Arquivo da Categoria ‘Centro-Oeste’

+ aumentar e diminuir fonte -
Alta da Bolívia ainda provoca chuva no Centro-Oeste
sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

A circulação de um sistema de alta pressão atmosférica em altos níveis, conhecida como Alta da Bolívia, organiza muitas nuvens carregadas sobre o Centro-Oeste do Brasil desde o começa desta semana. Grandes volumes de chuva foram observados e a tendência ainda é de mais chuva.

As imagens do satélite meteorológico mostram a presença das nuvens grandes, que são capazes de provocar temporais, nos tons em vermelho, azul e amarelo.

O meteorologista César Soares explicou como um sistema de alta pressão é capaz de provocar chuva no Climatempo News. Confira!

No fim de semana a condição de chuva se mantém devido tanto a presença da Alta da Bolívia quanto de um sistema de baixa pressão atmosférica no Paraguai.

São esperados grandes volumes de chuva principalmente sobre Mato Grosso e leste de Goiás.

No domingo (21) há o risco de temporais também no Distrito Federal.

Confira a previsão para o verão 2015 para a Região Sudeste 

Desidratação é um dos perigos do verão! 

Você tem problemas com suor excessivo? Pode ser hiperhidrose.

Chuva continua no Nordeste
quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

O Vórtice Ciclônico de Altos Níveis (VCAN) ainda favorece a concentração de grandes nuvens carregadas em algumas áreas do Nordeste. Grandes volumes de chuva são registrados principalmente sobre o leste da Bahia.

As imagens do satélite meteorológico mostram o avanço de grandes nuvens nos tons em azul, que são capazes de provocar temporais.

Em Itiruçu-BA o volume acumulado de chuva entre as 9h da manhã da quarta-feira (17) e 9h da manhã de quinta-feira (18) chegou aos 70mm.

Em 48 horas os volumes foram ainda maiores principalmente sobre a Bahia e Piauí.

Acumulados de chuva entre 9h de 16/12/2014 e 9h de 18/12/2014, segundo informações das estações automáticas do INMET

Chuva enfraquece até o fim de semana

O VCAN se afasta da costa nordestina a partir da sexta-feira (19). A chuva ainda vai acontecer de forma rápida, mas com volumes menores, principalmente sobre o litoral leste. Essa condição do tempo será observada tanto no sábado quanto no domingo.

Quer saber como ficará o tempo em todo o Brasil no Natal? Veja também: Uma ZCAS para o Natal do Brasil

Presente de Natal para o Brasil: muita chuva
quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

por Josélia Pegorim

Todo o Brasil está precisando de muita chuva. Temporais estão ocorrendo por todas as Regiões do Brasil desde o início de dezembro, especialmente por causa da grade disponibilidade de calor e de ar úmido  que já existe sobre o Brasil.

Se a chuva caísse forte só sobre as represas e sobre os rios, seria muito bom. Mas não é assim que acontece. Os temporais podem ocorrer em qualquer lugar, dia ou hora causando muitos prejuízos nos centros urbanos.

A primeira semana do verão, que começa na noite do domingo, 21 de dezembro, e também a semana do Natal será marcada por muita chuva por causa de uma frente fria que vai ficar quase parada perto do Rio de Janeiro e do Espírito Santo. A chuva pode cair forte em muitas áreas do Brasil

Confira a previsão para o Natal para todo o Brasil.

 

 

Árvore de Natal no Ibirapuera, em São Paulo. Por Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas.

 

Confira a previsão para os dias 24 e 25 de dezembro para cada Região do país:

Região Sul

O Sul do Brasil terá bastante sol no Natal,  com temperaturas amenas à noite e calor à tarde. A presença de uma massa de ar origem polar, mesmo fraca, vai deixar as noites um pouco frias nas cidades serranas e também na Grande Curitiba.

Não há previsão de chuva para o dia 24 de dezembro, mas o leste do Paraná e de Santa Catarina, incluindo as capitais Curitiba e Florianópolis terão muitas nuvens.  A noite de Natal será com tempo firme no Sul.

