Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Semana com chuva forte no Sul

09/10/2016 às 16:00
por Vitor Kratz

Atualizado 10/10/2016 às 11:09

Novas áreas de instabilidade ganham força sobre o Sul do Brasil a partir desta terça-feira, 11 de outubro, associadas a um sistema de baixa pressão atmosférica que se intensifica entre o norte da Argentina e o Paraguai.  Estas áreas de instabilidade vão atuar durante toda a semana provocando muita chuva nos três estados.

Nesta terça-feira, as pancadas de chuva retornam sobre quase toda a Região. Algumas pancadas já poderão ser moderadas a fortes. Somente o extremo sul gaúcho não deve ter chuva.

Na quarta-feira, dia 12, as condições para chuva aumentam e também aumenta o risco de temporais. Há previsão de chuva em toda a Região. Chove a qualquer hora no interior dos estados, mas no litoral e nas capitais a chuva deve ocorrer só a partir da tarde. Há risco de chuva forte especialmente no centro-oeste dos estados. O mar começa a subir na costa gaúcha e há risco de vento moderado.
Na quinta-feira, dia 13, uma frente fria avança na costa do RS e reforça as instabilidades sobre a Região. Há risco de temporais em todo o Sul, com risco de chuva volumosa que pode causar muitos transtornos para a população. O mar fica agitado e há risco de vento moderado a forte também na costa.
Na sexta-feira, dia 14, as instabilidades começam a perder sobre o Rio Grande do Sul, onde o tempo volta a ficar firme em quase todo o estado. Mas ainda pode chover forte sobre o Paraná, nas regiões do Vale do Itajaí e do litoral norte de Santa Catarina. A temperatura diminui sobre o Sul.

No sábado, 15, as áreas de instabilidade se intensificam novamente sobre o Rio Grande do Sul e todo o estado volta a ficar em alerta para tempestades com ventania e grande volume de chuva. Mas também volta a chover sobre Santa Catarina e sobre o Paraná.

Confira o mapa abaixo com o acumulado de chuva para esta semana. Os tons de verde representam acumulados de chuva acima de 100 mm em 5 dias.  Vemos que os maiores acumulados se concentram no centro-oeste do Sul.