Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Chuva não dá trégua em Salvador

04/07/2010 às 09:04
por Fabiana Weykamp

pelo menos seis dias a chuva está constante em Salvador. Ela não cai na forma de temporal, com raios e ventania, mas tem moderada a forte intensidade em alguns momentos e, devido a sua persistência, já foram acumulados nestes primeiros dias de julho grandes volumes na cidade. A chuva mais impressionante aconteceu de sexta-feira (02 de julho) para sábado (03 de julho), onde na estação de Ondina, que pertence ao Instituto Nacional de Meteorologia,  foram acumulados 90,8 milímetros. O total acumulado das 09 horas do dia 01 de julho até 09 horas do dia 03 de julho já somam 159,8 milímetros, ou seja, em apenas três dias já choveu 78% do que é normal neste mês que é de 203,6 milímetros. Segundo matéria do JORNAL A TARDE da Bahia a chuva já causou deslizamento de terra em uma curva da Avenida Aliomar Baleeiro que atingiu algumas casas localizadas abaixo da encosta, mas não causou feridos. A situação é muito preocupante e a Climatempo mantém o alerta para Salvador nestes próximos dias. A capital baiana já amanheceu com chuva neste domingo e a semana vai continuar com tempo muito instável. Pelo menos até a próxima sexta-feira as pancadas de chuva seguem frequentes, podendo ser fortes em alguns momentos. A população deve ficar atenta às recomendações da Defesa Civil.
03/07/2010 às 21:28
| ATUALIZADA EM: 03/07/2010 às 22:41 | COMENTÁRIO (0)

Chuva de dois dias já é 65% do previsto para julho

Aguirre Peixoto | A TARDE
Thiago Teixeira | A TARDE
Casa  soterrada cheia de barro na porta em Nova Brasília, perto da Estrada  Velha do Aeroporto
Casa soterrada cheia de barro na porta em Nova Brasília, perto da Estrada Velha do Aeroporto
>> Mande relatos, fotos e vídeos de problemas com a chuva em Salvador A forte chuva que cai durante o feriadão em Salvador deixa os soteropolitanos preocupados. Só nos dois primeiros dias de julho, a Defesa Civil já contabilizou 120 mm de chuva, 65% da quantidade prevista para todo o mês (184,9 mm). Na Estrada Velha do Aeroporto, o deslizamento de terra em uma curva da Avenida Aliomar Baleeiro atingiu algumas casas localizadas abaixo da encosta, mas não causou feridos. O clima no local, entretanto, é de medo. "As casas alagaram de madrugada e ninguém conseguiu mais dormir. Estamos com medo do que pode acontecer nessa noite. Está chovendo sem parar", disse Márcia dos Santos, 32 anos, moradora de uma das casas afetadas pelo deslizamento de terra. O local preocupa ainda mais porque está situado em um ponto de grande fluxo de veículos, o que intensifica o risco de abalos na estrutura (o chão treme quando passam ônibus ou caminhões). Uma ponte de um metro de comprimento e somente 30 cm de largura é a única via de passagem para os moradores saírem de suas casas e chegarem à via principal da Estrada Velha do Aeroporto, mas também está com os alicerces comprometidos após o deslizamento e corre o risco de ceder a qualquer momento. "Minha irmã está grávida de três meses e abandonou a casa porque está arriscado desabar a terra por cima", contou Efigênia dos Anjos, 38, que está abrigando a irmã temporariamente em sua casa, que também está em área de risco.