No dia 25, o sol ainda vai predominar sobre o Rio Grande do Sul e em Santa Catarina. Não há previsão de chuva e a faz  um pouco de calor à tarde. O Paraná também terá sol, mas com pancadas de chuva à tarde e à noite no norte e leste do Estado, incluindo a Grande Curitiba.

Região Sudeste

Muita chuva na Região Sudeste! Grandes áreas de instabilidade vão se formar sobre o Sudeste por causa da uma frente fria que vai ficar quase parada entre o litoral do Rio de Janeiro e do Espírito Santo. Há risco de chuva forte e de raios em todos os Estados e na região das quatro capitais.

Tanto no dia 24 como no dia 25 de dezembro, a maioria das áreas do Sudeste terá muitas nuvens, alguns períodos com sol e pancadas de chuva frequentes, principalmente à tarde e à noite. A chuva poderá causar problemas como alagamentos e deslizamento de terra principalmente sobre o centro-sul de Minas Gerais, norte e leste de São Paulo, no Estado do Rio de Janeiro e no Espírito Santo.  O ar fica abafado em todo o Sudeste.

No dia 24 de dezembro, não deve chover apenas no oeste e no sul de do Estado de São Paulo. A Grande São Paulo terá  predomínio de céu nublado e chuva moderada. Mas no Grande Rio e em todo o Estado do Rio, no norte de São Paulo e no centro-sul de Minas, incluindo Belo Horizonte, o dia 24 de dezembro deve ser com chuva, com risco de temporais. No domingo, 25 de dezembro, a chuva ainda será persistente sobre o Estado do Rio de Janeiro e no centro-sul de Minas. As outras áreas do Sudeste também terão chuva, que pode ser forte, mas com alguns períodos de sol ou mormaço.

Região Centro-Oeste

Muita umidade, ar abafado e muitas pancadas de chuva. Assim vai ser o Natal na Região Centro-Oeste.

A previsão é de que grandes áreas de instabilidade continuem se formando deixando toda a Região com muitas nuvens, pancadas de chuva frequentes e que podem ser fortes. Há risco de chuva volumosa e raios. Além disso, a sensação de abafamento será grande. Todas as capitais estão sujeitas a chuva forte.

No dia 24 de dezembro, apenas o sul de Mato Grosso do Sul deve ter predomínio de sol. Muita chuva está prevista para Goiás, inclusive em Goiânia. No dia de Natal, o sul de Mato Grosso do Sul continua sem chuva. As outras áreas do Estado devem ter sol de manhã e pancadas de chuva só a partir da tarde.

Região Norte

No Norte do Brasil, o Natal  será marcado por calor e pancadas de chuva. No Tocantins, no Pará e no Amapá, as pancadas de chuva devem ocorrer especialmente à tarde e à noite. O sol vai aparecer forte por várias horas. Mas no Amazonas, em Rondônia, no Acre e em Roraima, as áreas de instabilidade vão ficar mais ativas deixando estes estados com muitas nuvens e chuva frequente, a qualquer hora, tanto no dia 24 como no dia 25 de dezembro. Há risco de chuva forte e de raios em todos os Estados da Região Norte.

 

Região Nordeste

No Nordeste, o Natal será marcado por muito sol e calor em todas as praias. No dia 24 de dezembro, pode chover rapidamente entre Salvador e Natal, mas sempre com o sol aparecendo. No interior, o sol fica forte em todos os Estados, mas algumas pancadas de chuva podem ocorrer no centro-sul do Maranhã, do Piauí e na Bahia. Mas não há risco de temporais como nos últimos dias.

Para o dia de Natal, 25 de dezembro, a previsão é de muito sol no Nordeste, com algumas pancadas de chuva passageiras no centro-oeste e sul da Bahia, no centro-sul do Piauí e do Maranhão.

 

Atenção! O mar fica agitado no litoral do Sul e do Sudeste na semana do Natal

Desidratação é um dos perigos do verão 

Raios UV e o seu tipo de pele

Um bom tempo pra você!

