes de temperatura de 53 anos em São Simão e Franca.

O Instituto Nacional de meteorologia registrou temperaturas máximas acima de 40°C em 6 cidades do interior do estado, com recordes da série histórica recente em Lins, Barretos, Pradópolis e Barra Bonita (estações meteorológicas abertas entre 2006 e 2010, ver abaixo):

Valparaíso: 40,6°C
Lins:  40,5°C  (anterior 39,3°C em dez/2013), aberta em 2006
Barretos:  40,3°C (anterior 39,5°C em 13/10/2014), aberta em 2010
Pradópolis: 40,2°C (anterior 38,9°C em out/2012,   aberta em 2008
Barra Bonita: 40,1°C (anterior 39,9°C out/2012),  aberta em 2007
José Bonifácio: 40,0°C (2ª maior, o recorde é de 41,3°C em out/2012),estação aberta em out/2007.

Nas cidades de Franca e São Simão, medições em estações meteorológicas convencionais de série histórica mais longa, foram quebrados os recordes de temperatura máxima dos últimos 53 anos, ou seja, desde o ano da abertura das estações em 1961.
Em São Simão a máxima foi de 39,5°C (recorde anterior era de 39,2°C em out/2012).
Em Franca a máxima alcançou 36,2°C (anteriores eram de 35,6°C ontem dia 13/10/2014 e de 35,5°C em 05/10/1963).

Na capital SP hoje, dia 14/10, a temperatura máxima alcançou os “bem agradáveis 30,8°C” (dados da automática do Mirante de Santana) se comparáveis com os 35,9°C de ontem 13/10.

 

Quando o calor vai diminuir?

Sudeste queima e espera por chuva

 

 

Nove cidades em SP registraram 40°C hoje
terça-feira, 14 de outubro de 2014

O interior do Estado de São Paulo estava entre as áreas mais quentes do Brasil por volta da 1 hora da tarde desta terça-feira, 14 de outubro. Pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia, das 10 maiores temperaturas observadas às 13 horas, quatro eram em cidades paulistas e todas em torno dos 39°C.

 

Uma frente fria passa pelo litoral paulista, mas muito fraca, conseguindo espalhar muitas nuvens e uma pequena quantidade de ar polar apenas no leste do Estado. Assim, cidades do litoral, da Grande São Paulo, nos vales do Paraíba e do Ribeira estão tendo um dia com muitas nuvens, embora sem chuva até o início da tarde. Mas com aumento da nebulosidade, o sol não ficou tão forte e a temperatura baixou.

 

Grande SP sem chuva, mas com muitas nuvens

Apesar do calor intenso no interior e a passagem da frente fria a chance de chuva é baixa no decorrer da semana. Na capital, no litoral e no leste de São Paulo, a nebulosidade persiste nesta quarta-feira e a temperatura fica agradável, sem o calor intenso. O nível de umidade deve se manter acima dos 50% em grande parte do dia. Porém, a partir de quinta-feira o esquenta de novo e volta o calor.

No interior, as temperaturas continuam muito elevadas e podem alcançar marcas próximas dos 40°C até o fim da semana.

Possibilidade de chuva em SP nesta terça
segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Uma frente fria passou pelo litoral de São Paulo nesta segunda-feira, mas só conseguiu baixar a temperatura e deixar nuvens pelo litoral paulista. O vento fresco e a nebulosidade impediram que a temperatura subisse muito, como ocorreu na região da capital e pelo interior. O calor atingiu 39°C em áreas do norte e do oeste de São Paulo.  No  vale do Paraíba fez 38°C em São José dos Campos, no aeroporto local.

Segundo do Inmet, a  cidade de São Paulo teve temperatura máxima de 35,9°C, a terceira mais alta de de 2014 e a terceira mais alta para um dia de outubro desde 1943, quando começaram as medições no Mirante de Santana.

 

 

Mas há uma chance de pancadas de chuva para algumas áreas do Estado de São Paulo nesta terça-feira. Áreas de instabilidade que provocaram até chuva forte em cidades do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina estão sendo desviadas para o mar pela forte massa quente e seca que predomina sobre o Brasil. Parte desta instabilidade deve avançar para o litoral de São Paulo, já enfraquecida, mas mesmo assim deve estimular algumas pancadas de chuva.

