Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Baixa pressão do Sudeste e excesso de chuva no leste de SC e do PR

11/03/2011 às 11:38
por Josélia Pegorim

Atualizado em 13 de março de 2011 As análises futuras do modelo de previsão numérica do tempo global dos Estados Unidos (GFS) continuam indicando neste domingo, a intensificação de uma área de baixa pressão atmosférica fechada na costa entre o Rio de Janeiro e o Espírito Santo. Uma formação como esta recebe o nome genérico de ciclone. Este sistema é caracterizado pela gradual queda da pressão atmosférica e um aumento da velocidade dos ventos, que gradualmente formam uma circulação fechada, circular, no sentido horário, em torno do centro da baixa pressão. Na análise deste domingo, 13 de março, o prognóstico aponta para um valor mínimo de pressão atmosférica de 1004 hPa, na noite da segunda-feira (14), na  costa do Espírito Santo. O centro de baixa pressão tende a deslocar-se cada vez mais para alto-mar  e principalmente durante a terça-feira, afastando-se da costa brasileira. A animação das imagens de satélite ainda não evidenciam a presença desse sistema circular rodando sobre a região. Por enquanto, são apenas nuvens muito carregadas que também se espalham sobre o sul da Bahia e o nordeste de Minas Gerais. Em Nova Venécia, no norte capixaba, foram acumulados 148mm de chuva entre 13h da manhã de ontem (sábado) até às 07:00 da manhã deste domingo.

Por que é uma situação de preocupação? Tecnicamente, uma acentuada queda da pressão do ar, onde já existe um ar muito úmido e aquecido, facilita a formação de nuvens carregadas que podem provocar grande quantidade de chuva. Ocorre também uma aceleração dos ventos, em direção ao local onde a pressão do ar está mais baixa. Regiões onde a pressão do ar está muito baixa podem gerar tempestades, se tivermos também muita umidade no ar. Um valor de pressão atmosférica de 1004 hPa já é relativamente baixo e sempre chama a atenção dos meteorologistas.  Isto ocorre em muitos locais do planeta. Ciclones extratropicais, furacões, tufões, ciclones tropicais são áreas onde a baixa pressão atmosférica fica muito baixa, em geral menor do que 1000 hPa. De forma geral, baixa pressão atmosférica, calor e muita umidade geram muitas nuvens e chuva. Quando a pressão atmosférica aumenta, temos menos nuvens e,portanto, menor chance de chuva. Leste do Paraná e Santa Catarina Pouca gente está falando sobre isso , mas a entrada da circulação marítima de leste sobre o leste catarinense e paranaense, associada também à presença de instabilidade nos níveis médios e altos da atmosfera, provocaram e vão continuar provocando chuva volumosa no litoral  e na região da Serra do Mar no Paraná, no Vale do Itajaí (SC) e no litoral catarinense.  Esse também é um grande (ou até mesmo maior) motivo de preocupação. A ligação entre a Grande Curitiba e o Porto de Paranaguá está bloqueada em vários pontos devido aos problemas ocasionados pelo excesso de chuva. Em Morretes choveu entre sexta-feira e sábado quase 300 milímetros. Oficialmente, uma pessoa morreu. No Vale do Itajaí e no litoral de Santa Catarina a situação não é diferente. Em Florianópolis choveu mais de 100 milímetros entre o meio dia de ontem e às 07:00 da manhã deste domingo. E a chuva não vai parar hoje!