 

 

 

Verão deve começar com bastante chuva no Centro-Oeste
quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

O Centro-Oeste do Brasil pode esperar por chuvas fortes e volumosas nos primeiros meses do verão, mas a chuva deve parar antes do período normal. O meteorologista Alexandre Nascimento dá detalhes e fala da tendência do clima  para o verão 2015 em toda a Região. Confira!

 

Nuvens muito carregadas sobre campos em Alto Taquari, em Mato Grosso. Por Claudemir.

Veja também:

Verão no Sul deve beneficiar em especial RS e SC

Como vai ser o verão no Sudeste?

Verão 2015: Brasil terá seca ou chuva?

Chuva de dezembro supera a média em Brasília
quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Atualizado às 18h47 de 17/12/2014

Voltou a chover forte sobre Brasília no fim da tarde desta quarta-feira causando novos alagamentos. O internauta Jean Claude compartilhou com a Climatempo a foto dos alagamentos.

 

Chuva forte no fim da tarde de 17-12-2014 causa novos alagamentos em Brasilia (DF), por Jean Claude

 

Chuva de dezembro supera a média

Com o temporal que caiu sobre Brasília na noite de terça-feira, 16 de dezembro, o total de chuva acumulado no mês superou a média histórica. O total de chuva acumulado em 17 dias está em 250,9 mm, 1% acima da média histórica para dezembro que é de aproximadamente 249 mm

 

Chuva torrencial caiu sore Brasília causando muitos transtornos. Choveu quase 86 m em 24 horas. Foto de Antônio Cruz - Agência Brasil

.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia choveu 85,8 mm entre 10h do dia 16 e 10h do dia 17 de dezembro, porém quase toda a chuva ocorreu entre 20h e meia-noite do dia 17. Foi a maior quantidade de chuva em 24 horas de 2014 sobre Brasília. O recorde anterior era de 73,7 mm entre 9 e 10 de março.

A chuva foi forte e generalizada sobre o Distrito Federal. Em Águas Emendadas, o Inmet registrou 104,6 mm entre 17h de 16 de dezembro e 14h de 17 de dezembro.

Temporal da noite de 16-12-2014 deixou Brasília (DF) alagada, por Jean Claude

 

Há mais de um ano não chovia assim em Brasília. O volume de chuva acumulado entre os dias 16 e 17 de dezembro de 2014 foi o maior desde meados de janeiro de 2013, quando choveu 94,4 mm entre os dias 15 e 16 de janeiro de 2013.

A chuva caiu forte de forma generalizada sobre o Distrito Federal.Em Águas Emendadas choveu 105,8 mm entre 15h do dia 16 e 15h de 17 de dezembro

Além de Brasília, a chuva de dezembro superou a média também em Goiânia, capital de Goiás. Em 17 dias, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou 276,6 mm de chuva, 7% acima da média histórica para este mês que é de aproximadamente 259 mm.

Mais chuva à vista

A formação e persistência destas áreas de instabilidade sobre o Centro-Oeste do Brasil são consequências da atuação de um sistema meteorológico chamado Alta da Bolívia, muito comum durante o verão.

Nuvens muito carregadas continuam crescendo sobre o Centro-Oeste e há previsão de mais chuva, e com risco de temporais, nas próximas semanas. O verão começa oficialmente no domingo, 21 de dezembro, com a chegada da uma frente fria ao litoral da Região Sudeste que vai ajudar a manter a chuva sobre o Centro-Oeste.

 

 

Entenda o efeito da Alta da Bolívia

Fotografeotempo! #É tempo de Natal!  

Previsão climática para o verão de 2015 no Brasil

Mais temporais no Centro-Oeste
quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Fortes áreas de instabilidade cresceram em diversos locais da Região Centro-Oeste do Brasil, com nuvens muito carregadas que provocaram chuva volumosa e temporais.

Brasília amanheceu estremecida sob os efeitos da tempestade que caiu na noite de terça-feira. Entre 20h e meia-noite choveu 75 mm, pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia. A chuva foi generalizada sobre o Distrito Federal  causando grandes alagamentos pela capital federal.

