Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Sul enfrenta ventania de novo ciclone

25/07/2016 às 21:06
por Josélia Pegorim

Ciclone extratropical se forma nesta terça

Uma forte e rápida queda da pressão atmosférica está ocorrendo entre a Argentina, o Brasil, o Uruguai e o Paraguai. A baixa pressão que se forma gera um novo ciclone extratropical no decorrer desta terça-feira, 26 de julho. As simulações atmosféricas mais recentes indicam o valor mínimo da pressão no centro do sistema deve alcançar valores da ordem de 990 hPa.

Durante o processo de formação deste ciclone extratropical nesta terça-feira, e depois de já organizado, ventos e rajadas fortes poderão ocorrer em diversas áreas dos três estados do Sul, no Uruguai, no leste e norte da Argentina e no Paraguai. No Brasil, além da Região Sul, algumas rajadas moderadas poderão ser sentidas em estados como o Mato Grosso do Sul e São Paulo.

 

 

 

A Climatempo alerta que os ventos e rajadas no Sul podem causar danos em edificações como destelhamento, além da queda de árvores e placas de anúncios.

Na Região Sul, as rajadas de ventos mais intensas poderão alcançar velocidades entre 80 km/h e 100 km/h, mas em lugares de maior altitude, como em topos de prédios altos e montanhas, em lugares que favorecem o afunilamento do fluxo de ar, algumas rajadas podem superar 100 km/h.

Os ventos e rajadas variam entre os quadrantes norte e sul.

A ventania deixa o mar bastante agitado e forte agitação marítima vai se espalhar pela costa do Sul, do Sudeste e do leste do Nordeste no decorrer desta semana.

 

 

 

Sudeste pode ter vento forte

Durante o dia 27 de julho, o deslocamento deste novo ciclone extratropical próximo à costa da Região Sul vai continuar gerando ventos fortes no Sul, mas que devem ser sentidos também em áreas da Região Sudeste. Durante a quarta-feira, 27 de julho, os estados de São Paulo, do Rio de Janeiro e o centro-sul e lestes de Minas Gerais poderão ter rajadas da ordem de 70 km/h a 90 km/h.

A população das áreas litorâneas do Sul e do Sudeste deve ficar muito atenta para a forte agitação no mar provocada por este ciclone. É alto o risco de ressaca nos próximos dias.