 

 

Pouca chuva e calor

Os paulistas não devem ficar animados com a chuva desta instabilidade. As pancadas de chuva quando ocorrerem devem ser em pequenas áreas do sul e do leste do Estado. Há uma chance de chuva sobre a Grande São Paulo, pelo litoral, nos vales do Paraíba e do Ribeira e na região de Sorocaba e de Campinas.

A possibilidade de chuva desta terça-feira não significa que a chuva virá frequente nos próximos dias.  Além disso, o calor vai continuar intenso. Veja a análise da meteorologista Josélia Pegorim sobre como será chuva no Brasil nos próximos 15 dias.

 

Acompanhe a crise hídrica em SP: SP vida sem água

E o que será do Cantareira em 2015?

Drone da Climatempo sobrevoa a barragem em Itu

Seca do rio Piracicaba captada pelo drone da Climatempo

 

Como fica o Cantareira em 2015?
segunda-feira, 13 de outubro de 2014

por Maira Di Giamo

A reserva técnica do Sistema Cantareira continua diminuindo dia após dia. Nesta segunda-feira, dia 13, o nível do reservatório atingiu 4,7% de acordo com a Sabesp. A chuva não vem e o calor da primavera pode agravar a situação. Confira as estimativas da meteorologista  Bianca Lobo sobre a recuperação da reserva técnica e do volume útil do Sistema no próximo ano.

Bianca Lobo, meteorologista da Climatempo explica que  “As chuvas retornam agora no final do mês de outubro. Durante novembro e dezembro a chuva que acontecer deve ser utilizada apenas para recuperar o volume da nossa reserva técnica.  A expectativa é que apenas em janeiro o nosso volume útil do Sistema Cantareira volte a se recuperar. Em abril de 2015, a expectativa é que a gente tenha um volume chegando em torno dos 27,5%. Se compararmos com 2014, quando fechamos abril com 10,7%, estaríamos em uma situação melhor, mas entrar novamente no inverno com volume de apenas 27,5% ainda é muito arriscado.”

 

Participe da nossa campanha SP: vida sem água e dê seu depoimento.

Recorde histórico de calor na Zona Sul de São Paulo
segunda-feira, 13 de outubro de 2014

 Atualizado às 15h20 de 13/10/2014

A estação meteorológica do IAG/USP registrou a maior temperatura desde que começaram as medições. A estação meteorológica fica na Água Funda, na Zona Sul da capital paulista em frente ao Zoológico. O registro máximo é de 36,7°C, este é o recorde absoluto de temperatura máxima desde 1933. O recorde anterior era de 36,1°C que foram registrados em 02 de janeiro e 01 de fevereiro de 2014.

São Paulo poderá ter hoje um novo recorde de calor e de secura do ar. Ao meio-dia, a temperatura na região do aeroporto de Congonhas, na zona sul da cidade, era de 34°C e a umidade relativa do ar estava em apenas 15%. Na zona norte, a estação meteorológica  automática do Instituto Nacional de Meteorologia, o nível de umidade do ar chegou aos 15% e a temperatura era de 35,2°C. Também na zona norte, o Campo de Marte registrava 34°C e 20% de umidade no ar. A maior temperatura de 2014 no Mirante este ano, até agora é de 36,4°C em 2 de fevereiro

Não há previsão de chuva para esta segunda-feira e os ventos continuam quentes por mais algumas horas. Uma frente fria está próxima do litoral paulista, mas sem força para mudar o tempo na capital.

Calor continua

Os paulistanos estão convivendo com altas temperaturas desde a quinta-feira da semana passada, quando os termômetros voltaram a disparar para marcas acima dos 30°C. Pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia no Mirante de Santana, na zona norte da cidade de São Paulo, a temperatura máxima na tarde de ontem foi de 34,9°C, o dia mais quente desde 9 de fevereiro quando a temperatura também chegou a este valor.

