Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Outubro frio São Paulo

20/10/2010 às 12:25
por Josélia Pegorim

Os p
aulistanos tiveram mais um madrugada muito fria, para os padrões normais de outubro.  Na zona sul da cidade, a temperatura chegou aos 8,9ºC no local de medição da USP, em frente ao Zoológico. Na zona norte também fez frio e o Instituto Nacional de Meteorologia registrou mínima de 11,8ºC. Quem confunde sol com calor, deve ficar espantado ao saber que a temperatura máxima na ensolarada tarde de terça-feira ficou pouco acima dos 22ºC. Só isto? Seria o comentário natural. O que dificultou a elevação do termômetro foi o ar polar que entrou forte de novo sobre São Paulo. Apesar de todo o sol, como o ar sobre a cidade está frio, o aquecimento é mais lento. A quarta-feira amanheceu com muito sol e a cidade de São Paulo continuava ensolarada e com céu azul no começo da tarde, mas mesmo com sol do meio-dia, os termômetros estavam em torno dos 23ºC, nas áreas mais quentes da cidade. O frio que está fazendo neste mês de outubro surpreende até os meteorologistas. Pelas medições do Instituto Nacional de Meteorologia, do dia 1 ao 19 de outubro, a média das temperaturas mínimas registradas no Mirante de Santana, na zona norte, estava em 15ºC, 1,2ºC abaixo do normal. A diferença na temperatura máxima é mais impressionante: a média das máximas neste período era de 23,2ºC, valor que está 2, 7ºC abaixo do normal, que é de 25,9ºC.  Desde o início do mês, a temperatura no Mirante superou dos 26ºC apenas em seis dias. É frio demais para o sol de outubro! As baixas temperaturas são explicadas pela sucessão de massas frias e fortes que passaram pelo centro-sul do Brasil desde o início de outubro. A força acima do normal das massas polares é um efeito do fenômeno climático La Niña que evolui rapidamente nos últimos meses. A La Niña é a situação de resfriamento das águas da porção central-leste do Oceano Pacífico. Os principais centros de estudos climáticos do mundo avaliam que o fenômeno deste ano é de moderada a forte intensidade. A intensificação da La Niña na primavera foi previsto corretamente e o fenômeno deve continuar influencia o clima no Brasil durante todo o verão. Porém, isto não significa que as temperaturas no decorrer da primavera e no verão também serão anormalmente baixas como se observa atualmente.