Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Brasil fica mais seco e menos frio nos próximos dias

05/08/2010 às 17:06
por Josélia Pegorim

Esta
primeira semana de agosto vai para caderninho de anotações especiais dos meteorologistas. A super onda de frio que entrou no Sul do Brasil provocou vários recordes de temperatura, especialmente dos menores valores durante a tarde. A tarde de quarta-feira, 4 de agosto, foi a mais fria em 2010 em Curitiba, Florianópolis e em São Paulo. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, a temperatura máxima em Curitiba neste dia foi de apenas 6,8ºC. Pela avaliação do SIMEPAR, órgão de monitoramento meteorológico do governo do Paraná, a tarde do dia 4 de agosto foi considerada a mais fria no estado, nos últimos 10 anos. Em Florianópolis, a temperatura máxima no dia 4 de agosto foi de apenas 10,4ºC e em São Paulo, de 14,5ºC, pelas medições do Instituto Nacional de Meteorologia. As nevadas desta semana no Sul do Brasil também vão ficar na memória, pela intensidade e abrangência nos Estados de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul. Mas o inverno no Brasil não significa só frio no centro-sul do país. Uma das maiores preocupações da estação, especialmente durante o mês de agosto, é a persistência de dias muito secos, com níveis de umidade muito baixos e prejudiciais à saúde humana. Tradicionalmente, agosto é o auge da secura e da proliferação dos focos de fogo pelos campos que já estão muitos secos, por conta da falta de chuva há dois meses ou mais. Com a vegetação ressecada, o fogo se espalha rapidamente e muitas vezes fica incontrolável. Incêndios em áreas de proteção ambiental já foram registrados no último mês em Minas Gerais, Goiás e no Tocantins. Desde o começo do outono, níveis de umidade em torno dos 20% e menores, já foram observados em muitas áreas do Sudeste, Centro-Oeste, Norte e Nordeste do Brasil. Isto é comum e ocorre quase todos os anos, mas não deixa de ser preocupante. O ar muito seco é uma das causas do aumento dos problemas respiratórios no outono/inverno. Nos próximos dias, o Brasil vai ficar mais seco e também vai esquentar, com o afastamento da forte massa polar que congelou o Sul do País. As poucas pancadas de chuva que ocorrerem serão nas áreas litorâneas e no extremo norte do Brasil, nos Estados de Roraima, Amapá, no norte do Pará e do Amazonas. Pelo interior do país, sol, seca e temperatura em elevação. O risco de incêndio nas matas vai permanecer alto. A pior situação em relação aos baixos níveis de umidade relativa do ar deve ser observada na Região Centro-Oeste, onde muitas áreas poderão viver até horas de emergência, com índices de umidade em torno dos 12%.