Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Chuva provoca destruição em Campinas (SP)

05/06/2016 às 14:56
por Michele Fernandes

Atualizado 05/06/2016 às 18:11

Um intenso temporal avançou sobre a região de Campinas na madruga deste domingo e provocou diversos danos ao município e à cidades vizinhas, como Hortolândia, Monte-Mor, Barão Geraldo, Joaquim Egídio e Valinhos.

 

A convergência de ventos sobre São Paulo vem favorecendo a constante formação de grandes instabilidades sobre o Estado desde o início da semana. Ontem a situação não foi diferente: o dia começou com muitas nuvens e chuviscos na cidade de Campinas, mas apenas a partir da tarde, por volta das 14h, começaram as primeiras pancadas de chuva, de forma mais moderada. 

 

Ao longo da tarde do sábado, nuvens muito carregadas se formavam sobre o interior de São Paulo e foram reforçadas por uma frente fria que avançava pelo mar, entre São Paulo e o Rio de Janeiro. Estas instabilidades se deslocaram ao longo da tarde e noite e foram se intensificando. Entre o final da noite e início da madrugada de domingo, nuvens muito carregadas avançaram sobre a região de Campinas, provocando chuva forte e volumosa, raios, ventania e queda de granizo. 

 

Nas imagens do radar de São Roque, operado pela Rede de Meteorologia da Aeronáutica, é possível verificar o desenvolvimento destas nuvens carregadas entre a noite do sábado e a madrugada do domingo.

 

Figura 1: Imagens do radar entre às 23h05 (esquerda) e 23h20(direita), horário de Brasília.

 

Figura 2: Imagens do radar entre às 23h50 (esquerda) e 00h20 do domingo(direita), no horário de Brasília.

 

Nuvens de intenso desenvolvimento vertical - Culumonimbus - são responsáveis por esta tempo severo. Foram exatamente estas nuvens que avançaram sobre a região de Campinas, provocando transtornos à população.

 

Na região do aeroporto de Viracopos, a chuva mais intensa foi registrada por volta da 00h deste domingo, mas não foram registradas rajadas de vento significativas (apenas 17km/h).

 

No entanto, árvores foram arrancadas pela raiz e casas foram destelhadas, o que sugere que as rajadas de vento podem ter ultrapassado 100 km/h na região, de acordo com a Escala de Beaufort (classifica a intensidade dos ventos com base na destruição). É possível que tenha havia uma microexplosão na região.

 

Infelizmente a chuva não dará trégua ao município de Campinas, pois até terça-feira novos temporais ainda devem atingir a região.