Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Calor e incêndios na Rússia

10/08/2010 às 18:23
por Josélia Pegorim

ong>Calor prejudica safras na Rússia O calor na parte européia da Rússia continua prejudicando a produção de grãos da primavera e já ameaça a produção da safra de inverno. Esta é a previsão do governo russo, se a temperatura não baixar e a umidade do ar não aumentar em até 10 dias. Para Dmitry Kiktyov, diretor do Hydrometcentre, uma unidade do serviço meteorológico oficcial da Rússia  "Não há nenhuma mudança drástica na situação. A previsão é de apenas  pequenas mudanças nas temperaturas e algumas chuvas esparsas, insuficientes para aliviar o quadro atual”. Além da produção de grãos e trigo, a seca está afetando a safra de milho e girassol. Nível de monóxido de carbono é alarmante A seca e o calor extremo que predominam há semanas em parte da Rússia ajudaram a expandir os focos de incêndio pelo país.  Uma densa cortina de fumaça se espalha por muitas áreas da Rússia. O teor de monóxido de carbono no ar que a população vem respirando está muito acima dos níveis aceitáveis para a saúde do ser humano. O nível de ozônio também aumentou. A imagem abaixo mostra uma composição do nível de monóxido de carbono sobre a parte oeste da Rússia no período de 1 a 8 de agosto. A medição foi feita pelos sensores Measurements of Pollution in the Troposphere (MOPITT) do satélite Terra, operado pela NASA/EUA, considera a quantidade de monóxido de carbono na camada de ar entre 2 e 8 km acima da superfície terrestre. Os pontos mais vermelhos indicam as mais altas concentrações de monóxido de carbono. Os pontos cinzas indicam áreas onde não foi possível fazer a medição, provavelmente por conta da nebulosidade. O monóxido de carbono é um gás pode permanecer na atmosfera durante semanas, sendo transportado pelo fluxo de ventos para locais distantes do incêndio que o produziu. A grande concentração deste gás na camada de ar perto do solo, que é respirado pelas pessoas, representa um risco para a saúde. O monóxido de carbono se liga às células vermelhas do sangue mais facilmente do que o oxigênio,  o que acarretaa muitos problemas de saúde, como dores de cabeça, náuseas e tonturas de problemas cardiovasculares.