Posts com a Tag ‘Japão’

+ aumentar e diminuir fonte -
Vongfong decai para tempestade tropical
domingo, 12 de outubro de 2014

Forte tufão Vongfong, que chegou a provocar vento de 138km/h e rajadas de até 167km/h em Okinawa, decai para tempestade tropical devendo mudar abruptamente a direção para leste, atingindo o território japonês entre segunda e quarta-feira. Aproximação do sistema coincide com período de maré alta. Sul da ilha de Kyushu deverá ter chuva em torno de 400mm em 24 horas até o meio-dia de segunda-feira (horário local), com vento que pode superar 90km/h.

Olho do Phanfone
domingo, 5 de outubro de 2014

O tufão Phanfone, décimo oitavo da temporada no Pacífico oeste, avança sobre o sul do arquipélago japonês. Na imagem de temperatura de brilho de satélites de órbita polar MODIS/Aqua-Terra é possível identificar a localização do olho e uma intensa área de nebulosidade que se estende sobre a Ilha central. A presença do tufão induz circulação de vento úmido de sul que alimenta a formação destas nuvens.

Área de vento forte ainda não tinha avançado sobre Suzuka, na região central do Japão, mas o GP de Formula-1 foi realizado sob chuva. Até a largada, a estação meteorológica de Tsu, ao sul de Suzuka, já havia acumulado 30,0mm de chuva. A prova começou sob chuva forte mas foi diminuindo durante a corrida. O tufão deverá rumar para leste no decorrer deste domingo e segunda-feira, atingindo áreas do lado Pacífico do arquipélago, incluindo cidades como Osaka, Nagoya e Tokyo. 

 

Kammuri afasta e permite visualizar a erupção vulcânica
domingo, 28 de setembro de 2014

Forte vento em altitude faz deslocar a trajetória da tempestade tropical Kammuri no Pacífico afastando-a da costa leste do Japão, permitindo os satélites de órbita polar Acqua e Terra captarem a erupção vulcânica do Monte Ontake, entre as províncias de Nagano e Gifu na região central do arquipélago. A primeira da sequência de duas imagens é do Aqua no dia 27  e ainda mostra muitas nuvens e nuvem de cinzas deslocando para leste.

Na segunda imagem, inferior, do dia 28, a nebulosidade diminui e ainda é possível observar a erupção que continua em intensidade menor, sendo levado para sudeste. 31 montanhistas foram encontrados parcialmente soterrados em cinzas e atingidos pelas rochas vulcânicas, com parada cardiorrespiratória, num abrigo no topo da montanha.

 

Chuva causa deslizamento e mortes no Japão
quarta-feira, 20 de agosto de 2014

As fortes chuvas que aconteceram nesta quarta-feira (20) sobre a região de Hiroshima provocaram deslizamentos de terra. Segundo informações das agências internacionais de notícias, 36 pessoas morreram e cerca de 65 mil pessoas foram aconselhadas a deixar as suas residências. Segundo informações da Agência Meteorológica Japonesa (JMA – sigla em inglês), o acumulado em 24 horas foi de 243mm.

Satélite meterológico canal do infravermelho realçado (19h UTC)

A grande convergência de umidade se deu com a presença de um sistema de baixa pressão atmosférica nos níveis mais próximos à superfície, o que favoreceu a organização das áreas de instabilidade e provocou o desenvolvimento de nuvens bastante carregadas.

A presença de um cavado nos níveis mais elevados da atmosfera também deu suporte para a melhor convergência de umidade e desenvolvimento de grandes nuvens. Segundo os modelos de previsão do tempo, ainda há previsão de mais chuva. Há o risco de novos transtornos por conta dos volumes acumulados.

Tufão Halong avança sobre o Japão
domingo, 10 de agosto de 2014

O Tufão Halong atinge o Japão alguns dias depois da passagem do outro tufão, Nakri, no início de agosto. Halong está atravessando o arquipélago pela região central rumando para o norte e seu centro já está sobre o Mar do Japão. Estação de Torigatayama na província de Kochi, em Shikoku uma das quatro grandes ilhas, que havia registrado mais de 1000mm de chuva na passagem do Nakri, voltou a registrar mais um montante equivalente, e o acumulado desde o início de agosto chega a um valor excepcional de 2007,0mm em dez dias.

Tufão Halong no sul do Japão
quinta-feira, 7 de agosto de 2014

por Bianca Lobo

Segundo informações da Agência Meteorológica Japonesa (JMA – sigla em inglês), o tufão Halong continua a avançar em direção à costa sul do Japão e deve atingir a província de Kyushu nesta sexta-feira com rajadas de vento de até 198 km/h.

Está mantido o alerta para tempestades, vento forte e mar agitado no sul do país.

