Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Vem aí outra "bomba gelada"

02/06/2016 às 00:01
por Josélia Pegorim

Quem gosta de frio vai adorar a previsão para a próxima semana. Uma nova "bomba gelada" deve chegar ao Brasil com potencial para produzir frio intenso e abrangente, com temperaturas mais baixas do que a massa de ar polar da última de semana de abril de 2016.

Os primeiros efeitos desta nova e intensa massa de ar polar começam a ser sentidos no Sul do Brasil já nos dias 6 e 7 de junho. Mas as simulações atmosféricas mais recentes indicam que o ar realmente gelado e congelante começa a se espalhar pelo centro-sul do Brasil a partir do dia 9 de junho.

 

 

Se a previsão de força e trajetória do centro da massa polar (região mais fria) se confirmar, teremos uma situação bastante parecida com a da massa polar do fim de abril.

A carta meteorológica do dia 29 de abril de 2016, às 9 horas (12 UTC), indicava um centro de pressão de 1026 a entrando no Sul do Brasil. Esta carta foi analisada pela Marinha do Brasil.

 

 

Compare com a projeção feita por supercomputadores da carta de pressão e ventos feita em 1 de junho para o dia 6 de junho. Também temos um centro de pressão com cerca e 1026 a hPa próximo do Sul do Brasil.

 

 

Mas esta nova massa polar chega ao Brasil encontrando um cenário atmosférico completamente diferente daquele da última semana de abril de 2016. A forte onda de frio do fim de abril encontrou o centro-sul do Brasil extremamente quente, com temperaturas recordes para abril. Foi a força desta massa polar que rompeu o bloqueio de ventos e de pressão que vinha impedindo a entrada de ar frio sobre o país.

Do fim de abril até o fim de maio, quatro grandes massas polares passaram sobre o Brasil e esfriaram a atmosfera inclusive nas camadas mais elevadas. Agora, a nova massa de ar polar entra no Brasil encontrando já a atmosfera fria e livre de bloqueios. As condições para um resfriamento intenso são melhores.

Confira o comentário da meteorologista Josélia Pegorim sobre o frio desta nova "bomba gelada".