Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Umidade deve cair mais no Brasil

10/07/2016 às 09:38
por Alexandre Nascimento

Atualizado 10/07/2016 às 13:57

Sob o ponto de vista técnico, a umidade relativa do ar é obtida pela divisão entre a pressão parcial de vapor de água do ar (e) e a pressão de vapor nas condições de equilíbrio, também chamada pressão de vapor de saturação {\displaystyle (e_{s})}

A pressão de vapor de saturação corresponde ao valor da pressão de vapor medida em uma parcela de ar onde existe um número de moléculas de água mudando da fase líquida para a fase vapor igual ao número de moléculas de água mudando da fase vapor para a fase líquida (ou seja, esse ar está saturado de umidade, o que implica dizer que ele é suficiente úmido para haver mudança de fase líquido-gasoso e vice-versa). Podemos entender de forma análoga que a umidade relativa do ar é uma razão entre o quanto de umidade existe em uma parcela de ar e o quanto que "caberia" de umidade nesta mesma parcela de ar. Se for injetada umidade até que chegue ao limite (pressão de vapor de saturação) essa parcela de ar se condensa e a partir deste momento se formam gotas de água líquida - esta é a explicação para a formação de nuvens, nevoeiro, etc.

 

A pressão de vapor é medida a partir da temperatura do ponto de orvalho (temperatura que o ar deve atingir para que a água gasosa se torne água líquida) e a pressão de vapor de saturação a partir da temperatura deste mesmo ar (esta é a temperatura usual que conhecemos).

 

 

Assim, existem duas formas de aumentar a UR%:

- Diminuindo o numerador da divisão, ou seja, diminuindo a temperatura do ar até se aproximar ou chegar a temperatura do ponto de orvalho (ou seja, se a temperatura diminui, a pressão de valor de valor aumenta porque caberá menos "água" na parcela e a UR% se aproximará ou chegará a 100%).

- Aumentando a quantidade de umidade da parcela de ar. Desta forma a pressão de vapor também aumenta e chegará mais facilmente à pressão de vapor de saturação (UR=100%).

Podemos ainda pensar de forma contrária: se aumentarmos a temperatura e diminuirmos o conteúdo de água de uma parcela de ar a umidade relativa cairá. E é isso o que acontece nesta época do ano, em grande parte do Brasil. Por isso que a umidade mais baixa ocorre à tarde, quando a temperatura sobe bastante.

 

Nesta época do ano avançam pelo país massas de ar frio e seco de origem polar (como a que chegou ao país na última sexta-feira, dia 08). Elas chegam frias e com pouca água, mas em princípio os valores de umidade relativa ainda não são críticos porque está muito frio. Mas essas massas, depois de vários dias sobre uma determinada região como, por exemplo sobre o Cerrado, vão se aquecendo devido ao excesso de sol. Analisando pela linha de raciocínio acima, se a quantidade de umidade de uma parcela de ar é muito baixa e a temperatura desta parcela sobe, a umidade relativa do ar cai.

 

Nos próximos dias a temperatura deve subir mais no Paraná, em São Paulo e vai continuar elevada no Centro-Oeste e no Nordeste. O mapa abaixo mostra a umidade relativa do ar esperada para a tarde deste domingo, sendo que nos próximos dias a situação só tende a piorar um pouco.

 

 Alguns problemas podem ocorrer quando a umidade cai muito, como complicações alérgicas e respiratórias devido ao ressecamento de mucosas, sangramento pelo nariz, ressecamento da pele,  irritação dos olhos , eletricidade estática nas pessoas e em equipamentos eletrônicose aumento das queimadas.

 

Quando a umidade fica entre  20 e 30% - Estado de Atenção são recomendados: Evitar exercícios físicos ao ar livre entre 11 e 15 horas, procurar umidificar o ambiente.

Entre 12 e 20% - Estado de alerta devemos observar as recomendações do estado de atenção e parar com os exercícios físicos e trabalhos ao ar livre entre 10 e 16 horas. Evitar ainda aglomerações em ambientes fechados e se possível usar soro fisiológico para olhos e narinas.

 

Abaixo de 12% devemos observar as recomendações para os estados de atenção e de alerta e ainda:  Determinar a interrupção de qualquer atividade ao ar livre entre 10 e 16 horase suspender atividades que exijam aglomerações de pessoas em recintos fechados.