Outro tufão já se formou sobre o oceano Pacífico, à sudeste do Japão. De quarta para quinta-feira Genevieve, como é chamado, se intensificou rapidamente e atingiu ventos de até 288 km/h , classificando-o como o quarto Super Tufão de 2014 (informações da Agência Meteorológica Japonesa). Por enquanto não há expectativa que esse novo sistema chegue à costa japonesa.

Sucessivas passagens de tufões no leste asiático
domingo, 3 de agosto de 2014

A medida que tufão Nakri perde força ao atravessar a Coréia, o vento de sul quente e úmido ganha força e traz chuva em grande volume no sul do Japão. Na ilha de  Shikoku, na área voltada ao Pacífico, em algumas localidades a chuva supera 800mm em 48 horas. Um outro tufão, Halong, intensifica a leste de Filipinas e deverá começar a deslocar ao norte. Modelos de previsão indicam o centro do sistema atingindo o arquipélago japonês na manhã do dia 08.

Tufão Neoguri deixa Japão em alerta máximo
segunda-feira, 7 de julho de 2014

A Agência Meteorológica do Japão (JMA, na sigla em inglês) emitiu alerta máximo no país por causa do tufão Neoguri. Pelas informações de agência de notícias internacionais, Neoguri está sendo considerado um dos tufões mais violentos dos últimos 15 anos a passar sobre o Japão. O alerta máximo só ocorre quando há risco de morte e grande danos materiais.

 

 

Nesta segunda-feira, a ventania e a chuva torrencial do tufão já foram sentidas na região de Okinawa, conjunto de ilhas menores ao sul das grandes ilhas que compõem o território japonês como Kyushu, Shikoku, Honshu e Hokkaido.

 

 

No decorrer desta segunda-feira, JMA emitiu atualizações sobre a intensidade dos ventos e localização tufão de hora em hora. No boletim técnico das 21 horas de Brasília (00 UTC), o Neoguri tinha pressão mínima de 935 hPa e se deslocava para norte a uma velocidade de 20 km/h. Os ventos constante eram estimados em 95 nós (ou aproximadamente 176 km/h) com rajadas de 135 nós (quase 250 km/h).

 

 

A projeção de deslocamento do tufão vem se mantendo e aponta para as ilhas principais do Japão (Kyushu, Shikoku, Honshu). Neste caso, a primeira ilha a sentir os efeitos do tufão seria Kyushu. A Coreia do Sul também deve sentir a chuva e os ventos de Neoguri.

Um ligeiro enfraquecimento está sendo previsto até 9 horas da manhã de 8 de julho (hora de Brasília), 12 UTC, com uma diminuição dos ventos para faixa de 80 nós (quase 150 km/), mas ainda assim permanece um sistema violento.

Grande tufão ameaça Japão e Coreia do Sul
domingo, 6 de julho de 2014

Um grande tufão e considerado muito forte está sendo monitorado em águas do oceano Pacífico Noroeste, entre o Japão, as Filipinas e a China. O tufão foi batizado de Neoguri (cão guaxinim, em coreano), nome que também foi usado para outros tufões em 2008 e em 2002.


O tufão Neoguri é de grandes dimensões e seu olho pode ser visto claramente nas imagens de satélite. Tufões são sistemas idênticos aos furacões e se formam em regiões oceânicas tropicais de águas muito quentes. Tufão é a denominação que se dá no oceano Pacífico Noroeste.


Este tufão está sendo monitorado pela Agência Meteorológica do Japã (JMA, na sigla em inglês. O boletim técnico das 12 UTC de 6 de julho de 2014 (9 horas, em Brasília) informou que Neoguri estava se deslocando para norte-noroeste com velocidade de 25 km/h. A pressão mínima já estava em 935 hPa e baixou em relação ao que foi observado às 6 horas (9 UTC).

Os ventos constantes deste tufão são estimados em 90 nós (aproximadamente 166 km/h), mas com rajadas de 130 nós (240 km/h).

previsão de deslocamento indica que Neoguri poderá atingir terras japonesas até 9 horas (12UTC) de terça-feira, 8 de julho.

Arena da “chuva” em Natal?
quarta-feira, 18 de junho de 2014

A cidade-sede Natal, capital do Rio Grande do Norte, está em estado de calamidade pública, devido aos problemas causados pelo grande volume de chuva que ocorreu entre os dias 13 e 14 de junho de 2014.

No dia 13 de junho, México e Camarões jogaram debaixo de temporal. A Arena das Dunas virou “da chuva”.

As imagens de satélite desta quarta-feira mostram o crescimento de novas áreas de instabilidade no mar. Será que o jogo entre Japão e Grécia também será molhado de chuva?

 

 

 

 

 

 

Confira o tempo no jogo para Uruguai e Inglaterra

 

 

Tempo no Jogo, o canal da Climatempo na Copa 2014. De olho na bola e no tempo!

Participe! Clique o tempo na Copa: #temponojogo