Posts com a Tag ‘Mato Grosso do Sul’

+ aumentar e diminuir fonte -
Chuva derruba a temperatura em MS
segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Nuvens carregadas voltaram a se formar sobre o Mato Grosso do Sul trazendo a chuva de volta. As pancadas recomeçaram no fim de semana grandes volumes foram acumulados entre o domingo e a segunda-feira.

Sequencia de imagens de satélite mostra o grande aumento da nebulosidade (manchas azuis, verdes) sobre o Mato Grosso do Sul

 

O retorno da chuva é um dos efeitos do enfraquecimento do bloqueio atmosférico sobre o Brasil que vinha mantendo ao ar muito seco sobre o Estado.

 

Chuva em Dourados (MS) em 20 de outubro de 2014, por Jairo Gonçalves da Silva

 

Chuva alivia o calor

Além da falta de chuva, a população sofreu com o calor extremo nos últimos dias. A onda de calor que ficou sobre o Mato Grosso do Sul fez com que temperaturas acima de 40°C fossem registradas por quase todo o estado por nove dias consecutivos.

A chuva e o aumento da nebulosidade aliviaram o calor.  Em Dourados, a temperatura às 10 horas (hora de Brasília) desta segunda-feira era de 20°C e ontem no mesmo horário era de 29°C. Em Itaquiraí a temperatura era de 27°C às 10 horas de ontem e de 20°C às 10 horas de hoje.

Mais chuva

As áreas de instabilidade vão continuar se formando sobre o Centro-Oeste do Brasil nos próximos 15 dias e há previsão de mais chuva também sobre o Mato Grosso do Sul. As pancadas de chuva devem ser frequentes e pode chover forte em vários locais.

 

 

Calor bateu recordes históricos em Mato Grosso do Sul

Onda de calor provoca recordes históricos em SP e MS
segunda-feira, 20 de outubro de 2014

A onda de calor de outubro de 2014 chega ao fim e deixa recordes históricos de calor nos estados de São Paulo e de Mato Grosso do Sul. A maior temperatura no Brasil no período de duração desta onda de calor foi de 42,9°C em Coxim, no norte de Mato Grosso do Sul, que entra também na lista das dez maiores temperaturas registradas oficialmente no Brasil.

Leia a íntegra da nota meteorológica divulgada neste domingo, 19, pelo Instituto Nacional de Meteorologia sobre os recordes históricos desta onda de calor.

19/10/2014

- São Carlos registra 37,8°C, segundo dia consecutivo de recorde absoluto em 53 anos de medição

- Pelo nono dia consecutivo temperatura passa dos 40°C no Mato Grosso do Sul

O domingo foi mais um dia de intenso calor em São Paulo e no Mato Grosso do Sul. De acordo com o INMET a temperatura na capital de SP atingiu os 35,8°C por volta das 15h30 na estação do Mirante de Santana, sendo também uma das mais altas do seu histórico.

Na tarde da última sexta-feira, 17/10/2014 foi, registrado o recorde absoluto de temperatura máxima de 37,8°C, maior dos 71 anos de medição na capital

Das 11 maiores temperaturas observadas no Mirante, 6 ocorreram em 2014
1)   37,8°C em 17/10/2014
2)   37,0°C em 20/01/1999
3)   36,7°C em 19/01/1999 e em 21/01/1999
4)   36,6°C em 31/10/2012
5)   36,4°C em 07/02/2014
6)   36,3°C em 08/02/2014
7)   36,1°C em 30/10/2012
8)   36°C em 09/02/2014
9)   35,9°C em 01/02/2014 e em 13/10/2014
10   35,8°C em 19/10/2014
11)  35,7°C em 03/12/1998 e em 10/10/2002

No interior do estado de SP, neste domingo 19/10/2014, a temperatura máxima alcançou os 38,6°C em Bauru e Lins. Foram cinco dias consecutivos de temperatura acima dos 40°C (de 14 a 18/10), com pico de 41,5°C em Valparaíso na sexta-feira dia 17/10 (a maior temperatura já registrada no estado desde o ano de 1956, 58 anos atrás, só ficando abaixo dos dois registros de Iguape, 43,0°C no dia 03/02/1933 e  42,1°C em 16/01/1956).

