Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Chuva forte no litoral do Nordeste

20/01/2011 às 12:38
por Josélia Pegorim

O te
mpo ficou muito instável de ontem para hoje em quase todas as áreas litorâneas do Nordeste. Nuvens carregadas se espalharam por quase toda a costa nordestina provocando muita chuva. Em João Pessoa, capital da Paraíba, choveu aproximadamente 89 milímetros de chuva entre 10 horas de ontem e 10 horas de hoje, pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia - Inmet. Essa quantidade de chuva foi muito elevada esta época, pois a média de chuva normal de janeiro é de 81 milímetros. Ou seja: em 24 horas, João Pessoa recebeu mais chuva do que normalmente deveria ocorrer ao longo de todo o mês de janeiro. Em Fortaleza chove muito há dois dias. Só no período entre 10 horas de quarta-feira e 10 horas desta quinta-feira foram acumulados 87,4 milímetros, de acordo com a medição do Inmet. Da madrugada do dia 18 até o começo da manhã do dia 20 de janeiro, capital do Ceará recebeu 137 milímetros de chuva, mais do que a média para todo o mês que é de 130 milímetros. A quantidade de chuva que já caiu em Fortaleza neste mês de janeiro está muito acima do normal. Conforme o Inmet, do dia primeiro até 10 horas do dia 20 de janeiro já choveu quase 405 milímetros, 213% acima da média normal para janeiro. A chuva aumentou também no litoral do Maranhão. Entre 10 horas de quarta e 10 horas desta quinta-feira, dia 20 de janeiro, o Instituto Nacional de Meteorologia mediu 105 milímetros de chuva no local onde está o Farol Preguiças. Em Turiaçu, localidade no litoral do Maranhão próxima do Pará, choveu 83 milímetros neste período. A média normal de chuva para janeiro em Turiaçu é de 201 milímetros. Na capital, São Luís, o tempo também ficou mais instável nesta quinta-feira, mas até o início da tarde não havia um grande acumulado. No litoral entre Pernambuco e a Bahia, as pancadas de chuva também ficaram frequentes nesta quinta-feira. Em Aracaju, capital de Sergipe, choveu forte no fim da manhã. Estas nuvens carregadas que se espalharam pela costa do Nordeste estão associadas com uma circulação especial de ventos que vem sendo observada nos últimos dias. Tecnicamente, um vórtice ciclônico de alto níveis, um VCAN, se desloca sobre o Nordeste. Neste sistema, os ventos numa altura de 10 km, acima da superfície, giram no sentido horário e formam uma circulação circular fechada.  O centro do VCAN está numa região próxima do norte da Bahia e do sertão de Pernambuco. O centro do VCAN é uma região de pouca nebulosidade e baixa probabilidade de chuva. As nuvens pesadas crescem na parte externa desta circulação. Até o domingo, o VCAN deve continuar atuando sobre o Nordeste, facilitando a ocorrência de chuva em grande parte da Região, incluindo as áreas secas do sertão.  As pancadas de chuva serão frequentes e podem ser fortes em muitas áreas do litoral e do interior de todos os Estados do Nordeste.