Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

BR continua acima dos 40°C nesta sexta

24/09/2015 às 22:02
por Josélia Pegorim

Temperaturas bastante elevadas e muito acima do normal para o fim de setembro estão sendo observadas em todas as Regiões do Brasil esta semana. O calor foi ainda mais intenso nesta quinta-feira, 24 de setembro, batendo recorde em Belo Horizonte (35,8°C) e em Brasília (35,1°C), sendo que na capital federal esta foi maior temperatura em um dia de setembro em 54 anos.

Estados de todas as Regiões do país registraram temperaturas de 40°C ou mais em 24 de setembro de 2015. As medições foram feitas pelo Instituto Nacional de Meteorologia, exceto a de Cerro Azul (PR) que foi feita pelo Simepar (Sistema Meteorológico do Paraná). Segundo o Simepar, Cerro Azul registrou um recorde histórico de calor desde maio de 1997, quando começaram as medições neste local por este instituto.

Na cidade do Rio de Janeiro, o aeroporto Jacarepaguá registrou 41°C.

 

•Alto Paranaíba (MA): 41,1°C

•Cerro Azul (PR): 40,9°C

•Bom Jesus do Piauí (PI): 40,7°C

•Paranã (TO): 40,6°C

•Rio de Janeiro (RJ): 40,4°C

•São Romão (MG): 40,4°C

•Cuiabá (MT): 40,1°C

 

Veja as maiores temperaturas já registradas no Brasil, por instituições oficiais de acompanhamento meteorológico

 

 

 

O calor intenso vai continuar sendo observado sobre praticamente todo o país nesta sexta-feira. Novos recordes poderão ocorrer, com marcas acima dos 40°C na cidade do Rio de Janeiro. O calor começa a diminuir sobre áreas do Paraná, de Mato Grosso do Sul e de Mato Grosso com o aumento da nebulosidade e a chuva.

A Região Sudeste, o Nordeste e também o Tocantins ainda vão passar quase toda a sexta-feira com poucas nuvens, o que garante um grande número de horas de sol para aquecimento do ar. Esta situação ainda será observada até em São Paulo, para onde há previsão de um pouco de chuva.

 

 

 

Água pura: o santo remédio para aliviar os efeitos nocivos do calorão no nosso corpo. Confira o comentário do dr. Sergio Vaisman

 

 

 

Sul do Brasil tem mais temporais