Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Nevoeiro

31/03/2010 às 12:22
por Josélia Pegorim

Nest
a terça-feira, pelo segundo dia consecutivo, o aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre, teve problemas para operar por conta do forte nevoeiro que se formou sobre a região. Às 8 horas, quando o nevoeiro esteve mais forte, a visibilidade horizontal na pista era de apenas 300 metros. Parece muito, mas não para as dimensões de um avião que vem alta velocidade para pousar. A visibilidade melhorou só após as 10 horas de manhã. Na terça-feira a situação foi ainda pior. O nevoeiro se formou já na madrugada. Às 5 horas, o alcance visual na pista era de 300 metros e às 7 horas não passava de 450 metros. No interior do Rio Grande do Sul, o nevoeiro foi forte em Santa Maria onde a visibilidade ficou entre 100 e 300 metros entre 6 e 9 horas. A navegação aérea é um dos principais usuários da meteorologia. Com toda a tecnologia que possui um avião, as condições do tempo podem impedir um avião de pousar ou decolar, e até causar acidentes fatais. A visibilidade para o pouso e decolagens das aeronaves pode ser dificultada ou mesmo abortada por conta de uma chuva forte, de ventos intensos no aeroporto e situações de má visibilidade causadas pelo nevoeiro. Este é um dos fenômenos que mais restringem as operações de pouso e decolagem. Em geral, os aeroportos que recebem grandes aeronaves e que operam vôos internacionais, são capacitados com instrumentos especiais que ajudam o piloto do avião a pousar e a decolar mesmo com restrição de visibilidade. Mas há limites mínimos para cada categoria de instrumentos. No Brasil, os instrumentos mais potentes estão no aeroporto internacional de Guarulhos, na Grande São Paulo, onde as operações aéreas são interrompidas apenas quando a visibilidade horizontal cai para menos de 200 metros. O nevoeiro é um fenômeno de difícil previsão, pois pode se formar em qualquer lugar, a qualquer hora, em qualquer época do ano, desde que as condições atmosféricas permitam. O nevoeiro é a condensação da umidade perto da superfície. Aparentemente é uma nuvem que começa a se formar bem perto do chão. Assim, para que ocorra o fenômeno é preciso que o ar esteja muito úmido. Mas uma das principais condições para que haja a condensação do ar úmido é o resfriamento. Por isso, dias frios, ou a acentuada queda da temperatura que ocorre na madrugada é um fator fundamental para formação do nevoeiro. Em Porto Alegre, a temperatura ao amanhecer desta quarta-feira estava em torno dos 16ºC. No decorrer do outono, com as massas polares chegando mais fortes e maiores ao centro-sul do Brasil, o nevoeiro será um fenômeno cada vez mais freqüente.