Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Volta a chover no Distrito Federal, após mais de 120 dias de seca

28/09/2010 às 16:22
por Josélia Pegorim

ong>Esta terça-feira, 28 de setembro, marca o fim da estiagem na região de Brasília. Foram 123 dias consecutivos de seca. Depois de mais de mais de 4 meses de seca, voltou a chover na tarde de hoje em áreas do Distrito Federal. As nuvens carregadas se formaram por conta do aumento dos níveis de umidade que começou a ocorrer nos últimos dois dias, com a entrada de uma frente fria forte sobre o Sudeste. Esta frente fria conseguiu romper o forte bloqueio atmosférico que havia no interior do Brasil gerado por uma grande e intensa massa de ar seco. O calor intenso e o aumento da umidade possibilitaram a formação das nuvens de chuva. A chegada da chuva na região de Brasília pode ser acompanhada através das imagens do radar meteorológico de Gama localizado no Distrito Federal e operado pela Aeronáutica detectava. Às 15h15 da tarde desta terça-feira, as áreas de chuva passavam sobre Águas Lindas de Goiás, em Goiás, e já atingiam Brazlândia, uma das cidades satélites do Distrito Federal. Às 15h30, as nuvens de chuva se aproximaram um pouco mais de Brasília. Às 16 horas, o aeroporto internacional de Brasília registrava a pesada nuvem cumulonimbos que provoca rajadas de vento de 68 km/h sobre a região, indicando que a chuva estava para cair a qualquer momento. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, o último registro de chuva em Brasília ocorreu entre os dias 26 e 27 de maio. Mas foram apenas chuviscos que deixaram um acumulado de 0,2 milímetros. Assim, a capital federal completou ontem 123 dias consecutivos em nenhuma gota de chuva. O mais longo período de seca em Brasília ocorreu em 1970 e a cidade passou 135 dias sem chuva. A longa estiagem do inverno é uma das principais características do clima do Centro-Oeste do Brasil. A primeira chuva em Brasília após a seca do inverno é já deve ter muito brasiliense chorar de alegria. Para os meteorologistas, essa chuva é o marco de que as condições atmosféricas sobre o país estão realmente mudando e a chuva está voltando. Depois de Brasília, Barreiras no oeste da Bahia e Palmas, capital do Tocantins, são as novas fronteiras da seca a ser rompidas.