Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Excesso de chuva causa problemas no sul de MG

07/03/2016 às 17:04
por Josélia Pegorim

Atualizado 07/03/2016 às 17:38

O centro-sul de Minas Gerais está tendo problemas com o excesso de chuva. Na sexta-feira (4), algumas cidades, inclusive Belo Horizonte, tiveram queda de granizo.  O fim de semana também foi de chuvas intensas devido à influência de um sistema de baixa pressão na costa do São Paulo. A região de Florestal, próxima à região metropolitana de Belo Horizonte, registrou entre a manhã de sexta-feira e a noite de domingo, um acumulado de 72 mm,  o que corresponde à quase 50% da média histórica para o mês de março. A agricultura do Sul de Minas, que é majoritariamente o café, também está enfrentando dificuldades.  

 

Na sexta-feira, a cidade de Ucrânia teve alagamentos. O usuário Edgar Antônio Bento nos enviou fotos.

 

 

A hidrelétrica de Furnas também recebeu um grande volume de água durante o fim de semana. O vídeo, gravado pelo usuário José Eduardo da Silva Chagas, do município de Formigas, mostra as quedas d’água da usina depois das chuvas.

 

 

Quer ver o vídeo de sua cidade no site e redes sociais? É só gravar a condição do tempo e mandar para o nosso Whatsapp: 11 9 9420-7548. PARTICIPE!

 

Enquanto isso, no norte do estado de Minas, a chuva até ocorreu em alguns pontos, mas não foi suficiente para reverter o quadro de estiagem. O mapa de disponibilidade de água no solo indica que nos últimos dias (entre 2 e 6 de março) as áreas ao sul ficaram mais úmidas, e começaram a semana com 30 a 40 mm de água disponível no solo. Já no norte, a reserva de água não passava de 10 mm.

 

 

Para os próximos dias a tendência é de diminuição nas chuvas no estado de Minas Gerais. Para o sul mineiro, a presença do sol vai beneficiar as plantações reduzindo o excesso de umidade no solo. Porém, a partir de sexta-feira uma nova frente fria chega ao Sudeste e volta a provocar chuvas constantes no sul de Minas Gerais. Será que esta chuva chega também ao  norte do estado?

Confira o comentário da meteorologista Josélia Pegorim.