 

Temporal da noite de 16-12-2014 deixou Brasília (DF) alagada, por Jean Claude

Em Campo Grande, capital de Mato Grosso do Sul, também teve chuva e raios. Segundo os dados da estação automática do Inmet, em apenas 01 hora, entre 05h e 06h da madrugada desta quarta-feira, 17, no horário de Brasília, foram acumulados aproximadamente 32 mm.  Este volume é muito alto para um curto período de tempo.

Em Guiratinga, no sul de Mato Grosso, choveu 45,6 mm entre 1h e 3h da madrugada, no horário de Brasília. Em Sonora, no norte de Mato Grosso do Sul choveu 32 mm entre 5h e 7h.

 

A formação e persistência destas áreas de instabilidade sobre o Centro-Oeste do Brasil são consequências da atuação  de um sistema meteorológico chamado Alta da Bolívia, muito comum durante o verão.

Nuvens  muito carregadas continuam crescendo sobre o Centro-Oeste e há previsão de mais chuva, e com risco de temporais, nas próximas semanas. O verão começa oficialmente no domingo, 21 de dezembro, com a chegada da uma frente fria ao litoral da Região Sudeste que vai ajudar a manter a chuva sobre o Centro-Oeste.

 

Entenda o que é Alta da Bolívia

Fotografeotempo! #É tempo de Natal!  

Um bom tempo pra você!

Previsão climática para o verão de 2015 no Brasil

O tamanho do dia e da noite
terça-feira, 16 de dezembro de 2014

O solstício de verão para o Hemisfério Sul (HS), ou solstício de inverno para o Hemisfério Norte (HN), vai ocorrer no dia 21 de dezembro, às 21h03, pelo horário brasileiro de verão. É o início oficial do verão para o HS e o início do inverno para o HN.

 

Por do sol em Fortaleza (CE) por Deia Santos

Durante o verão, nos dois hemisférios, muitas áreas têm dias longos, com mais de 12 horas disponíveis de sol, e noites curtas. No inverno, ao contrário, o número de horas da noite é maior do que o número de horas do dia. Em outras palavras, as noites são maiores (mais longas) do que os dias. Uma outra forma de entender isto é pensar que a medida que nos aproximamos do solstício de verão (21 de dezembro), o sol nasce cada vez mais cedo e se põe cada vez mais tarde. Com a proximidade do solstício de inverno (21 de junho), o sol nasce no horizonte cada vez mais tarde e se põe cada vez mais cedo.

Mas estas diferenças não ocorrem em todos lugares, ou só pouco notadas em determinados locais do globo. A percepção destas diferenças do tamanho do dia (e da noite) no verão e no inverno depende da latitude, que é a distância em relação à Linha do Equador.

 

 

Em Fortaleza, que está muito perto da Linha do Equador, a hora do nascer e do por do sol nos dias de verão não muda muito em relação aos dias de inverno.  No dia 21 de dezembro dia terá 12h20 e no dia 21 de junho, 11h54. Mas em Porto Alegre, que está longe da linha do equador, na latitude 30° sul, o dia tem 14 horas e 5 minutos em 21 de dezembro e 10 horas e 12 minutos no dia 21 de junho. A diferença é de 4 horas! São 4 horas a menos disponíveis para aquecer o ar.

Veja o tamanho do dia em alguns locais e confira a explicação da meteorologista Josélia Pegorim

 

 

 

Um bom tempo pra você!

Previsão climática para o verão de 2015 no Brasil 

Uma alta pressão que provoca chuva?

Segunda quinzena de dezembro promete chuva
segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

A passagem de frentes frias pelo litoral do Sudeste  e a circulação de ventos nos níveis médios e altos da atmosfera permitiram a formação de muitas áreas de instabilidade sobre o Brasil na primeira quinzena de dezembro. Temporais ocorreram em todas as Regiões, mas com maior frequência sobre o Centro-Oeste, parte do Norte e do Sudeste.

