Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Começou a temporada dos dias sem chuva

10/04/2010 às 09:56
por Josélia Pegorim

Temp
orais,  ventania, ressacas, frio. O tempo ficou maluco esta semana? Não. Tudo isto foi causado por uma única frente fria, mas muito especial. Foi esta frente fria que provocou temporais nos Estados da Região Sudeste, incluindo o Rio de Janeiro, e que desde quinta-feira provoca chuvas torrencias também no Nordeste, que causaram muitos estragos em Salvador e outras localidades nordestinas. Foi a grande massa de ar polar que veio junto com esta frente fria que derrubou a temperatura em todos os Estados do Sul, do Sudeste, do Centro-Oeste e conseguiu chegar a Rondônia, ao Acre e ao sul do Amazonas, ocasionando a primeira friagem deste ano. O fenômeno da friagem é justamente a passagem do ar polar sobre o Norte do Brasil. Esta massa polar "inaugurou" efetivamente o outono, embora a estação tenha começado oficialmente no dia 20 de março. Nos últimos dias, foram estabelecidos novos recordes de frio para 2010 em todas as áreas do Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Todas as capitais destas Regiões tiveram as madrugadas mais frias do ano, até agora. O frio foi recorde também no Acre e em Rondônia. Os ventos fortes gerados pela entrada desta grande massa polar e o ciclone extratropical que organizou na costa do Sudeste provocaram ressacas  intensas observadas no litoral do Rio de Janeiro e de São Paulo. Por tudo isto, esta frente fria foi muito especial. Este sistema veio com características típicas de outono-inverno,  mas foi apenas o primeiro deste ano. Até o início da primavera, outras grandes frentes frias como esta vão avançar sobre o Brasil, trazendo ondas de frio ainda mais fortes e outros ciclones extratropicais, que são típicos do outono-inverno. Isto não quer dizer que teremos a repetição das catástrofes no Rio de Janeiro.  A passagem desta grande frente fria mudou muito o padrão de temperatura e de umidade que vinha predominando sobre o Brasil. Além do frio, houve uma forte redução dos níveis de umidade na atmosfera. A queda da umidade e da temperatura dificulta a formação das grandes áreas de chuva que ainda se formavam sobre o centro-sul do país nas duas primeiras semanas do outono.  Outro fator que reduz o risco de tempestades no centro-sul do Brasil é o enfraquecimento do El Niño. Podemos dizer que chegamos ao fim da temporada de tempestades na maioria das áreas do centro-sul do país. A partir de agora, com esta forte redução de umidade, a ocorrência de chuvas volumosas e frequentes vai ficar cada vez mais difícil. A maioria das áreas do Centro-Oeste e do Sudeste vão passar vários dias seguidos sem chuva, com muito sol e céu azul. Mas aí surge outro problema: o ar fica seco demais e os baixos índices de umidade geram desconforto nas pessoas. O tempo mais seco volta a predominar também na Região Sul. A maioria das áreas do Norte e do Nordeste ainda terão chuvas abundantes no decorrer do mês de abril, o que é comum nestas Regiões.