Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Tempo de névoa e de nevoeiro

20/05/2016 às 20:25
por Josélia Pegorim

Atualizado 20/05/2016 às 20:26

O excesso de umidade causado pelo tempo chuvoso e pela entrada de ventos marítimos causaram a formação do nevoeiro e de névoa forte na tarde e noite da sexta-feira em muitas áreas da Região Sul, no sul de Mato Grosso do Sul e também na Grande São Paulo. A névoa e o nevoeiro reduziram muito a visibilidade nos aeroportos e em estradas.

Estes fenômenos devem voltar a ocorrer no fim de semana em muitas áreas do Sul, de Mato Grosso do Sul e de Sudeste, especialmente em São Paulo e nas áreas serranas dos demais estados. A alta umidade e o resfriamento do ar são fatores essenciais para a formação da névoa e do nevoeiro.

Durante a próxima segunda-feira, 23 de maio, o risco de formação do nevoeiro e de névoa forte é alto. Além da umidade do ar elevada no Sul, em São Paulo, Mato Grosso do Sul e outras do Sudeste e do Centro-Oeste, espera-se a entrada de uma forte massa de ar polar que vai causar um acentuada queda da temperatura.

Se você tem vôos marcados para o fim de semana e para a segunda-feira, fique preparado para possíveis atrasos e até cancelamentos por causa das condições meteorológicas.

 

Forte névoa reduz a visibilidade na Grande SP

Um grande aumento de umidade ocorreu sobre a Grande São Paulo após às 15 horas desta sexta-feira com a entrada de ventos marítimos. O excesso de umidade gerou uma forte névoa e também nevoeiro que causou uma brusca redução da visibilidade em áreas da capital, do Grande ABC e também na região das rodovias Anchieta e Imigrantes que fazem a ligação entre a Grande São Paulo e a Baixada Santista, no litoral.

O nevoeiro que se formou em trechos do sistema Anchieta/Imigrantes deixou a visibilidade muito prejudicada, obrigando a concessionária que administra estas rodovias a implantar a "operação comboio" na rodovia Anchieta, a partir da praça do pedágio, sentido litoral. Nesta situação, os carros seguem em fila, devagar, orientados por uma carro-guia.

 

O que é e como se forma o nevoeiro?

 

Na capital, a névoa forte e o nevoeiro puderam ser percebidos especialmente em bairros da zona sul, que por serem mais próximos do litoral recebem a umidade marítima antes do que os outros bairros e com maior intensidade.

As imagens são da região de Diadema (Alexandre) e de bairros na zona sul da capital paulista (César e Cristina).

 

 

 

 

No aeroporto de Congonhas, a visibilidade também teve rápida diminuição por causa da névoa forte. A visibilidade horizontal na pista às 15 horas estava acima de 10 km, às 16 horas baixou para 6 km, às 17 horas reduziu para 4,8 km e às 17h48 já estava em 3 km. Às 19 horas, a visibilidade ainda estava em 3 km. O aeroporto internacional de Guarulhos não teve formação da névoa forte.

 

Saiba a diferença entre nevoeiro, névoa úmida e névoa seca

 

Na base aérea do Guarujá, a visibilidade baixou para 4 km às 18 horas e às 19 horas estava e 3 km.

No aeroporto de Ponta Porã, no sul de Mato Grosso do Sul, a visibilidade estava acima de 10 km às 15h35 (de Brasília). a era quase nula às 19 horas e o aeroporto de Maringá, no norte do Paraná, tinha apenas 300 metros de visibilidade no mesmo horário. Ainda no Sul do Brasil, névoa moderada a forte era observada às 19 horas nos aeroportos da Grande Curitiba, de Foz do Iguaçu, Criciúma e de Santa Maria.