A tarde do domingo foi também a mais seca do ano. O nível às 15 horas  no Mirante foi de 18%. O recorde anterior era de 19% nos dias 10 de outubro e 10 setembro. Durante muitas horas no fim de semana, a população da Grande São Paulo ficou exposta a um ar com nível de umidade muito abaixo do recomendado (60%) pela OMS – Organização Mundial da Saúde.

Até o dia 21 de outubro, apesar da passagem de frente frias, o ar polar não chega com força sobre São Paulo. O calor vai continuar.

Com qualidade do ar péssima, Grande SP espera a chuva
segunda-feira, 13 de outubro de 2014

A população da Grande São Paulo sofreu com o calor e a secura do ar no fim de semana. Pelas medições do Instituto Nacional de Meteorologia no Mirante de Santana, na zona norte da capital paulista, a temperatura na tarde do domingo, 12, chegou aos 34,9°C. Foi a tarde mais quente desde o dia 9 de fevereiro, quando o termômetro também alcançou este mesmo valor.

A secura do ar bateu recorde no domingo. O nível às 15 horas  no Mirante foi de 18%. O recorde anterior era de 19% nos dias 10 de outubro e 10 setembro. Durante muitas horas no fim de semana, a população da Grande São Paulo ficou exposta a um ar com nível de umidade muito abaixo do recomendado (60%) pela OMS – Organização Mundial da Saúde.

 

Além do calor e da secura, a tarde de ontem teve talvez a pior qualidade do ar já registrada este ano pela Cetesb. Em dois locais (veja tabelas) a qualidade do ar foi considerada péssima, foi a quantidade de ozônio do ar foi muito maior do que o aceitável pelos padrões internacionais. Em outros seis pontos de medição na Grande São Paulo, a qualidade do ar foi avaliada como muito ruim. Em todos os casos, também houve excesso de ozônio. Cansaço e irritação nos olhos são dois dos incômodos causados pela quantidade excessiva de ozônio no ar.

 

 

Frente fria seca

O ozônio é um poluente que aparece em dias ensolarados. Sua formação ocorre a partir de uma reação fotoquímica na atmosfera e o agente causador desta reação é o excesso de luz solar.

É preciso chover para melhorar a qualidade do ar, mas a chance de chuva nesta segunda-feira é baixa, apesar da chegada de uma frente fria ao litoral paulista. A massa de ar seco e quente que atua grande parte do Brasil vai dificultar o crescimento de nuvens para provocar chuva.

Porém, com a passagem da frente fria, ventos marítimos voltam a soprar sobre a Grande São Paulo espalhando um pouco de umidade no ar. Mas a diferença no teor de umidade só deve ser notada no fim da tarde e à noite.

Não há previsão de chuva forte sobre a cidade até o fim da semana.

Recorde de secura do ar em São Paulo
sexta-feira, 10 de outubro de 2014

A semana que começou gelada em São Paulo, com temperatura em torno dos 10°C na madrugada, termina com calor intenso.  O Instituto Nacional de Meteorologia registrou uma temperatura máxima de 34,3°C no Mirante de Santana, na zona norte da capital. A tarde desta sexta-feira foi a mais quente na cidade desde o dia 10 de fevereiro, quando a máxima chegou aos 34,7°C.

Além do calor, a secura do ar certamente incomodou a população. Às 15 horas,a umidade relativa do ar no Mirante de Santana era de 19%, sendo o menor valor registrado este ano neste local.

Em outras áreas da cidade, o nível de umidade foi ainda mais baixo. Na zona sul, o aeroporto de Congonhas registrou 14% de umidade e 34°C. Na zona norte, o calor também chegou aos 34°C no Campo de Marte e a umidade mínima foi de 15%.

Confira as maiores temperaturas registradas pelo Inmet em São Paulo este ano.

Fim de semana

O fim de semana promete sol e calor para os paulistas e com praia! O bloqueio afasta as frentes frias para alto-mar e o ar seco impede o crescimento de grandes nuvens.

