Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

A dança entre Vênus e Júpiter vai começar

26/06/2015 às 14:54
por Josélia Pegorim

Eles estão muito distantes um do outro e da Terra também, mas é justamente esta distância astronômica que vai permitir ver o movimento de aproximação entre Vênus e Júpiter.

Os astrônomos profissionais e amadores já estão preparando suas máquinas fotográficas e binóculos para registrar este momento especial. Mas dá para ver até a olho nu, com um pouco de paciência.

 

 

 

Fim de semana de ar seco

O espetáculo é de graça e o melhor de tudo é que o tempo vai ajudar! Uma grande massa de ar seco se intensifica sobre o Brasil no fim de semana e reduz os níveis de umidade no ar em grande parte do país. O ar seco das tardes vai até incomodar muita gente, especialmente na Região Centro-Oeste, mas é a secura do ar que vai dificultar a formação das nuvens e deixar a observação dos astros mais nítida.

Por causa desta massa de ar seco, o primeiro fim de semana do inverno de 2015 promete noites limpas, com poucas nuvens e sem risco de chuva por quase todo o país. A baixa umidade do ar diminui o efeito de cintilação, que é aquela aparência de estrelas cheia de pontas que normalmente vemos ao olhar os astros.

 

A dança de Vênus e Júpiter

Os dois planetas não vão se chocar no céu, não vai acontecer nenhuma “trombada planetária”. Eles se movimentam e é a grande distância relativa dos objetos celestes, em relação a um observador que está na superfície da Terra, que dará a “impressão” de que os dois planetas vão ficar quase que lado a lado e até mudarem de posição em relação ao outro. Tecnicamente chamamos esta impressão visual de “movimento aparente dos astros”.

Esta “dança” entre Vênus e Júpiter vai demorar vários dias até chegar no momento de máxima aproximação aparente que será no dia 30 de junho. Então, se você quiser perceber este movimento terá que observar o céu por várias noites de 26 de junho a 1 de julho.

Mas como achar os planetas? É mais fácil do que você imagina. Vênus, então, é tão brilhante que costuma ser chamado de “estrela Dalva”. Ele aparece como um ponto muito brilhante no céu logo depois que o sol se esconde no horizonte. Pouco tempo depois, acima de Vênus, desponta Júpiter que tem uma cor amarelada.

 

 

Tudo isto poderá ser visto a olho nu, até com a interferência das luzes das grandes cidades. Mas se você estiver fora da poluição luminosa urbana, poderá apreciar o céu com mais nitidez. E se você tiver um binóculo para observação astronômica (que não precisa ser um super equipamento), poderá ver até as quatro grandes luas de Júpiter.

 

 

No dia 30 de junho teremos a impressão que os dois planetas estarão “um ao lado do outro”. No dia 1 de julho, Vênus “passa” Júpiter e fica acima dele.

 

Confira com o professor Marcos Calil as explicações de como observar a “dança” (movimento aparente) entre Vênus e Júpiter. Se não der para começar a ver a “dança” já na noite do dia 26 de junho não tem problema. Tema noite de 27, de 28, 29 de junho.

 

 

Bons céus, como costuma dizer o professor Marcos Calil.

Você encontra muitas outras informações sobre astronomia no Momento Astronômico, o canal de Astronomia da Climatempo.