Julho de 2018 está sendo muito seco nas capitais brasileiras

24/07/2018 às 00:22
por Josélia Pegorim

Atualizado 24/07/2018 às 00:26

Oferecimento
Em 23 dias, a chuva está abaixo ou muito abaixo da média para o mês em quase todas as capitais. Saiba o que provoca a falta de chuva.

Julho de 2018 está sendo muito seco nas capitais brasileiras. Faltando uma semana para terminar o mês, a chuva está abaixo e muito abaixo da média em 25 das 27 capitais. Em 23 dias, o Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) não registrou chuva em Curitiba, em São Paulo, Goiânia, Brasília, Rio Branco e em Palmas.

 

Em Natal e em Porto Alegre, a chuva de julho igualou a média em 23 dias. Choveu 142 mm aproximadamente na capital gaúcha e a média é de 141 mm. Em Natal choveu 243 e a média é de 242 mm.

 

O mês de julho é de seca, com média normal de chuva pequena em várias capitais. É normal não cair uma gota de chuva em Palmas, em Goiânia e em Brasília. Mas na costa leste do Nordeste, julho é um dos meses mais chuvosos, mas vai terminar devendo muita chuva para Recife e Salvador, por exemplo. Em Recife, o INMET registrou apenas 63 mm de chuva em 23 dias, 82% abaixo da média que é de 354 mm, considerando as médias para o período de 1981 a 2010. Em Salvador choveu 55 mm, 74% abaixo da média que é de quase 210 mm.

 

No Norte do Brasil, as pancadas de chuva diminuem nesta época na região de Manaus, mas julho de 2018 está sendo seco demais. O INMET registrou apenas 14 mm de chuva em 23 dias.

 

 A tabela mostra o total de chuva de 1 a 23 de julho de 2018 registrado nas capitais do Brasil pelo Instituto Nacional de Meteorologia. Os valores são aproximados. Os dados das capitais com (**) são de automáticas. No Rio De Janeiro considerou-se o acumulado e a média para julho da estação do Alto da Boa Vista do Alerta Rio - Prefeitura do Rio de Janeiro. 

 

Total de chuva de 1 a 23 de julho de 2018 e comparação com a média

 

 

A falta de chuva na costa leste do Nordeste está relacionada com temperatura da água do Atlântico abaixo do normal. Mas a falta de chuva na maioria das capitais brasileiras é explicada pela circulação de bloqueio atmosférico que se estabeleceu sobre a América do Sul ainda em junho, o que tem dificultado muito o avanço da maioria das frentes frias sobre o Brasil.

 

A maioria dos sistemas frontais têm sido retidos no Rio Grande do Sul, onde tem chovido muito, mas em seguida são enfraquecidos pela grande massa de ar seco que tem predominado sobre o Brasil. Isto explica a chuva dentro da média em Porto Alegre, mas muito abaixo da média em Florianópolis e em Curitiba

 

Mais duas frentes frias devem avançar pelo centro-sul do Brasil até o fim de julho. A chuva da primeira frente fria, que nesta terça-feira, 24, chega fraca ao litoral do Rio de Janeiro, cai quase sobre o Sul do Brasil. Mesmo assim, pouca chuva está prevista para Curitiba.

 

A segunda frente fria deve chegar com mais força ao país, porém seu período de atuação no país começa no dia 28 de julho, o que diminui a chance de muitas capitais do Sudeste, do Centro-Oeste e do Norte de de acumular chuva ainda me julho.

 

 

Foto de Adriana Scanferla, São Paulo (SP)

CIDADES RELACIONADAS

Florianópolis - SC

15°
min

26°
max

0mm / 0%

Palmas - TO

22°
min

33°
max

0mm / 0%