Arquivo da Categoria ‘Centro-Oeste’

+ aumentar e diminuir fonte -
Ar seco predomina no Centro-Oeste
terça-feira, 29 de julho de 2014

Após as mudanças no tempo devido a passagem da frente fria, o ar seco volta a predominar sobre o Centro-Oeste do Brasil. A nebulosidade de afasta e o sol aparece forte na Região. A temperatura começa a subir, e os índices de umidade relativa dos ar começam a cair.

Imagem de satélite do canal do infravermelho

 

O predomínio de sol e a mudança na direção dos ventos, já começam a deixar a temperatura subir sobre o Centro-Oeste. Somente as madrugadas tendem a ser mais fria por conta do tempo aberto, que proporciona a rápida perda do calor acumulado pela atmosfera. Durante a semana o ar seco predomina sobre a Região e não há previsão de chuva.

Sudeste e Centro-Oeste voltam a secar
segunda-feira, 28 de julho de 2014

A maioria das áreas do Sudeste e do Centro-Oeste do Brasil teve muita chuva nos últimos dias por causa de uma grande frente fria que entrou no país. Julho está terminando com chuva bastante acima do normal em muitas áreas destas Regiões.

Do início do mês até 28 de julho, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou aproximadamente 128 mm sobre Campo Grande, capital de Mato Grosso do Sul, sendo que a média normal de chuva para julho fica em torno dos 46 mm. Choveu 174% acima da média. Em Cuiabá, capital de Mato Grosso, choveu quase 49 mm neste período. A média de chuva de julho é de aproximadamente 10 mm.

Em Rio Verde, no sul de Goiás, a média de chuva para julho fica em torno de 15 mm e choveu 56 mm. Em Franca, no norte de São Paulo, a média para julho fica em torno de 26 mm e choveu quase 61 mm. Em Dourados, no sul de Mato Grosso do Sul, choveu quase 102 mm, sendo que a média para julho é de 44 mm. No Triângulo Mineiro, a média de chuva para julho em geral não passa dos 25 mm e choveu entre 70 mm e 80 mm entre os dias 24 e 28 de julho.

Os mapas mostram a quantidade de chuva acumulada e a anomalia (diferença em relação à média) nas Regiões Sudeste e Centro-Oeste. Os tons de azul indicam que choveu acima do normal.

 

 

 

Excesso de umidadde atrapalha coheitas

O excesso de umidade com o tempo chuvoso dos últimos dias certamente atrapalhou muito a colheita do café em São Paulo, em Minas Gerais e no Paraná, a colheita da cana-de-açúcar e também do algodão no sul de Goiás.

Mas o tempo volta a colaborar em breve e os agricultores poderão compensar os atrasos por causa da chuva. No no decorrer da semana, as condições do tempo mudam completamente. Um bloqueio atmosférico se organizada e a maioria das áreas do Sudeste e do Centro-Oeste vão passar vários dias sem chuva. A meteorologista Josélia Pegorim mostra como será a distribuição de chuva sobre o Brasil nos próximos 15 dias.

 

Recordes de frio em Belo Horizonte, Brasília e Goiânia
segunda-feira, 28 de julho de 2014

Recordes de frio em Belo Horizonte, Brasília e Goiânia

A tarde do domingo, 27 de julho foi a mais fria de 2014 nas capitais Belo Horizonte (MG), Goiânia (GO) e na capital federal, Brasília.

Em Belo Horizonte e também em Goiânia, o recorde de menor temperatura máxima deste não foi batido por dois dias consecutivos, no sábado e em seguida no domingo.

Veja quais são os atuais recordes de menor temperatura máxima e menor temperatura mínima, até o dia 27 de julho, nas capitais do Sudeste e do Centro-Oeste, pelas medições do Instituto Nacional de Meteorologia nas estações meteorológicas convencionais de controle.

 

 

 

 

Mais recordes de frio esta semana

As tardes frias do último fim de semana de julho foram as mais frias do ano até agora em grande parte do Sudeste e do Centro-Oeste por causa da combinação de ar polar e da falta do sol. A grande frente fria que entrou no Brasil na semana passada deixou suas nuvens de chuva e o ar polar espalhados sobre estas regiões no fim de semana.

Mas ainda poderemos ter mais recordes de frio no decorrer desta semana, mas serão de madrugadas mais frias de 2014. Com a diminuição da nebulosidade, as noites vão ficar mais frias.

A madrugada desta segunda-feira pode ter sido a mais fria do ano em Brasília. A confirmação virá só depois das 10 horas da manhã.