O ar polar continua longe e a temperatura se mantém elevada, passando dos 30°C à tarde também na Grande São Paulo

 

São Paulo muito quente!
sexta-feira, 10 de outubro de 2014

Atualizado em 10/10/2014 às 15h15

São Paulo está muito quente na tarde de sexta-feira (10). Os registros de temperatura do aeroporto de Congonhas chegaram aos 34°C às 14h. Já é a maior desde 10 de fevereiro deste ano quando a temperatura chegou aos 34,7°C. O recorde oficial de maior temperatura de 2014 é de 07 de fevereiro quanto o Mirante de Santana registrou 36,4°C.

E a semana termina com muito mais sol, calor e ar seco na Grande São Paulo. A presença do bloqueio atmosférico garante o tempo firme, com poucas nuvens no céu como pode ser visto pela imagem tirada na manhã desta sexta-feira (10) pelo meteorologista César Soares.

A imagem do satélite meteorológico mostra a presença de uma massa de ar muito seca que impede a formação de nebulosidade. Os tons puxados para o verde mostram um ar um pouco mais úmido e os tons em marrom indicam a chegada de um ar mais seco.

A tarde de quinta-feira (09) foi marcada pelo ar seco, os índices de umidade relativa do ar chegaram aos 20% na estação convencional do Instituto Nacional de Meteorologia no Mirante de Santana (Zona Norte). A última vez que os valores de umidade chegaram a tais níveis foi em 3 de agosto, ou seja, igualamos novamente a tarde mais seca do ano.

Com o predomínio do ar seco, a qualidade do ar tende a cair. Diversas áreas da Região Metropolitana de São Paulo registra qualidade do ar moderada já pela manhã da sexta-feira (10).

Qualidade do ar às 9h segundo estações da CETESB

Mais ar seco para São Paulo no fim de semana

O fim de semana também será marcado pelo sol e pelo calor. Apesar do sábado (11) ter algumas nuvens no céu paulistano, não há previsão de chuva e o calor continua. A chegada de umidade melhora um pouco a qualidade do ar na Grande SP e no litoral sul. O ar seco volta a ganhar força, faz calor e a umidade volta a cair.

A chuva só deve voltar à capital na segunda-feira e em forma de rápidas pancadas entre a tarde e a noite. Não são esperados grandes volumes, mas a chuva pode vir com forte intensidade.

São Paulo esquenta mais
quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Recorde de baixa umidade do ar

A tarde desta quinta-feira foi tão seca quanto a do dia 3 de agosto. O nível de umidade do  ar baixou para 20%, considerando a medição do nível de umidade do ar às 15 horas na estação meteorológica convencional do Mirante de Santana, na zona norte da capital paulista, operada pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).  Este é o atual recorde de baixa umidade do ar neste local.

Em algumas outras áreas da cidade o índice de umidade foi ainda mais baixo. No aeroporto de Congonhas a umidade baixou para 18%. No Campo de Marte, a umidade chegou a 17% entre 15h e 16h.

 Mais calor e secura

 

O ar polar e a chuva vão demorar para a chegar a São Paulo. Nesta quinta-feira, a temperatura chegou a 32°C em algumas áreas. O sol forte e calor predominam nesta sexta-feira e no fim de semana. O calor aumenta, mas não chega a bater novo recorde. O atual recorde de calor é de 36,4°C, em 7 de fevereiro. 

Há uma situação de bloqueio na atmosfera sobre o Brasil que vai dificultar a chegada das frentes frias ao interior do Estado de São Paulo. A chance  de chover sobre a Grande São Paulo é remota pelo menos até a próxima segunda-feira.

Fim de semana

O fim de semana promete sol e calor para os paulistas e com praia! O bloqueio afasta as frentes frias para alto-mar e o ar seco impede o crescimento de grandes nuvens.

Confira a previsão das ondas para o fim de semana, com o meteorologista César Soares

 

Ar mais poluído

Com o ar seco e parado, São Paulo fica sem nuvens, sem chuva e mais poluída.  Nesta quinta-feira, Cetesb registrou qualidade do ar ruim em três pontos de medição. 

 

 

Quando o Cantareira terá chuva forte?

Saiba quando volta a chover de forma generalizada sobre o Sudeste