Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Cantareira tem apenas 47% da média de chuva de 2014

20/11/2014 às 14:51
por Josélia Pegorim

Faltando pouco mais de um mês para terminar o ano, a quantidade de chuva que caiu sobre o Sistema Cantareira ainda não chegou aos 50% da média anual. Segundo informações do site da Sabesp, a média de chuva anual é de aproximadamente 1581 mm. Do dia 1 de janeiro até 20 de novembro, o volume de chuva que caiu sobre o Cantareira estava em torno de 754 mm, que correspondem a 47,7% da média anual. O último ano bom de chuva sobre o Cantareira foi o de 2012, quando choveu aproximadamente 1447 mm, apenas 134 mm abaixo da média anual. A redução da chuva em 2013 já foi bastante acentuada. O total acumulado no ano foi de 1088 mm, quase 500 mm abaixo da média. O quadro de seca do Cantareira é gravíssimo e vai continuar assim ainda por vários meses. Para atingir a média histórica anual de 1581 mm é preciso que chova 827 mm, uma quantidade de chuva extremamente elevada e praticamente impossível de ocorrer em 40 dias, até o dia 31 de dezembro de 2014. Só daria para considerar este volume de chuva, em pouco mais de um mês, num cenário de catástrofe meteorológica.     A média de chuva para novembro fica em torno de 164 mm e já choveu 90,2 mm, o que corresponde a 56% da média de chuva para novembro que é de aproximadamente 164 mm. A chuva acumulada em novembro já é maior desde março quando choveu 193 mm. A previsão indica mais chuva até o fim do mês e é possível que acumulado final fique próximo da média. Dezembro deve trazer mais chuva, mas se prevê uma quantidade em torno da média que é 227 mm. Segundo informações do site da Sabesp, em 20 de novembro de 2014, o armazenamento do Sistema Cantareira era de 9,9%, 0,1% abaixo em relação ao dia anterior. O Alto Tietê estava com 6,5% e o Guarapiranga estava com 33,3%. O Alto Tietê baixou 0,2%  ente os dias 19 e  20 de novembro. O Guarapiranga baixou 0,4%.    
 As pancadas de chuva voltam a ocorrer com mais força sobre o Estado de São Paulo nos próximos dias. Além do aumento da umidade e do calor, uma nova frente fria passa pelo litoral paulista no fim de semana e vai ajudar a formar áreas de chuva mais amplas, com maior potencial para provocar chuva generalizada. As áreas de instabilidade desta frente fria devem atuar sobre o todos ou parte dos reservatórios que abastecem a Grande São Paulo pelo menos até meados da semana que vem  

  Entenda porque chove e o nível dos reservatórios continua baixando. A deficiência de água sobre o Cantareira, responsável por mais de 50% do abastecimento para a Grande São Paulo é muito grande. Assim, mesmo chovendo com regularidade e até forte, a diferença no nível do sistema não é notada, por enquanto. Chove e o nível continua baixando.     A chuva que está caindo agora está sendo totalmente absorvida pelo solo seco seco do fundo das represas. A quantidade de chuva não está compensando a perda por evaporação que ocorre naturalmente por causa do calor. É como se o Cantareira fosse um vaso com terra seca, rachada. É preciso por muita água para umeder e mais ainda para encharcar.         Quanto precisa chover para normalizar o Cantareira? Reuso da água traz economia  Participe da Campanha SP: vida sem água