Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Com ASAS, sem ZCAS

06/01/2015 às 21:41
por Josélia Pegorim

n style="font-size: 13px;">A Alta Subtropical do Atlântico Sul (ASAS) é um dos grandes sistemas de alta pressão atmosféricos permanentes da circulação geral da atmosfera terrestre. Sua intensidade e posição interferem nas condições do tempo e o clima do Brasil. Todo sistema de alta pressão causa o que os meteorologistas chamam de subsidência do ar, um fluxo de ar de cima para baixo. O movimento subsidente faz com que o ar seco e frio dos níveis mais elevados da atmosfera seja transportado para as regiões próximas da superfície. Em outras palavras: a subsidência seca o ar próximo da superfície. A redução da umidade diminui naturalmente a quantidade e o tamanho das nuvens e também a possibilidade de chuva. Estamos no alto verão, quando o Brasil e todo o Hemisfério Sul recebe sua mais dose de sol. O aquecimento é o mais intenso do ano. Com a redução da nebulosidade e da chuva, o número de horas de sol forte aumenta e então, o ar também fica mais quente.     O centro da ASAS próximo da costa do Sudeste ou sobre o Brasil é uma condição de bloqueio atmosférico e alterando o caminho que as frentes frias e o ar polar fazem normalmente.     A forte atuação da ASAS sobre o Brasil nessa época do ano também inibe a formação da ZCAS – Zona de Convergência do Atlântico Sul – sistema meteorológico especial, típico do verão, que traz chuva prolongada e volumosa.     E a ZCAS? Temporais de verão causam transtornos nas cidades e podem descarregar grandes volumes de água. Mas só enchem represas e rios se a chuvarada cair todos os dias sobre eles. Mas não é assim que a atmosfera funciona. Temporal cai cada dia em um lugar diferente. Temporal de verão não enche represa, ZCAS sim. Mas com a ASAS ganhando força sobre o Brasil, vai ser difícil ter ZCAS. A meteorologista Josélia Pegorim explica a situação atmosférica esperada para os próximos dias e consequências da intensificação da ASAS.