Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

BH: 2014 pode ficar entre os cinco mais secos da história

22/09/2014 às 21:07
por Josélia Pegorim

n style="font-size: 13px;">Mais uma frente fria passou sobre o Sudeste do Brasil neste último fim de semana provocando pouquíssima chuva sobre a Grande Belo Horizonte. Na estação meteorológica de Santo Agostinho, no centro da capital mineira, onde o Instituto Nacional de Meteorologia faz medições regulares desde 1910, não houve registro de chuva. Ou se choveu, foi de forma tão leve que não foi possível perceber uma acumulação. Ou ainda: o ar estava tão quente que a gota de chuva caiu da nuvem, mas evaporou antes de pingar sobre o instrumento de medição.       A cada previsão de frente fria renova-se a esperança de um pouco de chuva sobre Belo Horizonte, que está tendo um ano extremamente seco. O mapa mostra a quantidade de chuva acumulada em cada mês comparada com a média histórica. Desde janeiro, apenas abril proporcionou chuva em grande volume. Como em todo o Sudeste, a seca de 2014 em Belo Horizonte  é histórica e poderá ficar entre as cinco mais severas em 104 anos. A revelação é do meteorologista Leandro Gemiacki, do 5º Distrito de Meteorologia do Instituto Nacional de Meteorologia, com sede em Belo Horizonte, em conversa com a meteorologista Josélia Pegorim durante o jornal Climatempo News levado ao ar às 17h de 22 de setembro. O verão de 2013/2014 foi um dos mais secos da história climática de Belo Horizonte. Saiba ainda se o El Niño está relacionado com esta seca.     Chuva de 2014 pode ficar abaixo da média anual No fim de setembro e nos primeiros dias de outubro, uma nova frente fria deve passar sobre o Sudeste com força suficiente para provocar chuva sobre a Grande Belo Horizonte. A chuva deve ficar cada vez mais regular no fim de outubro e em novembro, mesmo assim, Belo Horizonte está com alta chance de terminar 2014 com chuva abaixo da média histórica anual. De janeiro até o dia 22 de setembro choveu exatos 528,5 mm. A soma da média histórica dos meses de setembro, outubro, novembro e dezembro é de 710,6 mm. Somando os dois teremos 1239,1 mm, menor do que a média anual que é de 1466,2 mm. Mesmo que chove a média mensal histórica nos próximos meses, vão faltar 227 mm para igualar a média histórica anual.