Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Semana quente e seca no Sudeste

30/09/2012 às 18:56
por Josélia Pegorim

O ar
polar intenso já foi embora e as temperaturas subiram rapidamente no fim de semana na Região Sudeste. O calor voltou especialmente neste domingo, como vinha sendo previsto há vários dias. Na cidade de São Paulo, os termômetros alcançaram 27ºC, sendo que no sábado não passaram dos 24ºC. No Rio de Janeiro, o aquecimento também foi notável. A temperatura na tarde neste domingo  já se aproximou dos 28ºC, três graus a mais do que no sábado. As capitais Belo Horizonte e Vitória ainda passaram o fim de semana com temperaturas amenas, mas cidades do sul de Minas Gerais, do Triângulo e especialmente do interior de São Paulo tiveram um grande aquecimento no fim de semana. Em São José dos Campos, na parte paulista do vale do Paraíba, o aeroporto local mediu 28ºC na tarde do domingo, mas no sábado a temperatura não passou dos 24ºC. O ar ficou bastante seco. O nível de umidade neste local baixou para 19% da tarde do sábado e para 21% no domingo. Na região de Ribeirão Preto ,os termômetros no domingo marcaram até 33ºC, em Presidente Prudente, o calor chegou aos 32ºC e na região de Campinas, a 28ºC. Mais calor, menos umidade e mais poluição O Sudeste do Brasil volta a viver esta semana os desconfortos do excesso de calor e principalmente da secura do ar. Essa massa quente e quente que ganhou força de novo sobre a Região vai manter as frentes frias afastadas por vários dias. Não há expectativa de chuva para esta semana. Praticamente todas as áreas do Sudeste terão calor de no mínimo 30ºC. Em geral, os termômetros vão passar vários graus desta marca. Mesmo as regiões serranas terão dias quentes. Em São Paulo, a temperatura já deve chegar aos 30ºC nesta segunda-feira. No Rio de Janeiro, o calor de 35ºC já poderá ser sentido no meio da semana. Em Vitória e Belo Horizonte, a temperatura chega nos 30ºC no fim da semana. Com o aumento do calor, os níveis de umidade vão ficar baixos. Nas horas mais secas, muitas áreas  vão registrar índices próximos dos 20%. Pelos padrões da Organização Mundial da Saúde, níveis de umidade entre 21% e 30% representam uma situação de "estado de atenção" para o ar seco. Níveis entre 12% e 20% levam a um "estado de alerta" para a secura do ar. Falta de chuva, mais calor, menos umidade diminui e o vento fraco. Essas condições meteorológicas vão levar a uma piora da qualidade do ar nos centros urbanos. Os problemas respiratórios se agravavam.