Tirar 2ª cota do volume morto do Cantareira é inevitável?

26/08/2014 às 10:32
por Redação

Oferecimento
Confira a opinião da professora da escola politécnica da USP, Monica Porto.
por Maira Di Giamo

O nível das represas que abastecem Grande São Paulo está muito baixo. A situação do Sistema Cantareira, principal reservatório da região, é a mais crítica. Nesta terça-feira, 26 de agosto, o nível registrado é de apenas 11,7% de sua capacidade. O Sistema já recorreu ao uso do chamado volume morto, que é a reserva de água que fica abaixo do alcance das bombas.  Esse recurso permitiu a retirada de mais 182 bilhões de litros do Sistema. Porém, a estimativa é que essa reserva se esgote até outubro.

A Sabesp já anunciou a retirada da segunda cota do volume morto, que equivale a 106 bilhões de litros de água. As nossas reservas estão acabando, será que existe outra alternativa para preservar a água que resta no reservatório? Confira a opinião da professora da escola politécnica da USP, Monica Porto.

  Confira também a opinião do Prof. Antônio Zuffo, Chefe do departamento de recursos hídricos da Unicamp.  

CIDADES RELACIONADAS

São Paulo - SP

20°
min

26°
max

40mm / 90%