Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Risco de chuva em Aracaju

16/03/2016 às 17:14
por Maira Di Giaimo

Atualizado 16/03/2016 às 17:21

A cidade de Aracaju completa 161 anos nesta quinta-feira, mas a festa já começou pela cidade. Diversas barracas, atrações e uma exposição de aquarelas no Mirante 13 de Julho já agitam a cidade desde o início do mês, quando a Prefeitura da cidade deu início às comemorações.

 

Para esta quinta-feira a previsão é de sol, calor com aumento de nuvens e pancadas de chuva. A temperatura deve passar um pouco dos 30°C nas horas mais quentes do dia.  Até domingo, áreas de instabilidade que ficam espalhadas pelo litoral do Nordeste levam algumas nuvens de chuva para Aracaju, mas não há risco de temporal.  A temperatura segue dentro do normal para esta época do ano, com máxima em torno dos 31°C.

 

 

Parabéns Aracaju!

 

Aracaju, a capital de mais de 600 mil habitantes completa 161 anos nesta quinta-feira (17) é considerada uma das mais saudáveis do Brasil com projetos de ciclovias para ajudar no deslocamento urbano ou para simples prática de atividade física, além de ter grande destaque como uma das capitais mais seguras do Nordeste e ter um dos custos de vida mais baixos do país. 

 

Em março, começou o período chuvoso na cidade, mas o mês com maior precipitação é maio com uma média de 334mm de chuva no mês. Segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia  (INMET), desde 1961 a menor temperatura registrada em Aracaju foi de 14,6 °C em 30 de agosto de 1966.

 

História

 

Fugindo à regra de que cidades são fundadas espontaneamente, Aracaju, capital de Sergipe foi planejada para ser sede do Governo do Estado. A cidade surgiu de uma colônia de pescadores que pertencia à São Cristóvão, o povoado foi escolhido por Inácio Joaquim Barbosa para ser a sede do Governo.

 

Em 1853, Inácio assumiu o governo e se aproveitou da localização privilegiada do povoado no litoral e contratou o engenheiro Sebastião José Basílio Pirro para planejar a cidade.  O projeto colocou as ruas em linhas retas, formando quarteirões simétricos tomando a forma de um tabuleiro de xadrez. Não houve tempo suficiente para um estudo sobre o local e até hoje esses erros que causam enchentes. As ruas desembocam nos rios os Sergipe e Vaza-Barris.