Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Chuva continua sobre o Amazonas, Solimões e Negro

03/05/2012 às 14:03
por Josélia Pegorim

A ch
eia dos rios Amazonas, Solimões e Negro, e de seus principais afluentes, deixam muitas áreas alagadas e milhares de desabrigados. No Amazonas, a região de Manaus é uma das que está em situação de emergência.  Nesta quinta-feira, áreas de instabilidade atuaram com mais força sobre a porção norte do Amazonas provocando muitas pancadas de chuva na região do Solimões e do Negro. Por volta das 13 horas, pelo horário de Brasília, chovia forte sobre Manaus e ocorreram rajadas de vento intensas, com até 62 km/h. Entre 9 horas de quarta e 9 horas desta quinta-feira, pelo horário de Brasília, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou volumes de chuva de 25 a 40 mm em vários locais ao longo dos rios Solimões, Negro e Amazonas. Tecnicamente, estes volumes não são muito elevados, comparado ao que já se observa na época de chuvas na Região Norte. Mas é mais chuva sobre áreas já alagadas. As áreas de instabilidade tropicais se intensificaram também sobre Roraima e desde o feriado de primeiro de maio, as nuvens ficaram mais carregadas e provocam chuvas freqüentes, por todo o Estado. Em Boa Vista, capital de Roraima, esta quinta-feira foi marcada pelo tempo instável, com muita chuva, várias trovoadas e raios. O Instituto Nacional de Meteorologia registrou em torno de 24 milímetros de chuva acumulados, entre 9 horas de quarta e 9 horas desta quinta-feira, pelo horário de Brasília. Pelo menos até o domingo, as condições meteorológicas ainda estarão favoráveis a ocorrência de chuvas frequentes no norte do Amazonas, norte do Pará e em Rondônia. Pode chover com moderada a forte intensidade em vários momentos, inclusive nas capitais. O número de desabrigados é de mais de 16 mil só em Manaus e além disso e dos prejuízos, outro problema causado pelas cheias e pelo excesso de chuva é o aumento de acidentes relacionados a animais peçonhentos como aranhas, cobras e escorpião. Houve um aumento de 43% dos casos de picadas em relação a mesma época no ano passado. O rio Negro está a 44 cm de alcançar o nível recorde de 29,77 metros que atingiu em 2009.