Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Temporais continuam no Sul

29/09/2014 às 05:48
por Paulo

Atualizado às 09h05 de 29/09   Nas imagens do satélite meteorológico as áreas em amarelo no início da animação indicam nuvens com um grande desenvolvimento vertical e que provocam temporais. As áreas em vermelho também indicam a formação de nuvens bastante carregadas.

Os volumes de chuva se elevaram bastante em algumas cidades na Região Sul. Na tabela abaixo veja os volumes de chuva acumulados entre as 9h do dia 28/09 até as 9h do dia 29/09, segundo o INMET.

O norte do Rio Grande do Sul, Estados de Santa Catarina e do Paraná, foram as áreas mais atingidas pelos temporais.

Vem mais chuva!

E a chuva não para por aí! Novas áreas de instabilidade vão se desenvolver até a quarta-feira devido a ação de dois sistemas. Uma baixa pressão sobre o Paraguai que consegue organizar nuvens carregadas e os ventos úmidos úmidos provenientes do mar que reforçam as áreas de chuva. As áreas e intensidade da chuva só devem diminuir a partir da quinta-feira.

Com a persistência da chuva, há o risco de alagamentos e deslizamentos de terra sobre as cidades atingidas pelos temporais.

Chuva forte está associada com ventos em altitude

Forte instabilidade no norte do Rio Grande do Sul produziu precipitação impressionante de 40,8mm em uma hora na cidade de Frederico Westphalen durante a madrugada, segundo registros da estação automática do INMET. O acumulado desde o início da chuva deve superar 100mm. Muitas localidades na região registram chuva superior a 70mm em menos de 24 horas. O aumento da instabilidade está associada à configuração dos ventos em altitude em que vento forte de oeste, em níveis médios da atmosfera, se sobrepõe ao vento forte de quadrante norte em baixos níveis. O efeito resultante é o aquecimento da camada que produz condições favoráveis à formação de nuvens desenvolvidas. A primeira figura indica o vento de quadrante norte a cerca de 1500m de altitude, trazendo calor e umidade do norte.   A segunda figura mostra o vento de oeste em níveis médios (cerca de 5800m de altitude) que se intensifica sobre o norte gaúcho. Os modelos numéricos de previsão, ao simularem estas correntes, conseguem prever a intensidade e o volume da chuva. O sistema caminha para estado do Paraná ainda na manhã desta segunda-feira, e deverá deslocar rapidamente para estados do Sudeste no decorrer do dia.