Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Ciclone extratropical provoca ventania no Sul do Brasil

02/08/2011 às 15:11
por Josélia Pegorim

Um c
iclone extratropical que ainda está perto do litoral do Rio Grande do Sul e do Uruguai provoca fortes rajadas de vento no Sul do Brasil. Às 13 horas, estações de medição automática de vários parâmetros meteorológicos, operadas pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), registraram 104 km/h em Urubici (SC), 99 km/h em São José dos Ausentes (RS), 83 km/h em Canela (RS). Em Tramandaí, no litoral norte gaúcho, as rajada chegavam aos 78 km/h e no Chuí, no litoral sul gaúcho, aos 76 km/h. Em Vacaria (RS) e em Major Vieira (SC), as rajadas às 13 horas desta terça-feira chegaram aos 75 km/h. Em Florianópolis, os ventos eram de 68 km/h. Por volta das 2 horas da tarde, uma rajada chegou aos 87 km/h em Bento Gonçalves, na serra do Rio de Grande do Sul. No Paraná, até 14 horas, as rajadas mais intensas associadas a este ciclone chegaram aos 61 em Morretes, no litoral paranaense. Mas pelo interior do Estado, as rajadas chegaram aos 59 km/h em General Carneiro, 57 km/h em Clevelândia, e entre 50 r 52 km/h na região de Joaquim Távora, Inácio Martins e também de Curitiba. Até as 14 horas, as rajadas mais intensas associadas a presença deste ciclone extratropical ocorreram em Urubici, no alto da serra catarinense. O Inmet registrou rajadas de 107 km/h, às 5 horas da madrugada e outra de 106 km/h, às 6 horas. Na cidade de São Paulo, uma rajada de vento chegou aos 66 km/h, no Mirante de Santana, na zona norte, de acordo com o Inmet. Itapeva, no sul do Estado de São Paulo, registrou rajada de 50 km/h e Votuporanga, no noroeste do Estado, de 52 km/h. Estas rajadas também podem ser atribuídas ao ciclone extratropical que está no extremo sul do Brasil. O ciclone extratropical segue para o mar nesta quarta-feira, mas ainda está próximo do litoral do Rio Grande do Sul e do Uruguai. Assim, fortes rajadas de vento ainda vão ocorrer no Sul do Brasil, mas principalmente na parte leste da Região, mais próxima ao mar. Com o movimento deste ciclone, o vento fica forte também no litoral da Região Sudeste. As rajadas mais intensas poderão se aproximar dos 70 km/h. O mar fica agitado em toda a costa sul e sudeste do Brasil. A navegação deve ser evitada.