Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Sol para esquentar São Paulo: Madrugadas ficam mais geladas e tardes mais quentes até domingo.

07/07/2011 às 17:42
por Josélia Pegorim

ong>Sol para esquentar São Paulo Madrugadas ficam mais geladas e tardes mais quentes até domingo. A capital paulista registrou na tarde desta quinta-feira, 7 de julho, a terceira menor temperatura máxima em 24 horas de 2011. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, o Mirante de Santana teve 15,7ºC de temperatura máxima. O dia amanheceu com frio em torno dos 11ºC. O frio que tem feito em São Paulo desde o fim de junho já passou do suportável para muita gente. Desde o dia 27 de junho, a temperatura mínima ficou acima dos 12ºC apenas nos dias 1, 2 e 3 de julho. Nos outros, o frio foi em geral um pouco abaixo dos 10ºC. O ar polar que está sobre São Paulo é parte da mesma onda de frio intensa que vem congelando o Sul do Brasil há vários dias. Esta massa polar está quase indo embora e os dias gelados já têm data para terminar, pelo menos por enquanto: segunda-feira, 11 de julho. Até lá, São Paulo terá madrugadas muito frias, até com possibilidade de novo recorde de frio. O centro da massa polar, que é a região mais fria do sistema, vai passar pelo litoral paulista no fim de semana e aumenta o resfriamento. As próximas noites devem ser com poucas nuvens e isto vai fazer ajudar a aumentar a queda da temperatura nas madrugadas. Mas o sol também está voltando para São Paulo, para começar a esquentar as tardes. Ele deve reaparecer já  nesta sexta-feira, depois da névoa que de vem manter o céu nublado por várias horas de manhã. No fim de semana, o sol vai predominar em São Paulo, depois do nevoeiro. A sensação de frio durante o fim de semana será menor. O ar mais seco e o sol na maior parte do dia vão proporcionar um estado de maior conforto. O frio polar intenso dará uma trégua de vários dias a partir da segunda-feira, 11 de julho. Nas madrugadas de sexta, sábado e domingo, a temperatura mínima na cidade de São Paulo deve variar de 6ºC a 10ºC. Em um destes dias, há chance de novo recorde de frio. A madrugada do sábado é a mais cotada. A menor temperatura de 2011 no Mirante de Santana, até agora, foi de 6,1ºC em 28 de junho. Neste mesmo dia, a USP registrou 2,4ºC e geada na região do Zoológico. Temperaturas parecidas e sensações de frio diferentes A capital paulista registrou na tarde desta quinta-feira, 7 de julho, a terceira menor temperatura máxima em 24 horas de 2011. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, o Mirante de Santana teve 15,7ºC de temperatura máxima. Os dois menores valores anteriores foram de 15,6ºC, em 4 de julho e 15,8ºC, em 9 de junho. A falta do sol e a forte presença do ar polar sobre a cidade foram responsáveis pelos baixos valores nos três dias. Embora as três temperaturas sejam muito próximas, e na prática não são diferenciadas pelo corpo humano, a sensação de frio que o paulistano sentiu no dia 4 de julho foi bem maior do que hoje. Na segunda-feira passada, a capital paulista está mais úmida e a garoa incomodou ainda mais o paulistano por várias horas. Na maior parte do dia, a temperatura em 4 de julho não superou os 12ºC. A sensação de frio no dia 9 de junho também foi maior do que a de hoje, embora a temperatura máxima deste dia tenha sido apenas dois décimos mais elevada. A explicação para as diferenças na dimensão do frio está na hora em que ocorreu a maior temperatura destes dias. Tanto no dia 4 de julho, segunda-feira passada, como em 9 de junho, a temperatura máxima destes dias foi registrada na noite anterior. Tecnicamente, a temperatura máxima de um determinado dia é o maior valor registrado entre 21 horas do dia anterior e 21 horas do dia em questão. Foi isto que aconteceu nos dias 4 de julho e 9 de junho. A temperatura máxima destes dias ocorreu na noite do dia 3 de julho e na noite de 8 de junho, depois das 21 horas nos dois casos. Normalmente, a temperatura máxima de um dia ocorre entre 14 e 16 horas. Mas algumas vezes acontecem situações como estas chamadas de "máxima invertida".