Posts com a Tag ‘Mato Grosso do Sul’

+ aumentar e diminuir fonte -
Centro-Oeste tam mais chuva
quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Muitas instabilidades se espalham pelo Centro-Oeste do país e provocam temporais. Segundo informações das estações automáticas do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), choveu um total de 20,6mm em apenas uma hora na cidade de Comodoro-MT. As imagens do satélite meteorológico mostram o avanço de tais nuvens carregadas chegando no Norte do Brasil e avançando principalmente sobre o Estado de Mato Grosso nos tons em vermelho que indicam a formação de grandes nuvens que podem provocar temporais.

Clique na imagem e veja o satélite de todo o Brasil

As correntes de vento nos níveis baixos da atmosfera, aproximadamente 700hPa que estão a 2 km de altura com relação a superfície, indicam um forte transporte de umidade vinda das regiões tropicais para áreas do Centro-Oeste e favorecendo a formação dessas nuvens carregadas.

A semana ainda será marcada por mais chuva na Região. A presença de um sistema de baixa pressão atmosférica no Paraguai vai auxiliar a organização de mais instabilidades sobre o Centro-Oeste. Há o risco de temporais entre a tarde e a noite. Na sexta-feira (27) o céu ficará com muita nuvens e pode chover a qualquer momento em Mato Grosso. Essa condição será vista também no centro-norte de Goiás, no Distrito Federal e no oeste de Mato Grosso do Sul a partir do sábado.

Chuva diminui sobre o Centro-Oeste
sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

ASAS influencia a Região

A chuva diminui sobre o Centro-Oeste do Brasil de forma geral no fim de semana, depois de vários dias com tempo instável, com temporais em todos os Estados.

A redução da chuva está associada com um nova intensificação sobre o Brasil do sistema de alta pressão subtropical do Atlântico Sul, conhecido como ASAS. O centro da ASAS chega ao litoral da Região Sudeste no fim de semana e depois deve avançar pelo interior do país podendo atingir o Mato Grosso do Sul.

No fim de semana, a ASAS já terá uma grande influência no tempo sobre o Centro-Oeste dissipando as áreas de instabilidade e diminuindo o crescimento das nuvens. Assim, a frequência e o volume das pancadas de chuva devem diminuir muito.

Entenda o efeito de um sistema de alta pressão.

 

A expectativa é de pouca na última de semana de fevereiro. A diminuição da nebulosidade e da chuva vai permitir um maior aquecimento do ar.

Cuiabá registra a maior quantidade de chuva no Brasil, em 24h, entre 19 e 20 de fevereiro de 2015

 

Chuva supera a média em Cuiabá

A capital de Mato Grosso, Cuiabá, registrou o maior volume de chuva em 24 horas de 2015 entre quinta e sexta-feira. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia choveu 93,2 mm entre 10 horas do dia 19 e 10 horas do dia 20 de fevereiro de 2015. Esta quantidade de chuva é muito elevada e correspondeu a 47% da média normal de chuva para este mês, que é de 199,0 mm.

O total de chuva acumulado em fevereiro, até o dia 20, foi de 247,9 mm, volume que está 25% acima da média.

Cuiabá (MT) em 19-2-2015, por Kenya Banach: chuva forte causou alagamentos pela cidade

 

Nas outras capitais do Centro-Oeste, a chuva de fevereiro ainda está abaixo da média. Em Brasília, em 20 dias, choveu 109,3 m sendo que média é de aproximadamente 215,0 mm. Em Campo Grande a média para fevereiro é de 187,0 mm e em 20 dias choveu 121,4 mm. Em Goiânia choveu 154,7 mm até 20 de fevereiro, para uma média em torno de 213,0 mm.

 

Áreas de Goiás com chuva acima da média

A chuva frequente e forte que ocorreu nos últimos dias sobre Goiás fez com que várias áreas do Estado acumulassem mais chuva do que o normal para fevereiro. No mapa, o tom claro indica chuva pouco abaixo da média e os tons de azul, chuva acima da média.

 

Santa Helena de Goiás (GO) 18-2-2015 por Valdeci Araujo

 

Confira como será a distribuição da chuva sobre o Brasil nos próximos 15 dias.

 

Acumulado de chuva para os próximos 7 dias
sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Clima prejudica a produção de soja no estado de Mato Grosso do Sul. Confira o acumulado de chuva para os próximos 7 dias.