O quem vem por aí?
domingo, 27 de julho de 2014

Julho está terminando sob influência de uma super frente fria. Além do frio, e foi recorde em várias áreas do Sudeste, do Centro-Oeste e em parte do Norte, a chuva desta frente foi marcante. Entre os dias 24 e 27 de julho, muitas regiões do Sudeste e do Centro-Oeste tiveram mais chuva do que o volume médio normal para o mês. Agora, esta frente fria começa a influenciar o Nordeste.

Acompanhe aqui na Climatempo, lendo nossas matérias e nos jornais meteorológicos ao vivo, Climatempo News, as reviravoltas do tempo no Brasil. Veja alguns assuntos que vão merecer uma atenção especial dos meteorologistas.

  • - Recordes de frio na madrugada podem ocorrer especialmente no Sudeste com a diminuição da nebulosidade à noite, o efeito de subsidência vai agir para acentuar o resfriamento na madrugada.
  • - Vai pegar avião esta semana? Conte com atrasos porque poderemos ter nevoeiro no começo da manhã em muitas áreas do Sudeste e do Sul.
  • - Bloqueio atmosférico vai barrar a chuva na fronteira com o Uruguai
  • - Frente fria passa pelo litoral da Bahia e deixa o tempo mais instável em Salvador, Semana com risco de chuva forte!
  • - Áreas de instabilidade crescem na costa leste do Nordeste e semana começa com preocupação com chuva forte em Recife e João Pessoa

  • - Ar polar se afasta do Brasil e temperatura sobe até o fim da semana. Volta a sensação de calor e níveis de umidade do ar vão baixar. Vem aí dias de “efeito cebola”!
  • - A chuvarada que caiu sobre o Sudeste teve algum efeito sobre os reservatórios de água que abastecem a Grande São Paulo? E sobre os reservatórios para produção de energia?
Frente fria causa recorde de frio em Brasília
domingo, 27 de julho de 2014

A tarde do domingo, 27 de julho, foi a mais fria de 2014 até agora em Brasília. O Instituto Nacional de Meteorologia registrou a temperatura máxima de apenas 20,1°C. O recorde anterior de menor temperatura máxima era de 21,4°C, em 3 de abril. Mas na sexta-feira, dia 25, já sob os primeiros efeitos da frente fria, a temperatura máxima baixou para 21,5°C.

Brasília também sentiu as mudanças no tempo provocadas pela grande e forte frente fria que invadiu o Brasil nos últimos dias. Neste domingo, a frente fria provocou grande aumento de nuvens, chuva fraca, e fortes rajadas de vento, de origem polar, sobre a região da capital federal, o que impediu a elevação da temperatura.

Veja como variou a temperatura máxima nos últimos dias em Brasília

 

 

Até a terça-feira, o Distrito Federal ainda vai sentir alguma influência desta frente fria. Mas entrando em agosto, tudo volta ao normal: secura.

Confira a tendência dos níveis de umidade na região do Distrito Federal, nas próximas 48 horas.

 

 

Aprenda um pouco mais sobre massas polares e frentes frias. 

Domingo de chuva e frio em Brasília
domingo, 27 de julho de 2014

Nuvens carregadas de uma frente fria estão espalhadas pelo Planalto Central neste domingo (27). A cidade de Brasília está com muita umidade e com predomínio de céu nublado desde o início do dia. E a tarde começou com chuva fraca e temperatura baixa na capital federal. Por volta de 13h os termômetros indicavam apenas 19 graus na região do aeroporto JK. Até a noite o tempo segue instável, ainda com possibilidade de chuva de fraca a moderada intensidade. O excesso de umidade e a presença do ar frio polar mantém a sensação de frio alta na maior parte do dia.

Domingo com mais recordes de frio
sábado, 26 de julho de 2014

Julho está terminando com recordes de frio em várias capitais do Brasil por causa da grande e forte frente fria que invadiu o país nos últimos dias. Sua massa polar veio muito forte, como já esperado e ainda é reforçada neste domingo.

A tarde do sábado, 26 de julho, foi a mais fria de 2014 em São Paulo, no Rio de Janeiro. Goiânia também revê recorde de tarde mais fria pelo segundo dia consecutivo. Campo Grande, capital de Mato Grosso do Sul, também esfriou mais neste sábado. No Acre, a capital Rio Branco bateu o recorde de menor temperatura mínima pelo segundo dia consecutivo.

Domingo gelado

O frio vai continuar no Sul, no Sudeste e por quase todo o Centro-Oeste neste domingo. É possível que Porto Alegre tenha a madrugada mais fria do ano. Possibilidade de novo recorde de tarde mais fria do ano novamente em São Paulo, no Rio de Janeiro, em Florianópolis e em Curitiba.

