Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Atlântico Norte enfurecido

15/09/2010 às 16:21
por Josélia Pegorim

A temporada de furacões no Oceano Atlântico Norte ficou bastante agitada em setembro. Nesta quarta-feira, dois furacões e uma tempestade tropical deixavam muitas áreas em alerta.

Furacão Igor O furacão Igor enfraqueceu, mas ainda é considerado um grande e perigoso sistema. Na análise meteorológica divulgada no início da tarde pelo Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC, em inglês), Igor é um furacão de categoria 4, na escala Saffir-Simpson, que tem grau máximo de 5.  O meio-dia, hora de Brasília,   centro do sistema estava a 870 km das ilhas Sotavento do Norte e a 1700 km de Bermuda. Os ventos constantes de Igor eram estimados  em 215 km/h, com rajadas mais fortes. A ventania gerada por Igor está deixando o mar muito agitado. Toda a região das ilhas Sotavento, Porto Rico, das ilhas Virgens e das Bahamas já estão sob alerta, por conta das grandes ondas e ressacas esperadas para os próximos dias. Furacão Julia O furacão Julia se intensificou no Atlântico Norte e no início da manhã de hoje era avaliado como um sistema de categoria 4, na escala Saffir-Simpson, que tem máximo de 5. Ao meio-dia, pelo horário de Brasília, a análise do Centro Nacional de Furacões (NHC, em inglês) dos Estados Unidos avaliava que o furacão Julia tinha ventos constantes de 215 km/h, mas com rajadas maiores. O centro do sistema estava a 955 km das ilhas de Cabo Verde, na costa noroeste a África. Julia ainda não afetava nenhum lugar povoado, mas estava mais veloz movimentando-se para noroeste com 25 km/h. A previsão é de que este furacão tenha algum nesta quinta-feira. Tempestade tropical Karl A tempestade tropical Karl está no Golfo do México, mas enfraquecendo. Na análise do NHC de 15 horas, pelo horário de Brasília, o centro desta tempestade estava a 55 km/h a noroeste de Chetumal, no México, provocando ventos constantes em torno de 90 km/h.  A tempestade tropical Karl provoca chuvas torrenciais e deve passar sobre a península de Yucatã. Há um risco de fortalecimento quando o sistema alcançar a Bahia de Campeche.