Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Estiagem ainda castiga o Nordeste

23/12/2012 às 09:33
por Aline Tochio

Nada
de chuva para o sertão do Nordeste por enquanto. Essa é a notícia mais triste que um meteorologista poderia dar a um nordestino hoje. Grande parte da região sertaneja do Nordeste está enfrentando uma das piores secas dos últimos 30 anos. Nas áreas entre Sergipe, noroeste da Bahia e interior do Ceará, não chove há cerca de um ano. O gado está morrendo de fome e de sede, as plantações estão secas, os açudes também estão secando e a população está sofrendo muitos prejuízos. Em Sergipe, até os animais típicos do sertão estão morrendo. E não é só no interior! Até as regiões litorâneas de Sergipe e Alagoas já sofrem com racionamento de água. Segundo informações da Companhia de Saneamento de Alagoas (CASAL), 36 dos 102 municípios do Estado estão em situação de emergência por conta da estiagem, e até Maceió entrou em rodízio no abastecimento de água no final de novembro. A figura abaixo mostra a chuva acumulada desde o dia primeiro de janeiro de 2012 até hoje, segundo informações do CPTEC. É possível ver que praticamente não choveu no interior do Nordeste. O longo período sem chuva acabou secando muito o solo. Toda essa área que está na parte branca da figura acima está com umidade nula no solo. Para que o solo ficasse úmido novamente a ponto de poder plantar, a chuva deveria cair com volumes significativos e com regularidade. Infelizmente não é essa a expectativa para os próximos dias. Durante essa última semana de dezembro, até pode chover um pouco no Ceará e na Paraíba, mas essa chuva ainda é muito isolada e sem volume expressivo. Entre o Ceará e o Pernambuco, deve a chuva deve voltar um pouco ma frequente no começo de janeiro. Mesmo assim, o acumulado previsto ainda é baixo para o que a região necessita (figura abaixo). A previsão climática elaborada pelos meteorologistas da Climatempo indicam um janeiro com chuva ainda abaixo da média para a maior parte da Região. Chuva acima da média, apenas nas regiões do litoral e zona da mata entre Alagoas e Rio Grande do Norte.