Ar polar e falta de sol causaram os recordes

A combinação de ar polar, chuva e céu nublado impedindo a presença do sol fizeram a temperatura cai mais em áreas do Sudeste e do Centro-Oeste do Brasil. Novos recordes de frio ocorreram neste sábado. Mas não foram recordes de madrugada mais fria, pois o céu nublado à noite evitou um resfriamento do ar ainda maior. Por outro lado, a nebulosidade presente no decorrer do dia escondeu o sol e impediu o aquecimento do ar. Este foi um fator muito importante para manter o frio à tarde.

Recorde de BH é dúvida ainda

É bastante provável a tarde deste sábado tenha sido a mais fria de 2014 também em Belo Horizonte. Até 19 horas, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) divulgou apenas valor da temperatura máxima da estação meteorológica automática. Para efeito de recordes oficiais, a Climatempo considera a temperatura da medição convencional. A máxima divulgada foi de 17,6°C. Ao longo do dia, a maior temperatura observadas em locais de medição regular foi de 20°C no aeroporto Carlos Prates.

Confira os recordes atuais de frio nas capitais do Sul, Sudeste e do Centro-Oste, com as medições do Inmet.

 


 


Mais chuva no SE e no CO
sexta-feira, 25 de julho de 2014

A grande e forte frente fria que entrou no Brasil já provocou chuvas volumosas no Sudeste e no Centro-Oeste. O volume de chuva que ocorreu entre os dias 24 e 25 de julho superou a média normal para julho em muitas áreas das duas Regiões.

A tabela mostra alguns acumulados de chuva registrados pelo Instituto Nacional de Meteorologia entre 20 horas do dia 24 de julho e 20 horas de 25 de julho de 2014. Compare com o mapa que mostra a média normal de chuva (média climatológica) no Sudeste e no Centro-Oeste. Para a maioria das áreas destas duas Regiões, esta média não supera 25 mm.

 

 

 

O mapa abaixo mostra a previsão da chuva até o fim de julho.

 

 

Sexta de recordes de frio
sexta-feira, 25 de julho de 2014

A grande frente fria que invadiu o Brasil esta semana trouxe muita chuva, ventania e também muito frio. Sua forte massa de ar polar continental espalhou ar frio sobre o Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Norte do Brasil. Várias capitais registraram recordes de frio para 2014 na sexta-feira, 25 de julho. Foram recordes de madrugada ou de tarde mais fria do ano. Cuiabá, capital de Mato Grosso, teve duplo recorde de frio.

O ar polar foi sentido nesta sexta-feira até em Brasília, que teve a segunda tarde mais fria de 2014, até agora, com máxima de 21,5°C. O recorde de menor temperatura máxima em Brasília é de 21,4°C, em 3 de abril.

Confira quais capitais bateram recordes de baixas temperaturas, pelas medições do Instituto Nacional de Meteorologia.

 

 

Fim de semana frio

O ar polar ainda será sentido no fim de semana por todo o Sul, no Sudeste e no Centro-Oeste. Os Estados do Acre e de Rondônia também vão continuar sentindo a friagem, neste sábado, mas já aquecem no domingo. No Sul, o frio intenso vai provocar geada que pode ser forte. Muitas áreas terão temperatura abaixo de zero.

 

Frio bate recorde em Cuiabá (MT) e Campo Grande (MS)
sexta-feira, 25 de julho de 2014

Novos recordes de frio em Cuiabá (MT) e Campo Grande (MS)

O ar polar entrou forte sobre o Mato Grosso do Sul e o Mato Grosso derrubando a temperatura. As duas capitais dos estados, Cuiabá (MT) e Campo Grande (MS) registraram novos recordes de frio nesta sexta-feira. Pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia, a temperatura mínima em Cuiabá foi de 12,5°C. O recorde anterior era de 13,9°C, em 24 de maio de 2014. Em Campo Grande, a mínima foi de 7,7°C, igualando o recorde do dia 30 de junho.

 

A grande frente fria que avançou sobre o Brasil provocou chuva volumosa e em generalizada sobre Centro-Oeste, como não se via há muito tempo. Mas o ar polar que veio com esta frente fria também foi muito forte e invadiu Mato Grosso do Sul e quase todo Mato Grosso provocando uma queda da temperatura muito acentuada. O ar polar também começou a sentido com força no sul de Goiás.

Não deve haver mais recordes neste sábado. A nebulosidade tende a aumentar sobre Cuiabá e Campo Grande, o que vai evitar um resfriamento mais acentuado na madrugada.

Geada em Mato Grosso do Sul

O frio foi intenso em Mato Grosso do Sul nesta quinta-feira, com temperaturas abaixo dos 5°C no sul do Estado. Há condições para geada neste sábado. A temperatura sobe no domingo e não deve haver geada.