Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Sudestada alaga regiões de Buenos Aires

25/03/2016 às 14:56
por Josélia Pegorim

Atualizado 26/03/2016 às 00:13

 

 

 

O fenômeno da “sudestada” voltou a ocorrer na região de Buenos Aires e foi responsável por uma grande elevação do nível das águas do rio da Prata, que invadiu algumas áreas da capital da Argentina. O rio da Prata é um estuário formado pelos rios Paraná e Uruguai.

 

 

 

Quando ocorre a “sudestada”, ventos fortes e constantes da direção sudeste, a água é jogada para as áreas marginais causando grandes alagamentos. A força do vento pode represar a água do rio dificultando seu escoamento normal para o mar. A combinação de maré alta e “sudestada” produz grandes enchentes na região de Buenos Aires, e normalmente ocorre sem estar chovendo.

 

A “sudestada” é o vento da direção sudeste que sopra constante, moderado a forte, por várias horas consecutivas. O vento de sudeste é provocado por um forte centro de alta pressão polar.

 

 

 

Desde a noite do dia 24 de março, os aeroportos de Buenos Aires começaram a registrar ventos da direção sudeste com velocidade média de 30 km/h a 40 km/h, com algumas rajadas de quase 60 km/h.

A "sudestada" é previsível e o serviço de hidrografia naval da Argentina emitiu alerta do fenômeno, que deixa a região do estuário com águas agitadas, que podem causar problemas para a navegação.

Por causa da “sudestada”, diversas casas na região do Tigre, área nobre na Grande Buenos Aires, com casas de luxo, amanheceram alagadas nesta sexta-feira, com a grande elevação do nível das águas do rio Luján, que compõe a bacia hridrográfica do Prata. O nível do rio chegou a 3 metros acima do normal no começo da madrugada.

 

Nesta sexta-feira, 25, este centro de alta pressão polar (massa de ar polar) causou forte queda da temperatura sobre o centro-sul e leste da Argentina. Confira o mapa das temperaturas mínimas do serviço nacional de meteorologia da Argentina.

 

 

O centro de alta pressão vai continuar forte no fim de semana e vai se afastando da costa da Argentina. Mas até a noite de sábado, o vento de sudeste ainda deve predominar na região de Buenos Aires.