No estado de SP estas foram as maiores temperaturas já registradas pelo
INMET:
1) 43,0°c em Iguape em 03/02/1933
2) 42,1°C em Iguape em 16/01/1956
3) 41,5°c em Valparaíso 17/10/2014
4) 41,3°C em Valparaíso e José Bonifácio em 30/10/2012
5) 41,2°C em Votuporanga 30/10/2012 e 41,2°C em Barretos dia 15/10/2014

Outras estações convencionais do INMET também registram recordes de meio século. Neste domingo 19/10 e no sábado 18/10 São Carlos teve 37,9°C e 37,8°C  de máxima, respectivamente, segundo dia consecutivo de maior temperatura desde a abertura da estação em 1961 (anterior era 37,6°C em 06/02/1964).

São Simão registrou de forma consecutiva nos dias 16/10 e 15/10 escaldantes 40,3°C e 40,0°C, respectivamente, as duas maiores temperaturas desde 1961, ano de abertura da estação meteorológica, há 53 anos (registro anterior era 39,2°C em 30/10/2012).  Já em Guarulhos, houve registro de recorde absoluto de 37,5°C no dia 17/10/2014, a maior desde 1983, ano do início dos registros (anterior era de 37,3°C no dia 30/10/2012). Em Catanduva foi observado 39,7°C, a maior temperatura desde 1971 quando fez 39,8°C (a máxima é de 11/10/1963 com 39,9°C, na série histórica de 1943-2014).

Recordes históricos em Mato Grosso do Sul

Neste domingo 19/10/2014 a temperatura máxima foi de 40,8°C em Porto Murtinho, assim a onda de calor histórica atingiu os 40°C por dez consecutivos (10 a 17/10), sendo cinco dias consecutivos com níveis de calor extremo e perigoso com máximas acima dos 41,5°C (de 13/10 a 17/10). As temperaturas também bateram recordes de meio século e, no dia 15/10, chegaram a 42,9°C em Coxim, a maior desta onda de calor, e só superada por dois registros de Corumbá no ano de 1962 (43,8°C e 43,0°C, dias 15 e 16/11/1962, respectivamente). Em 17/10/2014 a temperatura máxima alcançou os 42,5°C em Três Lagoas e Água Clara, que também registraram recordes.

Maiores registros históricos de temperatura máxima no Mato Grosso do Sul
(INMET):

1) 43,8°C em Corumbá dia 15/11/1962
2) 43,0°C em Corumbá dia 16/11/1962
3) 42,9°C em Coxim dia 15/10/2014 (estação aberta em 2006, recorde anterior 42,0°C de 19/09/2010)
4) 42,7°C em Porto Murtinho dia 16/10/2014 (estação aberta em 2006, recorde anterior 41,5°C de 28/11/2011 e 29/10/2008)
5) 42,5°C em Três Lagoas dia 17/10/2014 (anterior 41,5°C em 25/09/2004) e 42,5°C em Água Clara (anterior 40,5°C 30/10/2012)

Em Campo Grande as temperaturas máximas de 40,2°C em 15/10/2014 e de 40,0°C em 14/10/2014 foram as duas maiores já registradas no município, superam o registro de 39,7°C em 17/11/1985.

SP e MS continuam com calor extremo
sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Calor continua extremo em SP e MS

A intensa onda de calor que está sendo observada sobre o Brasil fez desde o início desta semana tem causado temperaturas extremas, acima dos 40°C especialmente nos estados de Mato Grosso do Sul e São Paulo.

O que mais impressiona é que nestes dois estados, as temperaturas de 40°C estão sendo registradas em amplas áreas e todos os dias desde o começo desta semana.

O Estado de Mato Grosso do Sul está no centro da onda de calor e  vem sendo a região mais quente do Brasil nos últimos dias. As temperaturas registradas esta semana em Mato Grosso do Sul estão entre as mais altas observadas oficialmente no Brasil. Na quarta-feira, 15, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou 42,9°C em Coxim fez 42,7°C na quinta-feira,16.

Os mapas mostram as temperaturas registradas pelo Instituto Nacional de Meteorologia às 13 horas. Em São José dos Campos (SP) e em São Paulo (SP), as temperaturas são de aeroportos

 

 

Quando a onda de calor vai terminar?

