ESPECIAL INVERNO 2020

Quarentena: como garantir um ambiente seguro para idosos?

15/05/2020 às 12:34
por Redação

Oferecimento

Com grande parte da população passando os dias em casa por causa da pandemia o isolamento social se faz necessário. Por isso, nesta época tão difícil, os cuidados precisam ser redobrados com a saúde dos idosos.

 

É importante se atentar à segurança dos mais velhos no ambiente doméstico, onde costuma ocorrer a maior parte das fraturas nessa faixa etária. Dados do Ministério da Saúde mostram que as quedas entre idosos são responsáveis por cerca de 50 mil internações todos os anos. E para evitar qualquer ida ao hospital nesse momento, é importante reforçar o cuidado. “Na terceira idade, a maioria das fraturas ósseas está relacionada à osteoporose, especialmente em mulheres, que estão mais propensas à doença devido à perda de estrogênio após a menopausa”, explica o endocrinologista Guilherme Renke. 

 

De acordo com o especialista, a osteoporose pode levar a fraturas graves, especialmente na coluna e no quadril, trazendo complicações que podem ser fatais. Dados oficiais mostram que as quedas são a terceira causa de mortalidade em pessoas com mais de 65 anos no Brasil, portanto, medidas de prevenção são essenciais, especialmente durante a quarentena, que pode ser motivo para que muitos idosos fiquem mais agitados dentro de casa. “Com mudanças no ambiente doméstico, uma alimentação adequada e suplementação indicada pelo médico, é possível melhorar a saúde óssea e prevenir esses acidentes”.

 

Foto: Shutterstock

 

Mudanças nos ambientes da casa

 

Uma das primeiras medidas de prevenção de quedas para quem vive com idosos é a adaptação de ambientes da casa. O banheiro, por exemplo, é um dos cômodos com maior risco de queda. É importante orientar o idoso a não trancar a porta ao entrar nesse ambiente e, se possível, instalar um vaso sanitário mais elevado, com barras de apoio. No box, é recomendado deixar um tapete antiderrapante, daqueles que ficam presos ao chão. Durante a noite, é importante deixar uma luz acesa, para o caso de o idoso precisar se levantar. Em escadas e corredores, a dica é instalar corrimãos. Usar calçados presos ao pé, com solado de borracha, não encerar o chão e evitar objetos espalhados pela casa são outras medidas importantes para prevenir acidentes.

 

Reforço na alimentação 

 

Apesar dos fatores genéticos serem importantes para a ocorrência de osteoporose, a alimentação e estilo de vida adotados ao longo da vida também podem ser determinantes. “É preciso manter uma dieta nutritiva, com ingestão adequada de cálcio, além do suprimento necessário de vitamina D, necessária para a absorção do mineral. Também é importante praticar atividades físicas adequadas a cada perfil e evitar fumo e bebidas alcoólicas”, orienta Renke.

 

Para garantir a ingestão adequada de cálcio, a aposta são leites e derivados, que são a maior fonte do nutriente na alimentação. Para os intolerantes ou alérgicos ao alimento, outras boas fontes são vegetais verdes como brócolis e couve, algumas frutas, como laranja, damasco e figo, além de conservas de peixe, nozes, castanhas, amêndoas, leites vegetais e tofu enriquecidos com cálcio. Já para garantir bons níveis de vitamina D, nada melhor do que a exposição diária ao sol, sempre com moderação, com preferência para os horários da manhã.

 

Nosso time de conteúdo pediu dicas para o endocrinologista Guilherme Renke sobre a saúde óssea do idoso. Veja os cuidados e orientações no vídeo abaixo:

 

 

 

Orientação médica e suplementação em dia

 

Na terceira idade, é essencial o acompanhamento com especialista para avaliar a necessidade de suplementações que garantam a saúde óssea, como é o caso do cálcio e da vitamina D, que frequentemente precisam de reposição nessa fase da vida.

 

“A suplementação de vitamina D em dosagens adequadas já demonstrou reduzir o risco de quedas e fraturas em cerca de 20%”, pontua o endocrinologista. Mesmo no momento de quarentena, vale manter o contato do idoso com o médico por meio de teleconsultas, para garantir assistência em relação a outras doenças e avaliar a necessidade de qualquer suplementação ou tratamento.

 

Além das suplementações já conhecidas, alguns avanços tem ganhado destaque e podem ser indicados pelo médico para reforçar o cuidado com a saúde dos ossos na terceira idade. Uma das substâncias mais recentes é a oleuropeína, retirada das folhas da oliveira, capaz de estimular a formação de massa óssea, prevenindo e até mesmo acelerando a recuperação de fraturas. “Estudos recentes demonstraram que a oleuropeína foi capaz de aumentar a deposição de íons de cálcio em células osteoblásticas.

 

Além disso, o ativo age na diferenciação de células-tronco mesenquimais da medula óssea, que são responsáveis pela formação de osteoblastos e adipócitos. Isso significa que a suplementação do ativo ajuda na manutenção de um metabolismo ósseo mais saudável, prevenindo e tratando casos de osteoporose e fraturas”, explica o médico.

 

Leia também: Pesquisa mundial analisa impacto da covid-19 na mobilidade

 

 

 

FASES DA LUA

  • Nova
    20/07
  • Crescente
    27/07
  • Cheia
    05/07
  • Minguante
    12/07

ESTAÇÕES DO ANO

  • Inverno
    20/06
  • Primavera
    22/09
  • Verão
    21/12