Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Energia: situação é crítica apesar da chuva

21/02/2015 às 19:51
por Josélia Pegorim

O m
s ainda não acabou e a chuva de fevereiro já supera a média em muitas áreas do Sudeste e do Centro-Oeste. Regiões importantes e estratégicas para a geração de energia hidrelétrica, como a região dos rios Grande e Paranaíba, entre o sul de Goiás, o Triângulo Mineiro e o norte de São Paulo, e também o Sul de Minas Gerais receberam mais chuva do que o normal para o mês.     As precipitações acima da média refletiram positivamente na geração de energia, mas a situação ainda é muito crítica.  A luz no fim do verão continua fraca. Falta um mês para terminar a estação mais chuvosa do ano  e as previsões para março não são muito animadoras. Observe as tabelas abaixo e confira a análise do meteorologista da Climatempo Alexandre Nascimento, especialista em previsão climática e consultor para o setor de energia. “A chuva aumentou sobre o subsistema SE/CO e a vazão (afluência) também subiu bastante em relação ao final de janeiro (e em também relação a fevereiro do ano passado), mas ainda está bem abaixo do normal (MLT). Já o armazenado está muito baixo (menor do que o observado no ano do apagão). Ponto de partida muito pior do que em 2014 deve dificultar a recuperação dos reservatórios, mesmo com expectativa de um DEZ/JAN/FEV/MAR um pouco melhor do que o quadrimestre anterior. Não teremos recuperação satisfatória dos reservatórios do Sudeste.     O Sul está sem problemas e continua exportando bastante energia e “salvando” o Sudeste do país. A situação confortável dos reservatórios do Sul está diretamente relacionada com a chuva volumosa e muito acima da média em dezembro de 2014 e em janeiro de 2015. O Norte preocupa. Está muito abaixo do normal em relação à vazão e ao armazenamento. A chuva está bem abaixo do normal e há uma grande possibilidade de neste ano o reservatório de Tucuruí não verter (ou sangrar) como acontece todos os anos. O Norte exporta energia e ajuda o Nordeste, mas com a situação atual, pode não conseguir manter este “socorro” durante o período seco. O Nordeste continua péssimo e não deve mudar muita coisa nos próximos meses.”     A maior parte da energia consumida no Brasil é gerada pela água nas hidroelétricas construídas nos grandes rios que cortam o país.  A maior parte da chuva do ano no Brasil cai durante os meses de verão. A chuva dos meses de verão é mais volumosa na maior parte do país e por isto é tão importante que volume de chuva desta estação fique pelo menos dentro da normalidade.  
Araguari (MG) por do sol em 24-1-2015 por Thiago Santos Silva Ferreira
  Falta de chuva aumenta a procura por energia solar Chuva=água=energia: entenda porque economizar energia é também economizar água Teremos mais apagões?