A onda de calor só deve acabar com uma grande frente fria que está sendo esperada para a semana que vem. Esta frente fria vem trazendo uma forte massa de ar polar. A combinação do aumento de nuvens (evitam o sol forte), chuva (refresca o ar), ventos (mistura as camadas de ar, refresca e diminuição a sensação de calor) e do ar polar (mistura com o ar quente, refresca) vão fazer a temperatura baixar no Brasil.

A queda da temperatura começa a ser sentida no Sul no domingo e em estados como São Paulo e Mato Grosso do Sul durante a segunda-feira.

Calor de outubro bate recordes históricos em GO,SP e MS
quinta-feira, 16 de outubro de 2014

Onda de calor de outubro bate recordes históricos

O Instituto Nacional de Meteorologia confirmou nesta quinta-feira, 16 de outubro, que a temperatura máxima registrara ontem em Goiânia, capital de Goiás, igualou o recorde histórico de calor. A temperatura máxima registrada na aferição das 21 horas de 15 de outubro de 2014 foi de 39,4°C, a mesma temperatura que observada em 17 de setembro de 2007. As medições meteorológicas em Goiânia são feitas desde 1937.

Recorde de calor em Brasília

A onda de calor que se instalou sobre o Brasil continua atuando forte sobre a região de Brasília. A temperatura máxima de 15 de outubro de 2014 foi de 35°C. Foi a maior temperatura para o ano de 2014. A tarde 15 de outubro de 2014 foi a segunda mais quente da história climática de Brasília. A maior temperatura já registrada na cidade foi de 35,8°C em 28 de outubro de 2008. As medições meteorológicas regulares do pelo Instituto Nacional de Meteorologia começaram em 12 de novembro de 1961.

Calor extremo em Mato Grosso do Sul

Temperaturas extremamente elevadas estão sendo observadas sobre o Mato Grosso do Sul nos últimos dias. Desde o início desta semana, este estado está sendo o mais quente do Brasil, com temperaturas de 40,0°C ou mais sendo registradas por quase todo o Estado.

Na tarde de 15 de outubro de 2014, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou 42,9°C em Coxim, no norte de Mato Grosso do Sul. Esta temperatura está entre as 10 mais elevadas do Brasil pelos registros do Instituto Nacional de Meteorologia.

 

 

 

 

Recorde histórico em SP

O Instituto Nacional de Meteorologia  e também a Aeronáutica registram temperaturas de 40,0°C ou mais no interior de São Paulo desde o dia o dia 14 de outubro.

Em Franca, no norte de São Paulo, a temperatura máxima de 15 de outubro de 2014, na estação convencional , foi de 37,8°C sendo o novo recorde histórico absoluto da série de dados, que começou em 1911. Antes desta onda de calor, a maior temperatura em Franca era de 36,0°C em 4 de outubro de 1959.

Em Valparaíso, a temperatura máxima de  41,2°C registrada em 15 de outubro de 2014 foi a terceira mais alta temperatura registrada  no estado de São Paulo desde 1961, perdendo para os 41,3°C  registrados em Valparaíso e em José Bonifácio em 30 de outubro de 2012

Considerando um histórico de medições mais antigo do INMET (período de 1930 a 1960), só há um registro de temperatura mais alta que foi de 43,0°C em Iguape, no litoral sul paulista.

As temperaturas vão baixar no Sudeste e no Centro-Oeste com as grande mudanças no tempo esperadas para a semana que vem, quando uma frente fria finalmente terá força para vencer esta forte massa de ar quente que atua sobre o Brasil.

 

 

Recorde de calor em Campo Grande-MS
terça-feira, 14 de outubro de 2014

O forte bloqueio atmosférico favorece o calor extremo no Estado de Mato Grosso do Sul. Na segunda-feira (13) o recorde de maior temperatura de 2014 foi batido na capital, Campo Grande. Os registros chegaram aos 39,5°C, e agora estamos caminhando para um novo recorde. A estação automática do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) registrou às 13h da terça-feira (14), temperatura de 39,8°C. No aeroporto a temperatura chegou aos 40°C.

Mais calor e menos chuva

Os próximos dias serão de predomínio do ar seco e quente sobre Mato Grosso do Sul. Somente no sábado (18) há o risco de algumas pancadas de chuva de forma rápida e localizada entre a tarde e a noite. O sul do Estado terá mudanças nas condições do tempo devido a passagem de uma frente fria que vai organizar áreas de instabilidade, mas isso apenas no domingo (19).

