Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

O tempo seco afeta a saúde respiratória

01/06/2012 às 15:16
por Redação

Umidificadores de ar são alternativas para amenizar o ar seco; entretanto, deve-se atentar ao correto uso dos aparelhos

Uma série de fatores interfere na qualidade do ar que respiramos, em especial a temperatura, umidade e quantidade de poluentes. O ideal para o sistema respiratório seria uma umidade relativa do ar entre 30% e 60%. Quando estão mais baixas que isso, inúmeros sintomas começam a aparecer, como ressecamento do nariz e garganta, pele mais seca, sangramento nasal, irritação nos olhos, entre outros. “Quando o tempo está seco, não há dispersão dos poluentes atmosféricos que ficam suspensos no ar, já que só a chuva dispersa tais poluidores”, afirma a dra. Valéria Martins, diretora da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia (SPPT). “Além disso, o agrupamento de pessoas em locais fechados aumenta ainda mais a disseminação de infecções respiratórias.” Prevenção Gripe, resfriado, rinite, asma e bronquiolite são as patologias mais comuns em épocas de tempo seco. Entretanto, há simples formas de prevenção, como manter uma boa hidratação; procurar não praticar atividade física nos horários de baixa umidade do ar; manter a casa e o ambiente de trabalho sempre arejados, evitando as aglomerações e também as pessoas infectadas. “Para as pessoas que infelizmente já contraíram o vírus, é indicado que se lave bem as mãos sempre que possível e que se faça o uso de lenços descartáveis, tentando sempre evitar que a doença seja transmitida aos outros.” Outras importantes medidas preventivas envolvem a aplicação de vacina da gripe, especialmente para grupos de risco; tomar cuidado com aparelhos de ar-condicionado, que devem estar sempre com o filtro higienizado; e manter essencialmente uma boa alimentação. Umidade do ar O aparelho respiratório só consegue desempenhar bem sua função em condições de umidade adequadas, por isso a necessidade de hidratação do ar. A falta de umidade pode não só provocar o ressecamento das vias aéreas, como dificulta as trocas gasosas, favorecendo a aspiração de microorganismos indesejáveis como vírus, bactérias e fungos. “Para que a qualidade do ar melhore, é indicado o uso de umidificadores ultrassônicos – recomenda-se a utilização de água destilada, que contém baixa concentração de minerais e ainda conserva o aparelho – de duas a três horas antes de dormir. Alguns modelos são interessantes, pois monitoram a umidade relativa do ar, ligando e desligando automaticamente para manter o nível ajustado.” Segundo a pneumologista, não é aconselhável deixar o aparelho ligado durante a noite inteira, pois o uso excessivo de vaporizadores pode levar a uma umidificação exagerada do ambiente, produzindo mofo em cortinas, tapetes e almofadas, que também ocasionam danos à saúde respiratória. “Além dos aparelhos umidificadores, medidas ecológicas como o plantio de árvores, reciclagem de lixo e a adoção de veículos automotores que poluam menos o meio ambiente devem ser levadas a sério e em consideração tanto por entidades governamentais quanto pela sociedade em geral”, finaliza dra. Valéria.