Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Dia Meteorológico Mundial - 23 de março

23/03/2016 às 11:37
por Josélia Pegorim

O dia 23 de março é especial para os meteorologistas. É o "Dia Meteorológico Mundial".

A data foi criada em 1950 para celebrar a entrada em vigor da Organização Meteorológica Mundial (WMO, na sigla em inglês), que é um órgão internacional ligado à ONU - Organização das Nações Unidas. A WMO tem sede em Genebra, na Suíça.

Todos os anos, para comemorar o 23 de março, a WMO propõe um tema para reflexão pela sociedade e pela comunidade meteorológica mundial. Este ano, o tema é " Mais quente, mais seco, mais úmido: encare o futuro".

 

 

 

 

Confira a mensagem de Petteri Taalas, secretário-geral da OMM – Organização Meteorológica Mundial. Ele alerta para as mudanças que o clima do planeta já está sofrendo como uma antecipação do futuro mais quente, seco e mais úmido. Devemos encarar o futuro e responder seriamente à ameaça das mudanças climáticas.

 

Mais quente, mais seco e mais úmido: encare o futuro

 

O nosso clima está mudando. As últimas décadas têm sido consistentemente mais quentes do que antes. O período de cinco anos, de 2011 a 2015, foi o mais quente já registrado e 2015 - com o impulso adicional de um intenso episódio de El Niño - tem sido o mais quente desde as primeiras observações  no final do século XIX. No entanto, o aumento da temperatura é apenas um aspecto da nova realidade. A mudança climática está alterando o ritmo natural das estações do ano e colabora para o aumento e a frequência da intensidade de certos fenômenos meteorológicos extremos como ondas de calor, secas ou chuvas fortes. As mudanças atuais são como a antecipação do futuro mais quente, mais seco e úmido.

De acordo com o Secretário-Geral, em dezembro 2015 os governos do mundo aprovaram por unanimidade o Acordo de Paris, que irá fornecer uma rápida e forte redução das emissões de gases de efeito estufa. Sob este acordo histórico todos os países se comprometem a realizar esforços ambiciosos para responder à ameaça urgente da mudança climática.

Mais quente

As temperaturas globais  também chegaram a um marco simbólico e significativo. No ano passado, a temperatura do ar média global do planeta Terra quebrou todos os recordes anteriores, sendo maior em cerca de 1° C ao que foi medido no período pré-industrial. Isto é mais do que a metade da meta do Acordo de Paris, com o qual se pretende manter o aumento da temperatura média global bem abaixo de 2°C, em relação aos níveis pré-industriais, e também da tentativa de limitar a elevação de temperatura a 1,5 ° C. Se este nível for ultrapassado, a vida no planeta provavelmente ficará cada vez mais precária.

Devido a emissões passadas, o planeta está condenado a um aquecimento ainda maior. Uma vez que o dióxido de carbono permanece na atmosfera durante séculos, e os oceanos armazenam mais do que 90% do excesso energia que se acumula no sistema climático, a temperatura e o nível do mar continuarão a subir. Dentro desta tendência de aquecimento geral, muitos países estão relatando picos sem precedentes de temperatura, tanto de máxima quanto de mínima e ondas de calor mais intensas. Estão sendo observando secas severas em algumas partes do mundo. Simultaneamente, episódios de chuvas intensas estão aumentando porque o aquecimento da atmosfera pode reter mais umidade.

 

Vamos encarar o futuro

Felizmente, os governos de todo o mundo estão agora plenamente convencidos da certeza científica das mudanças climáticas e da necessidade de uma ação urgente. É preciso mais investigação e investimento para promover o avanço das tecnologias que emitam baixos níveis de carbono, em particular no setor da energia. Já existem inúmeras políticas, tecnologias e medidas em campo para ajudar os cidadãos privados, líderes comunitários, empresas, organizações da sociedade civil, os governos e o Sistema das Nações Unidas. A ciência irá desempenhar um papel fundamental. Graças à continuação e melhoria das observações científicas será alcançada uma melhor compreensão das mudanças climáticas em escala nacional e regional, os seus efeitos e soluções para adaptação.

A Organização Meteorológica Mundial (OMM) tem o compromisso de contribuir para estes esforços juntamente com o Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas (IPCC), cujos relatórios periódicos fornecem uma base sólida para a decisão medidas.

Serviços Meteorológicos e Hidrológicos Nacionais em todo o mundo e seus parceiros também trabalham para a implementação do Quadro Mundial de Serviços de Clima. Os serviços de clima vão traduzir o conhecimento científico em medidas práticas para reforçar a resistência ao clima, adaptação às alterações climáticas, de mitigação e desenvolvimento sustentável. 

A informação e as previsões climáticas permitem aos tomadores de decisão enfrentar os riscos e oportunidades colocados pelo clima. As medidas tomadas em setores mais sensíveis ao clima, tais como agricultura, gestão de recursos hídricos, desastres naturais, saúde pública ou de energia, são segmentos do mercado regidos e impactados pelo clima. Por isso, a mudança climática representa um desafio fundamental para a humanidade.

Se a comunidade internacional agir com base nos melhores dados científicos disponíveis poderá começa a criar um mundo ambientalmente sustentável economicamente próspero. Vamos encarar o futuro!