Centro-Oeste: calor supera os 40°C nos próximos dias
segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Muito calor e pouca umidade

A Região Centro-Oeste vai continuar muito quente e com pouca chuva pelo menos por mais 10 dias. A forte e grande massa de ar seco que atua sobre o Brasil mantém os níveis de umidade do muito baixos. Falta umidade para a formação e o crescimento das nuvens, mas sobra calor. Mas para chover, para que ocorram as pancadas de chuva típicas dos dias quentes, não basta o calor.  A forte massa de ar seco e quente que influencia o Centro-Oeste afasta também o ar polar das frentes frias. 

Sem chuva, com poucas nuvens e sem o ar polar para se misturar ao ar quente, as temperaturas permanecem muito elevadas. O Estado de Mato Grosso do Sul foi uma das áreas mais quentes e mais secas do Brasil nesta segunda-feira. Pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia, a temperatura chegou aos 41,5°C em Três Lagoas e em Coxim. O nível de umidade baixou para 11% em Coxim e em Água Clara

Os mapas mostram a projeção de chuva para os próximos 15 dias. A cor branca indica ausência de chuva. Os tons em vermelho-terra representam pouca chuva, com baixo volume. A previsão a médio prazo indica pancadas de chuvas mais frequentes e diminuição do calor só após o dia 22 de outubro.

 

 

Recorde de calor em Campo Grande

Campo Grande, capital de Mato Grosso do Sul, bateu recorde de calor nesta segunda-feira, 13 de outubro, com temperatura máxima de 39,5°C. O recorde anterior era de 39,0°C em 12 de outubro.

Esta foi a terceira temperatura mais alta já observada pelo Instituto Nacional de Meteorologia em Campo Grande. O recorde absoluto de calor é de 39,7°C em 17 de novembro de 1985.

Segunda tarde mais quente em Goiânia 

A tarde de 13 de outubro foi a segunda tarde mais quente de 204 em Goiânia, capital de Goiás. O Instituto Nacional de Meteorologia registrou uma temperatura máxima de 37,5°C. O recorde atual de calor é de 37,9°C, temperatura observada em 18 de setembro.

Cuiabá dos 40°C

O fim de semana foi de calor recorde e de 40°C em Cuiabá, capital de Mato Grosso. No sábado, 11 de outubro, o Inmet registrou 40,6°C, o atual recorde de calor para 2014. No domingo, 12, fez 40,5°C.

Cuiabá já registrou 40°C três vezes este ano. Além destes dois dias, fez 40,1°C em 14 de setembro.

A projeção de temperatura indica que o calor continua intenso sobre o Centro-Oeste nos próximos 5 dias. Temperaturas em torno dos 40°C devem ocorrer novamente.

Brasília

A maior temperatura de 2014 em Brasília até agora é de 33,1°C no dia 17 de setembro. Este recorde poderá ser batido ainda em outubro.

 

Calor acima dos 40°C 

Veja onde a temperatura atingiu marcas de 40°C ou mais no Brasil em 13 de outubro de 2014.

 

Mais temporais em Mato Grosso do Sul
sexta-feira, 26 de setembro de 2014

O estado de Mato Grosso do Sul teve chuva forte e volumosa nos últimos dias, acompanhada de ventania e até granizo. Os temporais foram provocados por grandes áreas de instabilidade que estão se formando entre o Brasil e o Paraguai e reforçadas pela passagem de frentes frias pelo litoral da Região Sul e também pelo ar quente que está vindo do Norte do Brasil.

 

 

As manchas vermelhas representam nuvens bastante carregadas, de grande extensão vertical, com potencial para provocar chuva forte, ventania e muitos raios e até granizo. Os núcleos amarelos indicam nuvens profundas, com capacidade de provocar chuvas mais intensas e ventania maior do que nos núcleos vermelhos.

 

Mais temporais

O primeiro fim de semana da primavera segue com tempo instável e com risco de novos temporais neste domingo. Há risco também de ventania e granizo isolado. Mais uma frente fria vai passar pelo litoral do Sul do Brasil na segunda-feira e aumentar um pouco mais a chuva.

O mapa mostra a anomalia (diferença em relação à média) de chuva de setembro, até o dia 26. Os tons de azul representam locais onde já choveu acima do normal para este mês. O que mais chama a atenção é a situação do oeste do Paraná, onde já choveu muito acima do normal e vai chover mais nos próximos dias.