Temporais em Mato Grosso do Sul
quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Nuvens carregadas se organizam sobre o Estado de Mato Grosso do Sul e  formam temporais. A cidade de Corumbá registrou um volume de 34,2mm em apenas uma hora.

As imagens do satélite mostram as nuvens carregadas nos tons em vermelho, azul e branco que são resultado da presença de grandes nuvens do tipo Cumulonimbus (Cb).

Clique na imagem e veja imagens de satélite de todo o Brasil

Junto com os Cbs, vem a ventania. Segundo informações da mesma estação de Corumbá, as rajadas de vento chegaram aos 64 km/h. A presença da Alta da Bolívia nos altos níveis atmosféricos consegue organizar sistemas de escalas menores, como o Complexo Convectivo de Mesoescala (CCM).

A semana termina com melhora no tempo

As áreas de instabilidade começam a perder força ao longo dos próximos dias. O sol já volta a aparecer com mais força e a favorecer o aquecimento do ar. Há o risco de pancadas de chuva típicas da estação entre a tarde e a noite, a partir do sábado (07).

Clima favorece a safra de algodão em MS
quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Os produtores de algodão da região norte de Mato Grosso do Sul estavam enfrentando problemas para fazer o plantio da safra em razão do excesso de chuva. Porém, o volume de chuva diminuiu e os agricultores finalmente conseguiram finalizar a semeadura. O algodão já germinou. A umidade do solo ainda é satisfatória e a expectativa é que a cultura se desenvolva bem.

Confira qual será a tendência do acumulado de chuva para os próximos dias em todo o Brasil.

Chuva atrapalha semeadura do algodão em MS
quarta-feira, 31 de dezembro de 2014

As chuvas constantes na primeira quinzena de dezembro causaram atraso no plantio do algodão em municípios de Mato Grosso do Sul.  Confira qual será a tendência do acumulado de chuva para os próximos dias em todo o Brasil.

Chuva diminui sobre o PR e em parte do MS nesta 3ª feira
segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Muita chuva sobre o Paraná e em Mato Grosso do Sul

As áreas de instabilidade de uma frente fria espalharam nuvens muito carregadas sobre o Paraná e o Mato Grosso do Sul que provocam chuva forte e volumosa nesta segunda-feira.

Entre 19 horas do dia 21 e 19 horas d 22 de dezembro de 2014, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou 134,4 mm sobre a Ilha do Mel, no litoral do Paraná 108,0 mm em São Mateus do Sul, no sul do Paraná e 98,0 mm sobre Maringá, no norte do Paraná. Em Aquidauana choveu 85,0 mm neste período e Sete Quedas choveu 75,4 mm .

 

Em Ivaí (PR) já choveu 70,6 mm neste período, em Curitiba (PR) 62,8 mm. Muitas outras cidades do Paraná e de Mato Grosso do Sul acumularam de 30 a 60 mm de chuva até o início da noite desta terça-feira.

 

 

Chuva diminui nesta terça-feira

A frente fria avança sobre São Paulo e a parte mais intensa das áreas de instabilidade saem do Paraná.  Ainda deve chove com até moderada intensidade em cidades paranaenses na divisa com São Paulo, mas a chuva vai parando no decorrer do dia.

Em Curitiba, onde choveu muito nesta segunda-feira, o tempo permanece úmido, com céu nublado, mas pouca chuva,

Já em Mato Grosso do Sul, ainda podem ocorrer fortes pancadas no centro-norte e leste do Estado.

 

Farol do Saber Aristides de Oliveira Vinholes em Curitiba (PR). Foto: Gabriel Rosa (SMCS)

 

Confira a previsão para o Natal! Será que a chuvarada vai voltar?

 

Muita chuva para o Centro-Oeste do País
domingo, 7 de dezembro de 2014

E esta semana promete ser de tempo instável no Centro-Oeste do país! Há risco para temporais, com rajadas de vento, trovoadas e elevados acumulados de chuva em diversos municípios dos três Estados que compõem a Região – Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e o Distrito Federal.

Vamos tentar entender quais condições serão responsáveis pelo desenvolvimento destas tempestades sobre a Região, analisando os campos de vento em diversos níveis atmosféricos. Para fim de análise, vamos utilizar simulações do modelo meteorológico global e observar quais perturbações já provocaram chuva no Centro-Oeste neste fim de semana.

A imagem a seguir representa a circulação de ventos em altos níveis da atmosfera (250hPa). Nela é possível verificar pequenas ondulações (cavados), que representam perturbações na atmosfera, que favorecem a formação de instabilidades.

