Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Furacão Sandra enfraquece rápido

25/11/2015 às 15:49
por Josélia Pegorim

Atualizado 27/11/2015 às 22:47

Análise de 27 de novembro - 21 UTC

O furacão Sandra enfraqueceu rapidamente em 24 horas e no começo da tarde da sexta-feira, 27 de novembro, já havia sido rebaixado para um furacão de categoria 1,  na escala Saffir-Simpson que mede a intensidade dos furacões. A avaliação é do Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC, na sigla em inglês). 

Às 21:00 UTC (19h horas em Brasília), Sandra ainda era um furacão de categoria um com ventos sustentados em torno de 130 km/h e pressão mínima no centro de 978 hPa.  O sistema se deslocava na direção norte/nordeste com 17 km/h, indo em direção ao México.

Na animação de imagens de satélite, a região com chuvas mais intensas é representada pelas manchas vermelhas.

 

 

 

A previsão é de Sandra continua enfraquecendo e até a madrugada de sábado, 28 de novembro, decaia para o nível de tempestade tropical. No decorrer do sábado, o sistema deve se tornar uma depressão tropical.

 

 

 

Como tempestade e depressão tropical, a intensidade dos ventos diminui para menos de 100 km/h, mas a chuva ainda será volumosa. Fortes chuvas foram sentidas sexta-feira, 27, na região das ilhas Madre e Magdalena. No continente, a chuva de Sandra também já era sentida em Guadalajara e Zacatecas.

 

 

 

 

Grandes ondas podiam ser observadas na costa oeste do México. A foto é de Niloofar Razi Howe, via twitter.

 

 

 

Histórico

O furacão Sandra, que começou a se formar na costa oeste do México no dia 23 de novembro, quando surgiu a depressão tropica, mas se intensificou rapidamente e na quinta-feira, 25 de novembro,  atingiu a categoria 4 na escala Saffir-Simpson que mede a intensidade dos furacões.

A formação deste intenso furacão está diretamente associada com o fenômeno El Niño observado este ano, caracterizado por uma temperatura acima do normal nas águas do oceano Pacífico Equatorial. As águas na costa oeste do México estão também mais quentes do que a média.

Sandra foi o segundo furacão de grande porte a se formar na costa oeste do México, e avançar em direção ao interior deste país, num período de um mês. 

O furacão Patricia, mais intenso do que Sandra, atuou entre os dias 20 e 24 de outubro de 2015.

 

 

 

Análise do dia 25 de novembro 15 UTC

No boletim técnico emitido às 15 UTC (13 horas em Brasília) pelo Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC, na sigla em inglês), Sandra estava provocando ventos constantes da ordem de 215 km/h, com rajadas mais fortes. A pressão mínima no centro foi avaliada em 947 hPa. O sistema se movimentava para norte, em direção à região da Baixa Califórnia, com 19 km/h, velocidade ligeiramente superior a que foi observada no começo da noite da quarta-feira, 24 de novembro.

 

 

 

O NHC já prevê um enfraquecimento do furacão Sandra no decorrer desta quinta-feira. Na noite da sexta-feira, 27, o centro do furacão deve passar próximo ao extremo sul da península da Baixa Califórnia, já menos intenso. A previsão é de que Sandra entre no território do México durante o sábado, mas já bastante enfraquecido, como uma depressão tropical. Nesta situação, os ventos não devem passar 63 km/h, mas a chuva ainda poderá ser forte.

 

 

Análise de 25 de novembro 21 UTC

O boletim técnico emitido pelo Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC, na sigla em inglês) às 21:00 UTC (19 horas em Brasília) da quarta-feira, 25 de novembro, caracterizava Sandra como um furacão de categoria 3, mas com tendência de intensificação nas próximas 24 horas.

Sandra estava produzindo ventos constantes de 185 km/h com rajadas mais intensas. A pressão mínima no centro foi estimada em 967 hPa. Sandra se movimentava com 13 km/h na direção noroeste. A previsão é de que este furacão avance para o México e entre em terra no sábado, 28 de novembro, quando deve decair rapidamente para uma depressão tropical. Os ventos naturalmente diminuem, mas a chuva ainda deve ser intensa.

 

Tão rápido como Patrícia

O histórico meteorológico do furacão Sandra é bastante parecido com o do super furacão Patricia.

O sistema era uma depressão tropical no começo da noite do dia 23 de novembro, passou a furacão no começo da madrugada da quarta-feira, 25 de novembro. Mas a intensificação de Sandra foi fulminante.  Pela avaliação do Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC, na sigla em inglês), Sandra já era um furacão de categoria 2,  na escala Saffir- Simpson, às 15 UTC do dia 25 de novembro (13 horas em Brasília), passou para a categoria 3 às 21 UTC (19 horas em Brasília) e se atingiu a categoria 4 no começo da manhã de 26 de novembro de 2015, considerando a escala Saffir-Simpson que vai até 5.

 

 

 

Semelhança com Patricia

A comparação com o furacão Patricia é natural, pois Sandra se originou na mesma região do super furacão Patricia, considerado o mais intenso furacão já observado na costa oeste mexicana. Patricia atuou sobre o México há  um mês entre os dias 20 e 24 de outubro de 2015. Sandra também tende a avançar para o interior do México. Em geral, a maioria dos furacões se formam no oceano Pacífico na costa oeste mexicana tendem a avançar oeste, se afastando do México.

 

 

 

 

Patricia teve uma intensificação explosiva e passou de uma tempestade tropical para um furacão de categoria 5 e apenas 24 horas. O sistema avançou sobre o território mexicano com chuva torrencial e ventos da ordem de 200 km/h.

 

 

 

 

Super furacão Patricia