Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Vento de 90km/h no litoral do RJ. Chuva diminui no Sul.

29/09/2009 às 00:12
por Josélia Pegorim

Ventania na costa do Sul e do Sudeste do Brasil

Semana de alerta para mar agitado e risco de ressaca Ventos muito fortes foram observados na tarde e noite desta segunda-feira na costa sul e sudeste do Brasil. As intensas rajadas foram provocadas por nuvens muito carregadas que se formaram por conta do impacto da chegada de uma frente fria e do calor na Região Sudeste, e também por um ciclone extratropical que está em formação ao largo da costa da Argentina e do Uruguai. Rio de Janeiro e São Paulo Na Marambaia, no litoral do Rio de Janeiro, uma rajada chegou a quase 90 km/h às 19 horas desta segunda-feira. Em Paraty, no litoral sul fluminense, o vento chegou a 86 km/h, às 18 horas. Na cidade do Rio de Janeiro, o vento chegou aos 74 km/h no Forte de Copacabana e a 63 km/h em Jacarepaguá. O aerporto Santos Dumont registrou rajadas de até 48 km/h. Na base aérea de Santa Cruz, na zona oeste da capital fluminense, as rajadas variaram de 79km/h a 83 km/h, entre 18h e 18h30. Todos estes registros foram medidos pelas estações meteorológicas automáticas operadas pelo Instituto Nacional de Meteorologia. No litoral de São Paulo, a estação da ilha da Moela registrou uma rajada de 73 km/h, às 15 horas. Ventos com estas velocidades podem causar alguns destelhamentos e queda de algumas árvores, além de danos às embarcações pequenas e mal atracadas em marinas. Costa Sul do Brasil Na costa sul do Brasil, as rajadas estiveram fortes e constantes durante todo o dia, variando de 50 km/h a 70 km/h, em média, porém com intensidades ainda maiores em alguns momentos. O Instituto Nacional de Meteorologia registrou ventos até 82 km/h em Araranguá, no litoral sul de Santa Catarina, na madrugada desta segunda-feira. Na região de Laguna, na mesma região, uma rajada chegou aos 78 km/h, mas durante toda a tarde, a média das rajadas era de 68 km/h. Em Mostardas, no litoral do Rio Grande do Sul, as rajadas estiveram constantes durante todo dia, em torno dos 61 km/h. No Chuí, a média da rajadas estava em 68 km/h. Alerta geral de mar agitado, navegação perigosa,ventos fortes e risco de ressaca no decorrer da semana A ventania persiste na costa sul e sudeste do Brasil nas próximas 48 horas, perdendo força só no decorrer da tarde de quarta-feira. Até lá, rajadas entre 60 e 80 km/h, em média, ainda poderão ser observadas entre o Rio Grande do Sul e o Espírito Santo. O mar começa a ficar muito agitado a partir desta terça-feira. Com a ventania desde a costa da Argentina, grandes ondas vão sendo geradas em alto-mar e devem chegar às praias do Sul e do Sudeste do Brasil nos próximos dias. É  uma situação perigosa e todas as embarcações devem redobrar os cuidados. Os navegantes devem ficar atentos aos avisos da Marinha. As embarcações menores devem evitar sair para o mar até o fim da semana. As marinas devem ficar em permanente alerta até o fim da semana, mantendo as embarcações corretamente atracadas, para evitar danos maiores. A elevação do mar será rápida a partir de quarta-feira e ondas de 3 metros poderão alcançar a costa entre quarta e sexta-feira. O risco de ressaca é alto, especialmente entre quinta e sexta-feira. Vale lembrar que, em alto-mar, o pico das ondas será maior. Chuva diminui no Sul, mas o frio aumenta. As nuvens pesadas que se formaram sobre o Sul do Brasil no fim de semana e nesta segunda-feira provocaram mais temporais. Em algumas áreas, a chuva volumosa veio com granizo e ventania. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia volumes de chuva de 80 a mais de 100 milímetros foram acumulados durante o domingo e na madrugada de segunda-feira em várias áreas da serra e do planalto de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul. Valores desta ordem representam ao menos 50% da média de chuva para setembro. Na tarde desta segunda-feira, as imagens de satélite já mostravam que as nuvens de chuva forte haviam saído quase totalmente da Região. Isto é um alívio momentâneo, porque ainda há previsão de mais chuva até o fim da semana. A partir de quarta-feira, as nuvens ficam carregadas de novo sobre o Sul do País.

28 de setembro - 13h15
28 de setembro - 13h15
Nos próximos dias, o risco de transbordamento dos rios e de deslizamento de terra é alto, pois tudo está saturado de água. Setembro termina com pelo menos o dobro da chuva normal no Sul do Brasil. A população enfrenta agora o desconforto do frio, por conta de uma forte massa polar que avança sobre a Região Sul. Os ventos dessa massa polar também podem ser fortes nesta terça-feira, aumentando a sensação de frio. Esta massa polar entrou no continente sul americano com uma intensidade muito maior do que a média, para esta época do ano. Nevou no domingo na região de Mendoza, no oeste da Argentina, o que não é comum. No mar, a ventania pode variar de 60 a 80 km/h, o que de deixa o mar agitado. O risco de ressacas é alto entre quarta e sexta-feira.