Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Prós e contras do ar seco e quente

13/08/2009 às 18:58
por Josélia Pegorim

Uma
grande massa de ar quente e seco influencia quase todo o Brasil. A presença deste sistema é comum no país nesta época do ano e sua circulação de ventos bloqueia a passagem das frentes frias por vários dias. O ar polar fica retido na Argentina. Enquanto isto, o Brasil fica cada vez mais quente e seco. Níveis de umidade pouco abaixo de 20% podem ocorrer nos próximos dias em áreas de todas as Regiões do País. Porém, o centro desta massa seca, que é a região mais intensa do sistema, tende a ficar especialmente sobre o Centro-Oeste. Assim, os índices de umidade do ar que já estão baixos na Região, devem ficar ainda menores. Em algumas áreas do Centro-Oeste, a umidade relativa do ar poderá chegar próximo da emergência. De acordo com os padrões da Organização Mundial da Saúde, a situação de emergência ocorre com níveis de umidade do ar abaixo dos 12%. Entre 12% e 20%, o estado é de alerta, entre 21% e 30% a situação é de atenção. Além do cálculo da umidade relativa do ar, que tem máximo  de 100%, as imagens de satélite dão sinais de onde a secura é maior, onde o calor está mais intenso.  Na imagem abaixo, quanto mais escuro for o tom do marron, mais seco e quente está o ar.  Em algumas situações, o tom chega a quase preto, de tão quente que fica o ar.   A imagem corresponde ao horário de 15h15, pelo hora de Brasília. BRquenteseco_13ago2009 Abaixo, alguns valores de alta temperatura e de baixa umidade do ar observados na tarde desta quinta-feira, 13 de agosto. Em Manau, o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet)  registrou 35ºC, às 15 horas, valor igaul ao recorde do ano de 8 de agosto. Em Cuiabá, o Inmet registroiu 37,1ºC, mas o recorde deste ano é de 38ºC. calor_13ago2009 Mais calor no país O aumento da temperatura é outro efeito de uma situação de ar muito seco. Sem a presença do ar polar e com o sol forte, a temperatura naturalmente sobe. Pode até fazer um friozinho à noite e ao amanhecer, pois a falta de nuvens no período noturno acelera o resfriamento do ar. Mas esquenta rápido e a sensação acaba sendo de calor quase o dia todo. Em áreas do Norte e do Nordeste, a temperatura esta semana chegou aos 38ºC. É um valor muito elevado e não ocorre de forma generalizada, mas temperaturas entre 34ºC e 36ºC estão sendo freqüentes regiões e também no Centro-Oeste. Sol e ar seco: bom tempo para a colheita Dias de sol e secos são ótimos para as colheitas e no momento não poderia haver tempo melhor para os cafeicultores e para quem está fazendo o corte da cana-de-açúcar. Choveu tanto em julho em áreas como São Paulo, Paraná, no sul de Minas Gerais e em Mato Grosso do Sul, que os trabalhos nos cafezais e canaviais ficaram dias paralisados. O atraso na colheita da cana se refletiu na moagem e na menor oferta de álcool no mercado. Na construção civil, o sol, o tempo seco e o calor são bons para o período de concretagens, remoção de grandes volumes de terra, para fazer pinturas e telhados. Sol e ar seco são ótimos para lavar e secar a roupa.  Em tempos de gripe suína, um dia de sol e mais quentinho deixa a maioria das pessoas mais animada a fazer atividades ao ar livre. Falta de chuva e aumento da poluição Uma das conseqüências da baixa umidade do ar é a falta de nuvens. A maior prova da secura do ar é um céu azul. As nuvens se formam justamente a partir da condensação da umidade. A beleza de um céu azul é inegável, mas sem nuvens, não há chuva e a falta de chuva por longo período deixa o ar cada vez mais empoeirado. O ar que respiramos fica mais poluído e os problemas respiratórios normalmente se agravam. A pele fica ressaca. Para compensar a secura do ar é preciso beber mais líquidos. Outro efeito negativo dos dias ensolarados é a tendência do aumento da concentração de ozônio no ar. O ozônio existe naturalmente no ar, mas quando a quantidade deste elemento químico aumenta demais, é comum as pessoas sentirem ardência nos olhos. O ozônio se forma a partir de uma reação fotoquímica na atmosfera e o detonador da reação é a alta insolação, isto é, excesso de sol. Em outras palavras: muitos dias com sol forte e céu azul geram o aumento da quantidade de ozônio. O fim de semana está chegando e quase todo o Brasil terá sol forte, calor e tempo seco.