 

 

Este mapa mostra a quantidade de chuva estimada para os próximos 15 dias. A previsão é de que chova de 100 a 200 mm em muitas áreas do Sul e de Mato Grosso do Sul.

 

Nuvens de tempestade sobre o Mato Grosso do Sul
quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Enormes nuvens se formaram sobre o estado de Mato Grosso do Sul nesta quarta-feira, 24 de setembro que provocaram chuva intensa, muitos raios e também ventania.

Basicamente a formação destas nuvens está associada ao calor e a umidade elevada, em níveis médios e baixos da atmosfera. Mas a passagem de uma frente fria pelo Sul do Brasil impulsionou o crescimento das nuvens.

As imagens da satélite mostram a evolução dos aglomerados de nuvens carregadas. É possível perceber  volume das nuvens e a região onde estão seus topos elevados.

 

 

As manchas vermelhas indicam nuvens carregadas. AS manchas amarelas indicam nuvens muito profundas, com grande extensão vertical, com potencial para tempestade severa

 

Estas nuvens ainda podem crescer nesta quinta-feira e provocar temporais como os que alagaram algumas áreas de Campo Grande.

 

Conheça os 10 tipos de nuvens!

Chuva volumosa para SC, PR, SP e MS
quarta-feira, 24 de setembro de 2014

A primeira frente fria da primavera trouxe temporais para os três estados do Sul e também para algumas regiões de São Paulo e de Mato Grosso do Sul. A chuva forte com ventania começou na noite de terça-feira pelo Rio Grande do Sul. Na madrugada desta quarta-feira, 24, nuvens carregadas avançaram sobre Santa Catarina e Paraná e no fim da manhã já estavam provocando temporais em Mato Grosso do Sul e em São Paulo.

Entre 19h do dia 23 e 19h de 24 de setembro, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou 62,8 mm em Sete Quedas, sul de Mato Grosso do Sul, 52,8 mm em Dionísio Cerqueira, oeste de Santa Catarina, 52,4 mm em Marechal Cândido Rondon, oeste do Paraná, 51 mm em Planalto e 50,4 mm em Foz do Iguaçu, as duas cidades no sudoeste do Paraná. Em São Paulo, o maior volume de chuva acumulado neste período, onde o Inmet tem instrumento de medida, foi em Rancharia, com 30,6 mm.

Foto do destaque: chuva forte avançando sobre o rio Paraná vista de Pauliceia, São Paulo, na divisa com o Mato Grosso do Sul, fotografada em 19 novembro de 2013, por Tsutomu Machino

Mais chuva

As imagens de satélite mostram que muitas nuvens carregadas ainda estão crescendo entre o Mato Grosso do Sul, São Paulo e Santa Catarina. As pancadas de chuva vão continuar nesta quarta-feira e ainda por vários dias. Até a segunda-feira pode-se esperar por vários temporais em diversas áreas destes estados.

O mapa mostra o volume de chuva estimado até o dia 29 de setembro. Os tons de verde brilhante e indicam mais de 100 mm acumulado no período. O verde escuro indica mais de 200 mm.

A frente fria que iniciou esta nova onda de temporais chegou ao litoral paulista e se afasta para alto-mar. Há um bloqueio na atmosfera que vai forçar a formação de mais áreas de instabilidade entre Mato Grosso do Sul, São Paulo e Santa Catarina. A meteorologista Josélia Pegorim explica esta situação.

Chuva no Centro-Oeste do Brasil
sábado, 20 de setembro de 2014

Uma frente fria favoreceu a organização de áreas de instabilidade sobre o Centro-Oeste do Brasil. De ontem para hoje a chuva se concentrou sobre o Mato Grosso do Sul e caiu forte em algumas cidades. Segundo o Inmet, entre às 13h de sexta e 13h deste sábado,no horário de Brasília,foram acumulados, 32 mm em Ponta Porã e em Corumbá, 33 mm em Bataguassu, 44 mm em Água Clara, 53 mm em Sidrolândia e 58 mm em Miranda.

Ao longo desta tarde as nuvens carregadas avançam para Mato Grosso e Goiás. Há risco de temporais nas localidades que ficam no sul destes Estados, inclusive na região de Cuiabá.

Amanhã (domingo), as pancadas de chuva devem acontecer também em Goiânia e em Brasília.