Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Seca e calor em Goiás

15/01/2015 às 14:05
por Josélia Pegorim

n style="font-size: 13px;">A diminuição da chuva neste verão está sendo sentida também sobre a Região Centro-Oeste do Brasil, mas principalmente sobre Goiás e no Distrito Federal. O bloqueio atmosférico que se estabeleceu nesta primeira quinzena de janeiro sobre o Brasil afastou as frentes frias e reduziu a umidade e a chuva sobre o Centro-Oeste. Apesar dos temporais observados em várias áreas de Mato Grosso do Sul e de Mato Grosso, a deficiência de chuva nestes estados também é grande nesta primeira quinzena de janeiro. O Estado de Goiás e o Distrito Federal são os que estão sentindo mais fortemente a redução da chuva. Os mapas que mostram a disponibilidade de água no solo e a estiagem agrícola mostram a seca em Goiás.   A estiagem agrícola é o número de dias em que o acumulado de chuva diária ficou abaixo dos 10 mm. Na maioria das áreas de Goiás, a estiagem agrícola para de 15 dias.   Com a falta da chuva, o nível de água disponível no solo está muito baixo na maior parte de Goiás. Esta é uma situação muito ruim para a agricultura, pois a falta de água no solo prejudica o desenvolvimento das plantações.   Não há expectativa de chuva volumosa para os próximos dias. As pancadas de chuva serão mais frequentes na semana que vem Calor intenso A falta de áreas de instabilidade, com grandes nuvens e chuva, deixam o sol forte por muitas horas. A consequência direta é o aumento do calor que aumenta a perda de água no solo. Faz calor normalmente em janeiro, mas as altas temperaturas estão muitos graus acima da média normal. Em Goiânia, capital de Goiás, o recorde de calor para 2015 foi batido duas vezes esta semana. O Instituto Nacional de Meteorologia registrou 36,2°C na tarde de 14 de janeiro. A chuva continua escassa e o calor pode aumentar nos próximos dias.