 

Campo Grande (MS) por Ardjuna Nunes Miranda

E muitas áreas do país, o volume de chuva acumulado em apenas 15 dias de pancadas de chuva frequentes ficou entre 100 e 150 mm. São volumes elevados, porém, a média histórica de chuva em dezembro é alta em grande parte do país, estando entre os três mais chuvosos do ano.

 

De forma geral, a chuva de dezembro ainda está abaixo de média climatológica em grande parte do Brasil, mas a chuva continua. Há possibilidade de formação de uma ZCAS para iniciar o verão, que começa oficialmente em 21 de dezembro, às 21h03, pelo horário brasileiro de verão. Confira as explicações da meteorologista Josélia Pegorim.

 

 

Entenda o que são os sistemas atmosféricos de verão Alta da Bolívia e VCAN 

Como será o verão na Região Sudeste?  

Fotografeotempo! #É tempo de Natal!  

Previsão climática para o verão de 2015 no Brasil

 

 

 

Menos nuvens e mais estrelas no céu
segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Ar polar diminui a nebulosidade

A passagem de uma fraca massa de ar de origem polar pelo centro-sul do Brasil está seno suficiente para reduzir bastante a nebulosidade e as condições de chuva. Os estados de Santa Catarina, Paraná, São Paulo, o centro-sul de Minas Gerais e o Rio de Janeiro são regiões que devem ter pouca nebulosidade na maior parte da noite desta segunda-feira, 15, e na madrugada do dia 16, terça-feira, o que vai permitir uma boa observação do céu e das chuva de meteoro.

 

No extremo norte do Brasil, os lugares com menor quantidade de nuvens devem ser o Amapá, Roraima, o norte do Pará, a faixa litorânea do Maranho, do Piauí o norte do Ceará e o Rio Grande do Norte. O restante do Brasil deve ter grande quantidade de nuvens e o risco de chuva é alto.

 

O que é estrela cadente?

Chuva de meteoro é o nome técnico correto para estrelas cadentes. Entre os dias 10 e 17 de dezembro, cinco chuvas de meteoros acontecem ao mesmo tempo, numa mesma região do céu. O ponto máximo foi no fim de semana, entre os dias 12 e 13, mas ainda dá para ver muitas estrelas cadentes.

O espetáculo é de graça e não precisa de binóculo e nem telescópio. Basta estar fora de locais muito iluminados e ter um pouco de paciência. Quando o meteoro cair, você verá um risco esbranquiçado pelo céu.

 

Como achar as estrelas cadentes?

A principal e a mais esperada chuva de meteoros do ano, é a Geminds, na constelação de Gêmeos, que sozinha deve gerar mais ou menos 120 meteoros por hora, 12 por minuto! No vídeo, o professor e astrônomo Marcos Calil explica como, para qual região do céu se deve olhar para observar as chuvas de meteoros.

 

 

Você tem mais informações sobre no Momento Astronômico 

Como será o verão na Região Sudeste? 

Sistemas de verão: Alta da Bolívia e VCAN

 

Um bom tempo pra você!

Goiânia: chuva de dezembro já supera média
segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

O total de chuva que caiu sobre Goiânia em dezembro já superou ligeiramente a média histórica para o mês. Pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia, em 14 dias choveu 264,8 mm, que superar em 2% a média normal para dezembro que é de aproximadamente 259 mm. A chuva volumosa que caiu entre os dias 6 e 7 de dezembro deixou um acumulado de 75,5 mm que correspondem a 29% da média.

Em 14 dias, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, Brasília acumulou 53% da média de chuva, Cuiabá 46% e Campo Grande, acumulou 33% da média de chuva do mês.

 

 

Ar úmido

As pancadas de chuva estão frequentes por todo o Centro-Oeste com o predomínio do ar quente e úmido sobre a Região. A circulação dos ventos em diversos níveis da atmosfera vem facilitando a formação e persistência das áreas de instabilidade sobre o Centro-Oeste. A semana segue úmida e abafada e com pancadas de chuva frequentes por toda a Região, principalmente à tarde e à noite. Todos os Estados poderão ter eventos de chuva moderada a forte.