Já na circulação de ventos em médios níveis da atmosfera (500hPa), vemos novamente os cavados de onda curta e um sistema de baixa pressão atmosférica. Ambos favorecem a formação de áreas de instabilidade sobre o Centro-Oeste.

Já em baixos níveis (850hPa), é possível verificar um intenso fluxo de umidade convergindo para a Região:

Estas instabilidades vêm provocando chuva forte em diversas áreas do Centro-Oeste desde sexta-feira. Na imagem de satélite meteorológico a seguir é possível verificar nuvens carregadas – em cores verdes, azuis e brancas (de acordo com a ordem crescente de intensidade). Segundo registros das estações automáticas do Instituto Nacional de Meteorologia, já foram acumulados 77.0 mm de chuva em Juara (MT), 71.0 mm em Apiacás (MT), 37.0 mm em Morrinhos (GO), 31.0mm em Guarda-Mor (MS), 32.0 mm em Goiânia (GO) e 16.0 mm em Brasília (DF).

 

E a previsão para os próximos dias é de muita chuva para a Região! Além de todos estes fatores, o avanço de uma nova frente fria pelo País a partir de quarta-feira vai reforçar todas estas instabilidades sobre o Centro-Oeste. São esperados grandes volumes de chuva principalmente para o Estado de Goiás. Na imagem a seguir é possível observar o acumulado de chuva previsto entre os dias 08 e 12 de Dezembro.

Os maiores acumulados de chuva estão previstos para a região central de Goiás, com acumulados de chuva chegando a até 200 mm em alguns municípios. De maneira geral, os acumulados ficam entre 100 e 150 mm em Goiás, 70 e 100 mm em Mato Grosso do Sul e Mato Grosso, com picos variando entre 100 e 150 mm em alguns municípios destes Estados.

Ao longo desta semana o predomínio é de muitas nuvens em todos os três Estados, com breves períodos de sol e pancadas de chuva ao longo do dia, com até forte intensidade. Ainda assim o tempo fica abafado e o calor continua.

Chuva se espalha pelo Centro-Oeste
quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Nuvens carregadas se formam por conta do forte calor e da presença de umidade e já provocam chuva com forte intensidade em algumas áreas do Centro-Oeste.

As imagens do satélite meteorológico mostram a presença de áreas de instabilidade que dão origem à grandes nuvens que são capazes de provocar temporais.

Áreas de Mato Grosso como Rondonópolis chegaram a registrar acumulados próximos dos 20mm em apenas uma  hora de medição da estação automática do INMET.

A presença do ar quente e úmido ainda vai permitir a ocorrência de mais chuva ao longo das próximas horas. Até o fim de semana a chuva persiste o que aumenta o risco de alagamentos e deslizamentos de terra.

Chuva muito volumosa no Centro-Oeste
terça-feira, 2 de dezembro de 2014

A grande disponibilidade de umidade no ar e o calor estão formando nuvens muito carregadas sobre a Região Centro-Oeste. Os temporais têm sido frequentes.

 

Nuvens muito carregadas provocam chuva forte sobre Vicentina (MS) por Geone Bernardo

 

Entre 22 horas do dia 1 e 22 horas do dia 2 de dezembro de 2014, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou 81,2 mm sobre Iporá, em Goiás, 74,2 mm sobre Cuiabá, sendo que quase toda a chuva, 69 mm, caiu entre 16h e 18h (hora de Brasíia) da terça-feira. Choveu 61,2 mm sobre Nova Maringá, em Mato Grosso, e 60,2 mm sobre Sonora, em Mato Grosso do Sul. Jataí, no sul de Goiás, acumulou 52 mm apenas em 4 horas de chuva na tarde e noite de terça-feira.

 

Os temporais vão continuar até o fim da semana principalmente sobre Mato Grosso e em Mato Grosso do Sul. Mas as pancadas de chuva também serão frequentes sobre Goiás e no Distrito Federal.

O mês de novembro terminou com chuva acima da média especialmente em Mato Grosso do Sul e nas capitais Campo Grande e Cuiabá. A internauta registrou o temporal que caiu sobre Campo Grande na tarde de 1 de dezembro.

 

 

E o calor do verão de 2015?

 

Compartilhe a informação sobre as condições do tempo na sua cidade com a Climatempo

Participe!

Pelo site:  envie sua foto

Pelas redes sociais: #fotografeotempo

Pelo Whatsapp: (11) 9 9420-7548