Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Junho terminou em seca por quase todo o país

02/07/2010 às 15:02
por Josélia Pegorim

Dias
ensolarados, céu azul, falta de chuva, vegetação seca e problemas de saúde por conta do ar muito seco. Quando o clima se comporta dentro dos padrões normais, tudo isto costuma se observado em grande parte do outono e principalmente no inverno, por quase todo o Brasil. O ano de 2010 começou anomalias climáticas, por conta do fenômeno El Niño que estava no auge durante o verão, o que gerou quantidade de chuva muito acima do normal por quase todo o Sul do país, estados como São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Rondônia. Mas com término do El Niño, o clima no Brasil voltou a ficar próximo dos padrões normais. Assim, a falta de chuva e a secura que impera há mais de um mês no Brasil, tecnicamente não pode ser considerada atípica. Junho é um mês seco por quase todo país, mas este ano em varias áreas onde normalmente chove muito pouco, não choveu nada. Foi o que aconteceu por quase todo o Centro-Oeste e Sudeste do Brasil. Das capitais do Centro-Oeste, apenas Goiânia teve mais chuva do que a média. Mas os números mostram a seca na cidade: choveu 14,5 milímetros para uma média de 9,5 milímetros. Do total acumulado, 14,3 milímetros ocorreram e um único dia. Os dados são do Instituto Nacional de Meteorologia. Na prática, a população de Goiânia e de todo o Estado de Goiás passou o mês todo na seca. A situação em outras áreas do Centro-Oeste foi igual ou pior. A média de chuva para junho em Brasília não chega 9 milímetros redondos. Não choveu em junho. No Sudeste do Brasil, praticamente não choveu durante o mês de junho no Estado de São Paulo. A cidade de São Paulo foi agraciada com aproximadamente 11 milímetros de chuva, mas a média fica em torno de 52 milímetros. Foi o junho mais seco na capital paulista desde 2002. Em Belo Horizonte, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou uma chuviscada que acumulou 0,8 milímetros. Menos de 1 milímetro de chuva, sendo que a média fica em torno de 14 milímetros. No Norte do Brasil, a chuva de junho ficou um pouco acima da média em Manaus e Macapá. Belém e Boa Vista tiveram chuvas dentro do normal. Nas outras capitais, a chuva ficou abaixo da média. Na Região Sul, Curitiba e todo o interior do Paraná, o oeste de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul fecharam junho de 2010 com menos chuva do que o normal. Mas o maior destaque no Sul fica para o excesso de chuva em Porto Alegre. A quantidade de chuva que caiu no mês passado foi uma das maiores, para junho, nos últimos 10 anos. O volume médio normal é de aproximadamente 133 milímetros e choveu quase 205 milímetros, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia. No Nordeste, como é comum em junho, chove muito na costa leste. Historicamente é época de muita chuva em nas áreas litorâneas, zona da mata e agreste da Bahia ao Rio Grande do Norte. As chuvas de junho superaram a média em São Luís, Teresina, Recife, Maceió e Aracaju. Salvador ganha destaque pela falta de chuva. O total registrado pelo Instituto Nacional de Meteorologia ficou 61% abaixo do normal. Em Maceió, a média de chuva normal para junho é de aproximadamente 298 milímetros e choveu quase 672 milímetros, mais do que o dobro do normal. As características climáticas de julho são muito parecidas com as de junho: um mês de seca em quase todo o país. Para aliviar momentamente a secura, uma frente fria deve trazer um pouco de chuva no fim da semana que vem para o Sul e algumas áreas do Sudeste e do Centro-Oeste.