Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Copa América: frio congelante, cinzas vulcânicas e ar muito seco na Argentina

01/07/2011 às 13:58
por Josélia Pegorim

ong>Copa América: frio congelante, cinzas vulcânicas e ar muito seco na Argentina A Argentina é a sede da Copa América 2011. O evento começa nesta sexta-feira, 1 de julho, reunindo seleções de futebol da América do Sul e convidados de outros continentes. Os jogos acontecem em várias cidades do centro-norte e leste da Argentina, incluindo a capital, Buenos Aires. Para vencer os jogos, os times terão que driblar a bola e as condições meteorológicas adversas. O problema não será a chuva, nem raios, mas um frio extremo, cinzas vulcânicas e um ar muito seco. As cinzas vulcânicas complicam o tráfego aéreo em território argentino, mas o frio extremo e o ar muito seco pesam negativamente no desempenho dos jogadores. O tempo poderá ser um furioso adversário especialmente para a seleção brasileira, pouco acostuma a temperaturas abaixo de zero e índices de umidade do ar abaixo dos 20%. Cinzas vulcânicas se espalham sobre Argentina As cinzas do vulcão chileno Puyehue continuam se espalhando sobre áreas da Argentina. Às 11 horas da manhã desta sexta-feira, as cinzas eram detectadas sobre a região do Aeroparque de Buenos Aires, capital portenha, mas em suspensão. A temperatura no local era de 8ºC. Bariloche também registrava a presença das cinzas vulcânicas de forma mais densa, que se depositavam sobre áreas da cidade. Nos últimos 15 dias, as observações meteorológicas dos aeroportos de Buenos Aires registraram a presença das cinzas vulcânicas nos dias 24, 25 e 29 de junho, mas não da forma persistente como se observou na semana seguinte da erupção do Puyehue. A direção de deslocamento da pluma de cinzas vulcânicas é determinada pela direção e velocidade dos ventos entre 7 e 10 km de altura. Nos últimos dias, frentes frias passaram sobre o sul da América de Sul provocando chuva e queda de neve no sul do Chile e da Argentina. A chuva diminui e até para o espalhamento das cinzas, mas ela volta depois. As cinzas do Puyehue ainda devem se espalhar sobre a Argentina nos próximos dias e não há como descartar o risco de problemas no tráfego aéreo dentro do território argentino, por conta da presença das cinzas vulcânicas. Frio extremo nos próximos dias Uma fortíssima onda de frio polar está avançando sobre a Argentina e vai congelar grande parte do país nos próximos dias. Pelo menos no começo da Copa América, o frio extremo será um complicador para as equipes e todo o público do evento. O centro desta nova massa polar, que é a região de frio mais intenso, deve alcançar o centro-norte da Argentina na madrugada e manhã do próximo domingo. As condições meteorológicas são favoráveis a um frio extremo na Argentina, com temperaturas muito baixas e negativas na madrugada de no começo da manhã do domingo. Nesta situação há condições para geada forte e generalizada no centro-norte do território argentino. Esta parte mais gelada da nova massa polar vai passar sobre todas as áreas que serão sedes dos jogos da Copa América. Já está fazendo muito frio nesta sexta-feira e vai esfriar muito mais no fim de semana. A noite deste sábado será gélida. Os aeroportos de Buenos Aires, Salta, Jujuy (pronuncia-se “rurui”, com som de “r” para a letra “j”), Cordoba, Salta, Mendoza, por exemplo, registraram frio de 3ºC a 6ºC no começo da manhã desta sexta-feira. Por volta do meio-dia, os termômetros mal chegavam aos 10ºC. Com a passagem da forte massa polar sobre o centro-norte e leste da Argentina, temperaturas abaixo de zero devem ser registradas pelo menos até terça ou quarta-feira da semana que vem. Secura do ar: níveis de umidade podem chegar a emergência Outro problema, especialmente para os jogadores que terão que treinar e jogar, correndo em campo, será o ar extremamente seco. Os níveis de umidade do ar ficam baixos por vários dias, após a passagem de massas polares sobre uma região. No caso atual da Argentina, a semana está terminando muito seca no centro-norte do país e deve secar ainda mais, após a passagem da forte massa polar. Os índices de umidade do ar podem atingir valores de emergência, como aconteceu nos últimos dias em Córdoba e Jujuy. Na tarde da última quarta-feira, 29 de junho, a umidade relativa do ar em áreas de Córdoba chegou aos 11%, valor considerado de emergência nos padrões estabelecidos pela Organização Mundial da Saúde. Ontem, os índices de umidade registrados no aeroporto de Córdoba ficaram entre 14% a 20% na maior parte do dia, caracterizando um estado de alerta. Na região de Jujuy, a umidade do ar também baixou para 11% na tarde de ontem. Segundo a OMS, níveis de umidade abaixo dos 12% determinam uma situação de emergência para o ar seco. Valores entre 12% e 20% determinam alerta, de 21% a 30%, estado de atenção e entre 31% e 40%, situação de observação. Todas estas faixas de baixos índices de umidade do ar são prejudicais à saúde humana. Para quase todas as localidades onde os jogos vão acontecer, não há expectativa de chuvas pelo menos até a sexta-feira que vem, 8 de julho. Até lá, a região de La Plata e de Buenos Aires ter alguma chuva entre os dias 6 e 7 de julho. Mas por enquanto, a previsão é de que a chuva seja rápida.