Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Recorde histórico de calor na Zona Sul de São Paulo

13/10/2014 às 12:14
por Josélia Pegorim

 Atualizado às 15h20 de 13/10/2014

A estação meteorológica do IAG/USP registrou a maior temperatura desde que começaram as medições. A estação meteorológica fica na Água Funda, na Zona Sul da capital paulista em frente ao Zoológico. O registro máximo é de 36,7°C, este é o recorde absoluto de temperatura máxima desde 1933. O recorde anterior era de 36,1°C que foram registrados em 02 de janeiro e 01 de fevereiro de 2014.

São Paulo poderá ter hoje um novo recorde de calor e de secura do ar. Ao meio-dia, a temperatura na região do aeroporto de Congonhas, na zona sul da cidade, era de 34°C e a umidade relativa do ar estava em apenas 15%. Na zona norte, a estação meteorológica  automática do Instituto Nacional de Meteorologia, o nível de umidade do ar chegou aos 15% e a temperatura era de 35,2°C. Também na zona norte, o Campo de Marte registrava 34°C e 20% de umidade no ar. A maior temperatura de 2014 no Mirante este ano, até agora é de 36,4°C em 2 de fevereiro Não há previsão de chuva para esta segunda-feira e os ventos continuam quentes por mais algumas horas. Uma frente fria está próxima do litoral paulista, mas sem força para mudar o tempo na capital. Calor continua Os paulistanos estão convivendo com altas temperaturas desde a quinta-feira da semana passada, quando os termômetros voltaram a disparar para marcas acima dos 30°C. Pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia no Mirante de Santana, na zona norte da cidade de São Paulo, a temperatura máxima na tarde de ontem foi de 34,9°C, o dia mais quente desde 9 de fevereiro quando a temperatura também chegou a este valor. A tarde do domingo foi também a mais seca do ano. O nível às 15 horas  no Mirante foi de 18%. O recorde anterior era de 19% nos dias 10 de outubro e 10 setembro. Durante muitas horas no fim de semana, a população da Grande São Paulo ficou exposta a um ar com nível de umidade muito abaixo do recomendado (60%) pela OMS - Organização Mundial da Saúde. Até o dia 21 de outubro, apesar da passagem de frente frias, o ar polar não chega com força sobre São Paulo. O calor vai continuar.