Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Queimadas no BR aumentaram 60% em relação à 2015

29/07/2016 às 15:01
por Josélia Pegorim

Atualizado 29/07/2016 às 15:02

O Brasil está queimando mais em 2016. O mais recente levantamento feito pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) revelou que o número de focos de fogo no país de 1 de janeiro até 28 de julho de 2016 foi de 42881 focos, valor que está 60% acima do que foi observado no mesmo período em 2015.

O estado de Mato Grosso lidera atualmente o ranking de queimadas no país. No período de 1 de janeiro a 28 de julho já foram acumulados 9486 focos de fogo, um aumento de 49% em relação ao mesmo período no ano passado.

Brigadistas e bombeiros do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio) de Mato Grosso controlaram os incêndios no Parque Nacional na Chapada dos Guimarães esta semana. Por causa do excesso de queimadas, o parque foi fechado para visitação pública.

 

O gráfico mostra os estados nos quais o número de focos de fogo estava acima de 1000 este ano, até o dia 28 de julho.

 

 

 

Na tabela, a coluna à direita do número de focos de fogo representa a diferença em porcentagem em relação ao que foi observado em 2015, de 1 de janeiro a 28 de julho de 2016. O sinal de "+" representa aumento e o sinal de "-" indica diminuição do número de focos.

 

O único estado com mais de 1000 focos de fogo que teve uma redução de queimadas em relação ao mesmo período do ano passado foi o Piauí. A situação no Amazonas é a mais preocupante atualmente, pois neste primeiro semestre de 2016 houve um aumento de 339% quantidade de queimadas em relação ao mesmo período em 2015.

 

 

 

Outro dado preocupante é que a quantidade de queimadas observadas no período de 1 de janeiro a 28 de julho de 2016 é recorde, desde 2010, para quase todos os estados brasileiros. Estão nesta situação os estados do Acre, Amazonas, Espírito Santo, Maranhão, Minas Gerais, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Pará, Paraná, Rondônia, Roraima, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, São Paulo e Tocantins.

 

O gráfico compara o total de focos de fogo acumulados de 1 de janeiro a 28 de julho nos anos de 2010 a 2016. A linha preta representa o ano de 2016 e se destaca em quase todos os estados.

 

 

O grave quadro de seca observado este ano no Espírito Santo certamente é a principal causa do grande aumento do número de focos de fogo. No período de 1 de janeiro a 28 de julho de 2010 foram 88 focos e este ano, no mesmo período, o acumulado já estava em 368 focos.

 

Mais seca

A situação só tende a piorar em agosto, pois não há expectativa de chuva para maior parte do país. Este é um mês tipicamente de seca e também de aumento de queimadas feitas pelos agricultores para a preparação do terreno para o plantio da nova safra de verão.

A tendência é de aumento de número de focos de queimadas em praticamente todo o país. As condições para chuva sobre o Brasil só tendem a aumentar efetivamente durante o mês de outubro.

 

A meteorologista Josélia Pegorim comenta sobre o aumento das queimadas no Brasil no primeiro semestre de 2016.